LNCC abre inscrições para cursos de Mestrado e Doutorado Stricto sensu

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:11 de abril de 2022
  • Reading time:2 mins read

O Laboratório Nacional de Computação Científica – LNCC (unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações – MCTI) abriu as inscrições para o 1°Processo Seletivo 2022 para os cursos de Mestrado e Doutorado (stricto sensu) do Programa de Pós-graduação em Modelagem Computacional do LNCC. As inscrições podem ser realizadas até 18 de abril, para matrículas em junho e setembro de 2022.

O Programa de Pós-graduação em Modelagem Computacional do LNCC visa prover uma formação multidisciplinar em Ciências Exatas, Ciências da Computação e Ciências da Vida a graduados em Matemática, Física, Química, Engenharias, Computação, Biologia, Economia ou outras áreas afins. Para ingresso no Programa de Mestrado, o candidato deve ter concluído um curso de graduação em uma das referidas áreas. E para ingresso no Programa de Doutorado, o candidato deve ter concluído um curso de mestrado stricto sensu em uma das áreas citadas.

Criado em 2000, tem conceito 6 desde a avaliação 2007-2009 e foi o primeiro programa da área interdisciplinar a obter esse alto conceito junto à Área Interdisciplinar da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES (órgão do Governo Federal, vinculado ao Ministério da Educação – MEC).

Informações e inscrições, acesse o endereço.

Continuar lendoLNCC abre inscrições para cursos de Mestrado e Doutorado Stricto sensu

Tecnologias aumentam produção de cajá no Nordeste em até cinco vezes

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:26 de abril de 2022
  • Reading time:11 mins read

A produção de cajá (Spondias mombin L.), fruto também conhecido como taperebá, começa a ganhar força. No Piauí, um sistema de produção construído com um pacote tecnológico da Embrapa apresenta resultados animadores. Em um dos experimentos, em Teresina, a produção, em seis hectares, saltou de 3,4 toneladas em 2021 para 8,1 toneladas até o dia 21 de março deste ano. “Eu acredito que vamos colher entre 15 e 20 toneladas nesta safra”, prevê o produtor João José Neto, parceiro do projeto no sítio Tuturubá, na zona rural norte, a 26,7 quilômetros do centro da capital piauiense. A colheita de cajá no Norte e no Nordeste vai até maio.

Aumento de produção poderia abastercer a indústria de suco do Piauí
que hoje compra cajá de outros estados. Foto: Ronaldo Rosa

O sítio de JJ Neto, como é mais conhecido o engenheiro civil aposentado de 77 anos, começou o plantio de cajazeiras em 2013. A primeira colheita aconteceu em 2017, com uma produção de quase uma tonelada. Com as tecnologias da Embrapa sendo calibradas a partir de setembro de 2020, o otimismo tomou conta do produtor. “A decisão de plantar cajá veio por acaso, por sugestão de um ex-empregado. Agora, com a alta produtividade, o meu pensamento é transformar a propriedade em uma agroindústria, aproveitando também os cultivos de caju, acerola e manga,” revela José Neto. Já existe uma produção de polpa de cajá no local, elaborada de forma caseira, vendida a R$ 5,00 o pacote de 500 gramas e a R$ 8,00 a embalagem de um quilo.

A excelente performance produtiva, segundo o produtor, é atribuída à fertiirrigação aplicada no pomar. O trabalho executado pelo pesquisador Valdemício Ferreira de Sousa na área obedeceu os critérios técnicos com dosagens de nitrogênio, fósforo e potássio, via água de irrigação e com frequência de aplicação de 20 dias. “Cada experimento é composto por 108 plantas úteis de cajazeira plantadas no espaçamento de dez metros por dez metros, em uma área total de 3,20 hectares dos dois experimentos”, relata o pesquisador.

Telado garante a colheita

No município de Água Branca, a 97 quilômetros ao centro-norte de Teresina, outro parceiro do projeto também se destaca. O produtor e engenheiro-agrônomo Júlio César Lopes da Costa, de 44 anos, vem apoiando o trabalho produzindo clones de cajazeiras de qualidade superior e num experimento com telados. Neste, ele está conseguindo uma colheita de 100% da produção. “Sem as telas, a quebra na colheita era de 40%”, revelou.

Foto: Embrapa Meio-Norte

Outro dado animador do sítio Sambaíba, que fica a apenas três quilômetros do centro do município, é que o tempo de colheita é reduzido em pelo menos uma hora e trinta minutos em fileiras de 20 plantas. O telado no Sambaíba tem 4,5 metros de largura por 100 metros de comprimento entre as fileiras de plantas, suspenso e amarrado aos troncos das árvores. No Sul do Brasil, o uso de telas, cobrindo as plantas, é para proteger principalmente os parreirais da ação dos pássaros e das chuvas de granizo.

O histórico de produção de cajá de Costa é considerado muito bom. Também em seis hectares e trabalhando de forma empírica, ele registrou os números dos últimos quatro anos, a produção que em 2018 era de oito toneladas mais do que dobrou em 2021 alcançando 18 toneladas, e até o dia 21 de março de 2022 o produtor já tinha colhido 15 toneladas. Toda a produção é vendida a duas agroindústrias do município de Água Branca (PI), a R$ 1,70 o quilo.

A modelagem do sistema de produção de cajá está sendo feita por uma equipe de sete pesquisadores da Embrapa Meio-Norte (PI), com ações como a seleção de clones, manejo de irrigação na fase reprodutiva da cajazeira, identificação de pragas e doenças, definição da forma de colheita, avaliação da restrição radicular da planta, avaliação da desfolha na indução floral e estabelecimento de doses de nitrogênio, fósforo e potássio para a produção. Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), vinculada ao Governo do Estado, com orçamento de R$ 400 mil, o projeto segue até 2024, de acordo com o pesquisador Eugênio Emérito Araújo, que coordena os trabalhos.

Aumento gradual da produção até o oitavo ano

Foto: Fernando Sinimbu

Um estudo dos pesquisadores do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) José Severino de Lira Júnior e João Emmanuel Fernandes Bezerra e do pesquisador da Embrapa Ildo Eliezer Lederman, já aposentado, demonstrou que as cajazeiras enxertadas iniciam a produção a partir do quarto ano após o plantio. Segundo o trabalho, em condições favoráveis de cultivo, cada planta pode produzir cerca de 40 kg, totalizando aproximadamente 6,2 toneladas de frutos por hectare, adotando o espaçamento de oito metros por oito metros. De acordo com o estudo, nos anos posteriores a produção aumenta gradativamente, estabilizando-se a partir do oitavo ano.

Mais de 90% da matéria-prima vem de outros estados

Foto: Embrapa Meio-Norte

O mercado de polpa de frutas no Piauí acena com empolgação para o projeto. “Foi uma grande ideia, pois cerca de 90% do cajá demandado pelas indústrias de polpa de frutas vem de fora. É um produto de aceitação popular grande, mas que às vezes esbarra no valor”, comenta o agroindustrial Marcio Leonardo Ribeiro Teixeira, gerente da empresa Fruta Polpa, de Teresina.

Com uma produção maior, no entender dele, a melhor oferta de matéria-prima a indústria poderia melhorar a qualidade da polpa. A empresa processa hoje entre 620 a 650 toneladas de polpa por mês. Desse total, 13% são de polpa de cajá. A produção é vendida também para os estados do Maranhão, Ceará, Pará, Tocantins, Goiás e o Distrito Federal. Teixeira conta que a Polpa Fruta compra matéria-prima principalmente do Estado da Bahia. Em Teresina, o pacote de 500 gramas de polpa de cajá é vencido nos supermercados com preços que variam de R$ 5,40 a R$ 8,30. O Piauí tem hoje dez agroindústrias processando polpas de frutas.

Cajá é fonte de vitaminas

Foto: Ronaldo Rosa

Rica em sais minerais, como o fósforo, ferro e cálcio, a cajá é uma grande fonte de vitaminas A, B e C e de fibras, que aumentam a sensação de saciedade e têm poucas calorias. Além de o estado in natura, ela é também consumida como suco, sorvete, licores, vinho, geleia e na caipirinha.

A cajazeira (Spondias mombin L.) é originária da América Tropical. Tem folhas verdes e se adapta bem ao clima quente, alcançando uma altura de até 30 metros. O diâmetro do caule chega a 120 centímetros. “O ideal seria que a árvore alcançasse entre seis e oito metros de altura, o que facilitaria muito a colheita e os tratos culturais,” declara o pesquisador Eugênio Emérito Araújo. Por esse motivo, uma das ações do projeto é desenvolver cajazeiras de menor porte.

Araújo explica que o gênero Spondias, pertencente à família Anacardiaceae, possui 18 espécies distribuídas nos neotrópicos, Ásia e Oceania. No Nordeste brasileiro, segundo a literatura especializada, destacam-se as espécies: Spondias mombin L. (cajazeira), Spondias purpurea L. (cirigueleira), Spondias cytherea Sonn. (cajaraneira), Spondias tuberosa Arr. Câm. (umbuzeiro) e Spondias spp. (umbu-cajá e umbuguela).  “Todas elas são árvores frutíferas tropicais largamente exploradas, no extrativismo como a cajazeira e o umbuzeiro, em pomares domésticos e em plantios desorganizados conduzidos empiricamente como a cajaraneira, a cirigueleira, a umbu guela e o umbu-cajá. O pesquisador ressalta que essas espécies são plantas em domesticação que produzem frutos do tipo drupa de boa aparência, qualidade nutritiva, aroma e sabor agradáveis, ou seja, com bom potencial de comercialização.

Com destaque para a Bahia, que também usa a cajazeira no sombreamento das plantações de cacau, todos os estados nordestinos produzem cajá. A comercialização é feita em feiras livres, ao preço de R$ 3,00 o litro. Mas o fruto ganha espaço mesmo é na indústria de processamento de polpas. No Sudeste, São Paulo é um produtor de pequeno porte, como o Rio Grande do Sul. também produzem, mas em pequena escala. A colheita ainda é feita manualmente, com a coleta dos frutos maduros caídos. Não há registros oficiais de produção e nem de exportação de cajá in natura e seus derivados.

Fonte: Fernando Sinimbu/Embrapa Meio-Norte

Continuar lendoTecnologias aumentam produção de cajá no Nordeste em até cinco vezes

FAPEPI e UESPI publicam resultado de edital de Bolsas de Produtividade

  • Post author:
  • Post category:EditaisNotícia
  • Post last modified:21 de março de 2022
  • Reading time:1 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Piauí – FAPEPI e a Universidade Estadual do Piauí – UESPI, por intermédio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação – PROP em conformidade com o Acordo de Cooperação Técnica FAPEPI/UESPI Nº 06/2021, publicaram na tarde desta sexta-feira (28) o resultado final do Edital relativo ao Processo de Seleção de Projetos de Pesquisas para o fomento de Bolsa de Produtividade em Pesquisa da UESPI – 2021/2023.

O resultado pode ser acessado na página do edital, clicando aqui.

O Edital Bolsa de produtividade em pesquisa – PQ FAPEPI/PROP- UESPI nº 11/2021 tem como objetivo estimular a produção científica, tecnológica e de inovação, desenvolvida por pesquisadores da UESPI, com relevância para o desenvolvimento do Estado, através de concessão de 10 (dez) quotas de bolsas de produtividade científica.

Continuar lendoFAPEPI e UESPI publicam resultado de edital de Bolsas de Produtividade

Edital de apoio a periódicos tem submissões ampliadas até janeiro

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:17 de dezembro de 2021
  • Reading time:2 mins read

Com o objetivo de apoiar a consolidação e a qualificação dos periódicos científicos vinculados às instituições sediadas no estado do Piauí, a FAPEPI amplia até o dia 22 de janeiro as submissões ao edital de número 008/2021.

Os periódicos devem estar enquadrados no sistema Qualis Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A chamada ainda contempla periódicos novos indexados, com, pelo menos, dois números publicados de forma regular até a data da inscrição

O edital é parte do Programa de Apoio à Participação e Realização de Eventos Científicos, de Divulgação Científica e Tecnológica (PAP-Divulgação Científica). O objetivo do programa é promover a produção de conhecimentos, transferência tecnológica e a inovação em prol do desenvolvimento do estado do Piauí.

Estão habilitados os periódicos promovidos por Instituições de Ensino Superior Públicas (IES), Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTIs) e Entidades Científicas de natureza pública e privadas sem fins lucrativo, sediadas no Piauí, de acordo com as regras do Edital.

Confira o edital.

Confira a retificação.

Continuar lendoEdital de apoio a periódicos tem submissões ampliadas até janeiro

FAPEPI participa do Fórum Nacional do CONFAP

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:10 de dezembro de 2021
  • Reading time:2 mins read

O diretor presidente da FAPEPI, Antonio Amaral, a Diretora Técnico-Científica, Antonia Valtéria e o Diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Ciro Sá, estão na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, para a primeira edição presencial em 2021 do Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP).

O evento reunirá demais presidentes e representantes das 26 Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs), além de representantes de entidades acadêmicas e científicas, ministérios e agências federais e internacionais de fomento à CT&I.

Esta edição do Fórum, é uma realização do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP), em parceria com a Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná, com o apoio da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e do Parque Tecnológico de Itaipu (PTI).

Durante o Fórum será realizada a cerimônia de premiação do Prêmio CONFAP de Ciência, Tecnologia & Inovação – “Professor Francisco Romeu Landi”, uma iniciativa do CONFAP, com patrocínio exclusivo da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP/MCTI).

Continuar lendoFAPEPI participa do Fórum Nacional do CONFAP

FAPEPI realiza Semana de Ciência, Tecnologia e Inovação

  • Post author:
  • Post category:NotíciaSem categoria
  • Post last modified:17 de novembro de 2021
  • Reading time:6 mins read

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2021 trouxe como temática “A transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta”. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí – FAPEPI seguindo o conceito presente no evento nacional, apresenta como tema para o evento local:  “Ciência para a vida”.

Esta temática busca expressar noções de ciência, tecnologia e inovação destinadas às necessidades reais das sociedades, dos homens e de todas as formas de vida existentes na terra. Com esse propósito, optou-se por uma metodologia que envolva, ativamente, os parceiros desta jornada, realizando reflexões e desenvolvendo atividades que possam contribuir para produzir soluções às questões relevantes social e politicamente. A programação está organizada em uma série de atividades

O objetivo do evento é mobilizar a comunidade piauiense, através das  instituições de ensino superior, escolas e organizações civis que atuam em parceria com a  FAPEPI,   para o permanente  fortalecimento do compromisso com o desenvolvimento científico e  tecnológico, com a educação científica, bem como  estimular a prática de  inovações  que  agreguem bons resultados na preservação do meio ambiente, na produção e distribuição de riquezas materiais, culturais e no fortalecimento da qualidade de todas as formas de vida do planeta terra.

Confira a programação completa:

PROGRAMAÇÃO ATIVIDADES SEMANA  ESTADUAL DE CT&I-PI

1ª Semana de 04 a 11/11/2021

Dia: 04/11/2021 – Cerimônia de Abertura – 9h30 min

  • FAPEPI
  • UESPI
  • UFPI
  • UFDPAR
  • IFPI
  • UNIVASF
  • ACADEMIA DE CIÊNCIAS
  • Lançamento Editais
  • Edital Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos. 
  • Edital Olimpíadas Científicas: Programa de Apoio à Participação e Realização de Eventos Científicos, de Divulgação Científica e Tecnológica.

Dia: 04/11/2021 – Mesa: “Desafios da Ciência brasileira na conjuntura sociopolítica atual ” – 10h

Palestrantes:  

  • José de Arimateia Dantas Lopes – Presidente da ACIPI
  • André Santos  – Diretor-Presidente da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Maranhão.
  • Ildeu de Castro Moreira – Ex Presidente do SBPC
    Mediador :  Antonio Cardoso do Amaral – Presidente da Fundação de Amparo a Pesquisa no Piauí
  • 2ª Semana de 08 a 11/11/2021

Dia: 09/11/2021 – Bate-Papo com a com a pesquisadora Lilian Catennacci – 10h
Dia: 10/11/2021 – Seminário de Avaliação final – Programa PDCTR – 8h-13h30min

3ª Semana de 16 a 18/11/2021

Dia: 17/11/2021 – Live – 19h  

Tema: O papel das instituições no controle das doenças tropicais emergentes e negligências

Prof  Dr Carlos Henrique Nery 

  • 4ª Semana de 22 a 25/11/2021

Dia: 22/11/2021 – Evento de Premiação – Prêmio de Jornalismo Científico da FAPEPI – 19h

Dia 25: Live-Patrícia Ellen da Silva – Secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico de São Paulo – 19h

Tema:   CT&I pós Covid 

Continuar lendoFAPEPI realiza Semana de Ciência, Tecnologia e Inovação

Conselho Superior da FAPEPI realiza última reunião de 2020

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:16 de dezembro de 2020
  • Reading time:2 mins read

Na quarta-feira (09) de dezembro foi realizada a última reunião do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) do ano de 2020.

A reunião contou com a presença do Presidente da FAPEPI, Antonio Amaral, do Diretor e da Gerente da Diretoria de Desenvolvimento Científico e Tecnológico , Ciro Sá e Rizalva Cardoso, do Diretor Administrativo Financeiro, Ernaldo Vale, da Diretora Técnico-Científico, Eliana Abreu e os conselheiros Albemerc Moura de Moraes, representante da EMATER, Ricjardeson Rocha Dias, representante da SEFAZ, Lauriane Coelho, representante da FIEPI, Edvaldo Sagrilo, representando a EMBRAPA, Antonia Dalva Carvalho, representante da UFPI, João Batista Raposo Mazullo Filho, representando as IES privadas, Liége Moura, representando a SEPLAN, Paulo Henrique Lima, representante do IFPI, além de outros colaboradores da FAPEPI.

O Conselho Superior é o órgão deliberativo composto por membros nomeados pelo Governador na norma e regras definidas pela legislação da FAPEPI. Sua responsabilidade é definir, modificar e orientar as matérias relativas às políticas de prioridades e normas gerais para a Fundação.

As reuniões ordinárias do Conselho estão previstas em regimento para serem realizadas três vezes por ano, nos meses de março, agosto e dezembro.

Continuar lendoConselho Superior da FAPEPI realiza última reunião de 2020

FAPEPI divulga resultado final do PPSUS

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:15 de dezembro de 2020
  • Reading time:2 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa no Piauí (FAPEPI) torna público o resultado final da Chamada 004/2020, relacionada ao Programa Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde (PPSUS).

Ao total, 17 propostas foram aprovadas: 9 propostas recomendadas na íntegra, 4 propostas recomendadas com corte orçamentário e 4 recomendadas com alterações. Já 34 propostas não foram aprovadas, seja por recomendação do comitê gestor do PPSUS ou por não se enquadrarem nas regras do edital. Para mais detalhes, confira aqui o resultado final. 

O Programa 

O PPSUS é estruturado pelo Decit/SCTIE/MS e parceiros para apoiar e fortalecer o desenvolvimento de projetos de pesquisa que busquem soluções para as prioridades de saúde e atendam às peculiaridades e especificidades de cada unidade federativa do país. 

O presente edital tem como objetivo apoiar financeiramente projetos de pesquisa que promovam a melhoria da qualidade da atenção à saúde no Piauí, representando significativa contribuição para o desenvolvimento da Ciência Tecnologia e Inovação em Saúde (CT&IS) no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS).

A aproximação entre os sistemas estaduais de saúde e de ciência e tecnologia e a comunidade científica, promovida pelo PPSUS, permite maior interação entre os atores locais para o fortalecimento da Política Estadual de Saúde (PES), mediante o fomento de atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação.

 

Continuar lendoFAPEPI divulga resultado final do PPSUS

FAPEPI é selecionada em edital CAPES para Bolsas de Pós-Graduação

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:14 de dezembro de 2020
  • Reading time:6 mins read

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), divulgou selecionados na Chamada Pública para bolsas de Pós-Graduação através do Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) – Parcerias Estratégicas nos Estados. 

A região com maior número de projetos aprovados foi o Nordeste, com 28 projetos selecionados, representando cerca de 39% das vagas. No Piauí, três projetos foram selecionados no resultado preliminar: Eixo Estratégico de Saúde e Bem Estar: Aspectos Epidemiológicos, Psicossociais e Funcionais Relacionados à Pandemia De Covid-19 no Piauí; Energias Renováveis, Planejamento Espacial e Aspectos Políticos de Sustentabilidade: Compondo Vetores de Desenvolvimento do Estado do Piauí; Patógenos Emergentes, Re-emergentes e Resistentes: Aspectos Zoonóticos, Jurídicos e de Remediação Ambiental. 

O programa é mantido pela CAPES e busca promover a capilarização das ações de formação de recursos humanos altamente qualificados, desenvolvendo e fortalecendo a pós-graduação e a pesquisa no Estado, por meio da interação entre o Governo, a universidade, a iniciativa privada e terceiro setor, propiciando o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País. 

O objetivo estabelecido, e com destaque ao desenvolvimento científico, tecnológico regional é apoiar propostas que promovam o desenvolvimento de Programas de Pós-Graduação (PPG) Emergentes nos estados. O programa também apoia o desenvolvimento de programas de pós-graduação (PPG) Estratégicos.

Destaca-se que o edital teve foco nos PPG Emergentes, recomendados pela CAPES, criados a partir de 2013, que passaram por apenas um cicIo avaIiativo reaIizado pela CAPES. Os PPG Estratégicos são aqueles recomendados pela CAPES relacionados às áreas consideradas prioritárias no âmbito estadual.

O apoio da CAPES será através de boIsas de estudo e auxílio financeiro, seguindo as normas da instituição quanto à concessão do benefício. 

As bolsas de pós-doutorado devem ser implementadas a partir do início do projeto, em março de 2021, e necessitam obedecer a duração de 12 meses por cota, escalonadas em cota de uma bolsa por ano, ao longo dos primeiros 36 meses de execução do projeto. 

As bolsas de doutorado devem ser implementadas, em sua totalidade, a partir do início do projeto, em dezembro de 2020. O prazo pode ser prorrogado, excepcionalmente, por mais 12 meses além do prazo previsto, caso seja apresentada justificativa devidamente fundamentada. 

As bolsas de mestrado deverão ser implantadas em sua totalidade a partir do início do projeto, em dezembro de 2020. 

A forma de distribuição orçamentária será divulgada pela CAPES, que estabelecerá o teto orçamentário aplicado a cada Fundação de Amparo à Pesquisa. 

 

Projetos aprovados

O Plano de Desenvolvimento dos Programas de Pós-Graduação da FAPEPI tem como objetivo principal o desenvolvimento regional através do apoio aos programas de pós-graduação, fortalecendo e ampliando a formação de recursos humanos em áreas estratégicas, fomentando o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação. 

Para as áreas prioritárias o PD-FAPEPI definiu quatro áreas e uma transversal:

– Agronegócio e sustentabilidade;

– Educação e desenvolvimento de capacidades humanas;

– Saúde e bem estar; 

– Tecnologias sociais e desenvolvimento social urbano. 

 

Área transversal: 

– Inovação, Empreendedorismo e melhoria do IDH. Essas são áreas de interesse estratégico para o desenvolvimento social e econômico do Estado, e atendem também as metas do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG). 

 

Objetivo do programa

É esperado que essa formação promova a inserção Para os Programas de Pós-Graduação das ICTs no processo de desenvolvimento social e econômico do Estado é esperado que essa formação articule ciência, tecnologia e inovação para resolução de problemas regionais. 

As propostas de projetos dos PPGs que constituem esse Plano foram construídas numa abordagem interdisciplinar da produção científica que contempla o enfrentamento dos problemas regionais. Ao final, os PPGs estarão motivados e serão incentivados a intensificar acordos, convênios e parcerias em geral, articulando entes públicos e privados, locais, regionais e nacionais. 

Numa visão mais ampla, o PD-FAPEPI segue com um planejamento estratégico amplo envolvendo todas as ICTs e seus programas de pós-graduação para propiciar conhecimento necessário para formação de mão de obra especializada.

A FAPEPI vai apoiar, acompanhar e avaliar as atividades realizadas durante a execução do plano, através de editais de apoio aos PPGs para custeio de ações do projeto. A instituição também irá monitorar a execução financeira de contrapartida.

Continuar lendoFAPEPI é selecionada em edital CAPES para Bolsas de Pós-Graduação

Programa Centelha realiza Oficinas de Inovação

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:9 de dezembro de 2020
  • Reading time:3 mins read

O programa Centelha PI, nos dias 24, 25 e 26 de novembro e 1º, 2 e 3 de dezembro de 2020, de 9 às 12h, apresentou três oficinas online em dois grupos, com os projetos selecionados. As oficinas foram realizadas com o intuito de incentivar o surgimento de inovações, além de incrementar o funcionamento de empreendimentos, compartilhar conhecimentos e algumas ferramentas necessárias para a execução de gestões inovadoras.

Os conteúdos utilizados foram customizados de acordo com as necessidades das empresas, além de trazer ferramentas que estimulam a criatividade de forma lúdica e facilitam a aplicação prática e geração de ideias, como Mapa de empatia, História da Inovação e entre outros. 

As oficinas foram divididas entre os temas:

Oficina 1 – Gestão da Inovação: a importância de inovar com foco no usuário: Inovação e Competitividade;  Processo de Gestão da Inovação;  Boas Práticas de Gestão da Inovação;  Ferramentas: História da Inovação e Radar. 

Oficina 2 – Modelagem de Negócios com foco no consumidor: Empatia;  Proposta de Valor;  Modelagem de Negócios e Projetos Inovadores;  Ferramenta: Mapa de Empatia, Proposta de Valor e Canvas Projeto Inovador JOIN. 

Oficina 3 – Design Thinking na Prática com a Partida JOIN: Desenvolvimento de soluções novas para os desafios das organizações, realizado de forma colaborativa, com aplicação do jogo de inovação: Partida JOIN;  Ferramenta: Partida JOIN (2 grupos de 9). 

Essa foi a 1ª edição do programa Centelha no Piauí. O programa foi criado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e seu objetivo em todas as fases de execução é o incentivo e desenvolvimento de empreendimentos inovadores  por meio de capacitações, subvenções financeiras e suporte. A iniciativa também é promovida pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e operada pela Fundação CERTI. 

O programa terá a sua segunda edição no estado em 2021. Na última edição, foram submetidas 276 propostas, e 28 projetos aprovados na etapa final. Os projetos aprovados tiveram aporte financeiro de cerca de 60 mil reais. Para mais informações acesse as redes sociais da FAPEPI ou acompanhe as notícias pelo site.

Continuar lendoPrograma Centelha realiza Oficinas de Inovação