Lançamento do livro: Atualidades de condutas para segurança no trabalho em época de COVID-19

  • Post author:
  • Post category:Covid-19Notícia
  • Post last modified:6 de abril de 2021
  • Reading time:2 mins read

Nesta terça-feira (23), acontece o lançamento do livro Atualidades de condutas para segurança do trabalho em época de COVID-19 coordenado e organizado pelos professores Dr. Orlando Berti (UESPI), Dr. João Marcelo de Castro e Sousa (UFPI) e Dr. Francisco Leonardo Torres-Leal (UFPI). O projeto foi contemplado no edital emergencial contra pandemia de covid-19 Nº001/2020 da Fundação de Amparo à pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI). O mesmo será lançado através das plataformas virtuais Youtube e Instagram às 19h.

O grupo multiprofissional, denominado ModoCOVID-19 formado por alunos de graduação do Centro de Ciências e Saúde – CCS e alunos de Pós-Graduações de Ciências Farmacêuticas, Ciências e Saúde, Nutrição e Alimentos, RENORBIO em conjunto com outros profissionais desenvolveram protocolos de segurança do trabalho contra a propagação do novo vírus, para profissionais do setor primário, secundário e terciário, resultando em um manual de 12 capítulos, refletindo sobre: uma breve historicidade, caracterização da doença e a busca de informações sobre segurança do trabalho em tempos de pandemia do SARS-CoV-2; questões do setor primário e a pandemia, refletindo acerca dos cuidados necessários para manutenção de uma produção segura; condutas e orientações para profissionais da indústria de alimentos com foco no enfrentamento da Covid-19.

A obra é livre para todos os públicos, e busca trazer esclarecimentos sobre questões cruciais da covid-19, notadamente em um período em que a vacinação e o fim da doença ainda não são uma realidade por completo.

Faça o download do e-book através do link ou pelo site da edUESPI.

Continuar lendoLançamento do livro: Atualidades de condutas para segurança no trabalho em época de COVID-19

Edital busca investir até R$ 200 mil em inovação para empresas do Piauí

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:25 de fevereiro de 2021
  • Reading time:3 mins read

Estão abertas desde o dia 29 de janeiro as inscrições para o edital Tecnova II, uma parceria entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A chamada convida empresas piauienses a apresentarem propostas de inovação para obtenção de apoio financeiro na forma de subvenção econômica, de até R$ 200.000,00.

O objetivo é apoiar financeiramente o desenvolvimento de produtos – sejam eles bens ou serviços e/ou processos inovadores – novos ou aprimorados de maneira significativa, que sirvam pelo menos para o mercado nacional, de empresas piauienses, de modo a auxiliar no desenvolvimento dos setores econômicos considerados estratégicos nas políticas públicas federais e aderentes à política pública estadual de inovação.

O Tecnova II busca promover, em conjunto, um significativo aumento das atividades de inovação e o incremento da competitividade das empresas e da economia do estado do Piauí. Assim, a presente chamada objetiva apoiar projetos de inovação, que envolvam considerável risco tecnológico associado a oportunidades de mercado.

Serão apoiados projetos de inovação nos seguintes temas: Saúde, Tecnologias da Informação e Comunicação – TICs, Inovação, Diversificação e Competitividade, Cadeia produtiva de alimentos e Gestão Pública e Turismo.

Serão elegíveis empresas de qualquer porte, independentemente do tipo societário sob o qual estejam constituídas com sede no Estado do Piauí, devidamente registradas na Junta Comercial, que possuem suas sedes e administrações no Piauí.

A proposta deverá conter, objetivamente, suas referências metodológicas, indicadores e mecanismos de certificação – quando for o caso, dos produtos e/ou processos inovadores a serem desenvolvidos. No caso de proposta que conte com a associação de empresas, todas serão solidariamente responsáveis pela gestão dos recursos e pela prestação de contas, sendo que a beneficiária proponente será responsável pelas informações referentes à gestão do projeto e pela conta bancária exclusiva para movimentação dos recursos.

Para mais informações acompanhe as redes sociais da FAPEPI ou através do link.

Continuar lendoEdital busca investir até R$ 200 mil em inovação para empresas do Piauí

UFPI e UFPB desenvolvem pesquisa promissora no tratamento de câncer

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:3 de março de 2021
  • Reading time:7 mins read

Em busca de novas formas e tratamentos para combater o câncer, pesquisadores da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) desenvolvem pesquisa inovadora para tratamento de câncer a partir de substância encontrada em planta da região Nordeste. 

A primeira etapa da pesquisa, in vitro, já foi concluída e os resultados encontrados são promissores para um novo componente que trata principalmente do câncer de pele. O objetivo é criar medicamentos mais eficazes e seguros.

Em colaboração mútua, os pesquisadores, Anderson Nogueira Mendes (Departamento de Biofísica e Fisiologia/CCS) e Mariana Helena Chaves (Departamento de Química/CCN), ambos da UFPI, os alunos de pós-graduação da UFPI Elcilene Alves de Sousa, Felipe Alves Batista, Railson Pereira Souza e o professor da UFPB Juan Carlos Gonçalves (Departamento de Ciências Farmacêuticas (DCF/UFPB)), e com aporte financeiro da FAPEPI pelo edital FAPEPI/MS-DECIT/CNPq/SESAPI n° 002/2016 – PPSUS desenvolveram nanopartículas com alto potencial para aplicação na produção de novos medicamentos com atividade antitumoral. Nenhum medicamento desse tipo ainda foi desenvolvido no Brasil, apesar do enorme potencial e biodiversidade.

O professor Anderson conta que, a partir do aspecto da formação dos pesquisadores, foi proposto um trabalho onde seria considerado um produto derivado do bioma do Nordeste e que possuía potencial para ação antitumoral. A partir disso, foi proposto uma sistemática tecnológica para construir esse protótipo farmacêutico que pudesse, em um futuro próximo, atuar como controle para câncer do tipo melanoma.

O Laboratório de Inovação em Ciências e Tecnologia (LACITEC), onde o pesquisador atua, trabalha com biotecnologia de uma forma geral. Dentre as propostas de desenvolvimento algumas são de sistemas destinados à área de saúde, ações destinadas a algumas questões ambientais e atividades de popularização da ciência. Alguns dos projetos em andamento são destinados à Lesões Gastro-Intestinais, Estética e Castração Química.

O trabalho mencionado anteriormente faz parte da linha de pesquisa de Desenvolvimento de protótipos farmacêuticos utilizando nanotecnologia com os conceitos de sistemas drug delivery e liberação controlada com planejamento para câncer.

“Desde que iniciamos as atividades de pesquisa na Universidade Federal do Piauí temos direcionado algumas atividades pensando nos recursos naturais que o bioma regional possui. Logo, a escolha deve-se às características da Tocoyena hispidula que na cultura popular é chamada dejenipapinho. Temos observado através de alguns estudos que essa planta possui constituintes que possuem uma gama de atividades que vão desde ação antiparasitária a ações fisiológicas. Logo, o grupo decidiu avaliar sua potencial ação em modelos de câncer de pele. Os resultados iniciais indicam que há elementos que poderiam ser utilizados para tais ações. Mas infelizmente não podemos ainda afirmar nada, pois precisamos de mais estudos”, destaca Anderson.

O professor conta que ainda é cedo para falar sobre os impactos da pesquisa, pois são estudos in vitro que necessitam de recursos financeiros para testes em modelos animais até que chegue a modelos humanos. 

Anderson destaca que desde o início das atividades de pesquisa na Universidade Federal do Piauí, foram direcionadas algumas atividades pensando nos recursos naturais que o bioma regional possui. Logo, a escolha é referente às características da Tocoyena hispidula. 

“Foi observado através de alguns estudos que essa planta possui constituintes que possuem uma gama de atividades que vão desde ação antiparasitária a ações fisiológicas. Logo, o grupo decidiu avaliar sua potencial ação em modelos de cânceres de pele. Os resultados iniciais indicam que há elementos que poderiam ser utilizados para tais ações. Porém ainda não é possível afirmar, pois os estudos precisam seguir as próximas etapas”, ressalta. 

Anderson discorre um pouco sobre a necessidade da pesquisa no país e como isso interfere na pesquisa nacional.

“A pandemia da covid-19 mostrou ao mundo o quanto é importante investir em ciência. Temos excelentes pesquisadores no Brasil e alunos com desejo em se dedicar a trabalhar seja na iniciação científica, mestrado e doutorado. Os pesquisadores brasileiros são valorizados fora do Brasil. Mas, infelizmente, no Brasil, não vemos essa valorização. Vemos claramente, a falta de recurso para condução de ciência com qualidade. Se um país, estado ou cidade querem melhorar seus indicadores, sejam eles sociais e econômicos, os gestores precisam ter um olhar para os centros de pesquisa que existem regionais. Dentro das instituições universitárias públicas há a possibilidade de revolucionar uma região. Não faltam ideias ou propostas para inovar e melhorar a qualidade de vida da população. Isso para todas as áreas. Tenho certeza que no dia que houver a comunicação e aproximação entre os gestores de prefeituras, governo do estado e federal com a universidade teremos outro rumo. Deixaremos de importar muita coisa e passaremos a exportar tecnologia. Aliás todo produto desenvolvido dentro de um centro de pesquisa público retorna direto para a população, sem pagamento de royalties”, destaca.

Segundo o pesquisador, ainda há uma série de etapas (considerando estudos em animais e depois em humanos) que devem ser elencadas antes de pensarmos no custo do produto. Mas se o produto apresentar os mesmos efeitos nas mesmas concentrações em animais e humanos, será possível afirmar que seu escalonamento de produção sairá mais barato que muitos produtos que o governo compra para tratamento de tumores. E, de fato, ele tende a ter um custo menor que muitas opções disponíveis no mercado. Isso poderá auxiliar o SUS por exemplo, considerando sua efetividade, e por ser um produto desenvolvido dentro de uma instituição pública, o Brasil não precisaria pagar uma série de encargos que paga ao importar produtos de grandes indústrias farmacêuticas. 

O professor conta que o apoio de instituições como a FAPEPI e outras instituições como a UFPB são necessárias, pois pesquisas grandes como essa precisam de uma gama de informações e de recursos para ser executada.

“Todo projeto de pesquisa grande tem que ser pensado de forma interinstitucional, pois há sempre complementação de ideias, conhecimento e tecnologia. Ninguém faz nada sozinho. Pensamos dessa forma e nossa proposta de formação de pesquisadores é baseada nesse conceito. Formamos sempre profissionais que trabalhem em grupo para termos melhores condições de desenvolver algo bom”, finaliza.

Continuar lendoUFPI e UFPB desenvolvem pesquisa promissora no tratamento de câncer

Fundação Carolina lança sua 21º convocatória para bolsas de cooperação Espanhola

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:25 de fevereiro de 2021
  • Reading time:1 mins read

A Fundação Carolina informa que está aberta a convocatória de bolsas, entre 24 de janeiro e 17 de março de 2021.

A 21ª convocatória oferece 504 bolsas alinhadas às demandas de estratégias de formação e desenvolvimento na Comunidade Ibero-americana de Nações, inscrita na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, contribuindo por meio da mobilidade para a formação da Área de Conhecimento Ibero-americano (EIC).

São oferecidas 504 bolsas distribuídas nas seguintes modalidades: 225 bolsas de pós-graduação, 85 bolsas de doutorado e estadias curtas de pós-doutorado, 27 bolsas de mobilidade de professores e 37 bolsas de estudos institucionais.

Além disso, serão 130 renovações de bolsas de doutorado. No total são 153 programas académicos, dos quais 136 são programas de pós-graduação.

Mais informações acesse o site.

Continuar lendoFundação Carolina lança sua 21º convocatória para bolsas de cooperação Espanhola

Governo do Piauí autoriza dois editais de amparo à pesquisa

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:25 de fevereiro de 2021
  • Reading time:3 mins read

O governador Wellington Dias reuniu-se, nesta quinta-feira (28), com o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), Antônio Amaral, e com o representante da Tron Soluções Tecnológicas, professor Gildário Lima. Na ocasião, Dias autorizou o lançamento, pela Fapepi, de dois editais de aporte de recursos financeiros nos institutos de pesquisas do estado.

Um edital é de iniciação científica de graduação, que prevê cem bolsas no valor de R$ 400 para os estudantes. O outro é o edital com 95 bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Ambos serão lançados em fevereiro. “Das cem bolsas para iniciação científica, estamos alçando 50 para alunos que ingressaram na universidade via política de cotas e 50 para os que ingressaram via ampla concorrência. Ainda queremos colocar um recorte de gênero, tal qual envolva pelo menos 25 mulheres. O outro edital com 95 bolsas é para auxiliar no desenvolvimento dos programas de pesquisa do estado”, disse Antônio Amaral.

Também foi pauta da reunião o pedido de autorização à Anvisa para uso emergencial do respirador mecânico pulmonar Air-Tron, um respirador de baixo custo desenvolvido no Piauí. “O projeto era de um respirador emergencial, mas para passar pela aprovação da Anvisa tivemos que evoluir para um profissional. Não é um processo rápido, mas continuamos buscando a aprovação. O que esperamos é conseguir que, pelo menos a título de emergência e com fins de pesquisa, o respirador possa ser utilizado em momentos que sinalizem uma agravação da situação de saúde no país. Além do respirador, vamos conseguir desenvolver o simulador e o blender, que é o que controla a questão de oxigênio, que também é um problema agravante.”, explicou o presidente da FAPEPI.

“Estamos colocando R$2 milhões à disposição para a pesquisa somente nesses editais. Outros editais virão, onde poderemos estar trabalhando com um sistema de bolsas que permite que universitários possam participar, priorizando metade das vagas para o público advindo de cotas e mulheres. Já é um avanço importante com resultados em diversas áreas no estado do Piauí. Já a Tron é uma grande parceira na área vinculada à pesquisa aplicada, que já resultou, por exemplo, em uma máscara cirúrgica já aprovada pela Anvisa, e agora estamos em um esforço comum para vencer a etapa de aprovação em relação ao respirador, que é importante em situações emergenciais como as que temos vivido”, pontuou Wellington Dias.

Continuar lendoGoverno do Piauí autoriza dois editais de amparo à pesquisa

FAPEPI lança edital Tecnova II

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:14 de abril de 2021
  • Reading time:2 mins read

Estão abertas desde o dia 29 de janeiro as inscrições para o edital Tecnova II, uma parceria entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A chamada convida empresas piauienses a apresentarem propostas de inovação para obtenção de apoio financeiro na forma de subvenção econômica, de até R$ 200.000,00. 

O objetivo é apoiar financeiramente o desenvolvimento de produtos – sejam eles bens ou serviços e/ou processos inovadores – novos ou aprimorados de maneira significativa, que sirvam pelo menos para o mercado nacional, de empresas piauienses, de modo a auxiliar no desenvolvimento dos setores econômicos considerados estratégicos nas políticas públicas federais e aderentes à política pública estadual de inovação. 

O Tecnova II busca promover, em conjunto, um significativo aumento das atividades de inovação e o incremento da competitividade das empresas e da economia do estado do Piauí. Assim, a presente chamada objetiva apoiar projetos de inovação, que envolvam considerável risco tecnológico associado a oportunidades de mercado.

Serão apoiados projetos de inovação nos seguintes temas: Saúde, Tecnologias da Informação e Comunicação – TICs, Inovação, Diversificação e Competitividade, Cadeia produtiva de alimentos e Gestão Pública e Turismo.

Serão elegíveis empresas de qualquer porte, independentemente do tipo societário sob o qual estejam constituídas com sede no Estado do Piauí, devidamente registradas na Junta Comercial, que possuem suas sedes e administrações no Piauí. 

A proposta deverá conter, objetivamente, suas referências metodológicas, indicadores e mecanismos de certificação – quando for o caso, dos produtos e/ou processos inovadores a serem desenvolvidos. No caso de proposta que conte com a associação de empresas, todas serão solidariamente responsáveis pela gestão dos recursos e pela prestação de contas, sendo que a beneficiária proponente será responsável pelas informações referentes à gestão do projeto e pela conta bancária exclusiva para movimentação dos recursos.

Para mais informações acompanhe as redes sociais da FAPEPI ou através de nosso site. www.fapepi.pi.gov.br 

Continuar lendoFAPEPI lança edital Tecnova II

Protocolo de Pesquisa amparada pela FAPEPI é apresentado em Oficcina

  • Post author:
  • Post category:Covid-19Notícia
  • Post last modified:4 de março de 2021
  • Reading time:2 mins read

Nesta terça-feira (26), ocorreu a Oficina de Desenvolvimento de Gestão Educacional Municipal do ano de 2021, das 16h às 18h. O evento contou com a presença do prof. Fábio Motta, Biomédico e Professor do curso de Biomedicina da UFDPAR.

Fábio Motta é pesquisador FAPEPI contemplado pelo edital emergencial à covid-19 Nº 001/2020. Sua pesquisa é referente a elaboração de protocolo de desinfecção massiva de espaços públicos, como universidades, escolas, praças, etc.

O tema do evento foi Gestão e Aprendizado em Tempos de Covid-19. O professor contou um pouco sobre sua pesquisa e a importância de protocolos de desinfecção para retorno às atividades presenciais, como as aulas em universidades e escolas. O tema de sua palestra foi: Retorno as aulas presenciais é realmente seguro?.

O evento contou com a presença de 53 participantes. Um dos questionamentos levantados por Fábio acerca do retorno às aulas presenciais durante a pandemia foi a má utilização de produtos de limpeza sem protocolos rígidos para tal atuação.

Continuar lendoProtocolo de Pesquisa amparada pela FAPEPI é apresentado em Oficcina

Pesquisas amparadas pela FAPEPI impactam no combate à COVID-19

  • Post author:
  • Post category:Covid-19Notícia
  • Post last modified:25 de fevereiro de 2021
  • Reading time:6 mins read

Ocorreu no final da segunda semana deste 2021 a apresentação dos resultados do Edital Emergencial 001/2020 da FAPEPI – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí. Ele contemplou projetos de pesquisa sobre ideias inovadoras e reflexivas de ações revolucionárias de ver, pensar e agir sobre a doença no Piauí.

O Edital 001/2020 foi lançado em abril do ano passado com a destinação de R$ 200.000,00 em recursos. Teve seu resultado em maio contemplando sete projetos de pesquisa e abrangendo grupos e ações inovadoras de todas as quatro instituições públicas de ensino superior do estado: o IFPI – Instituto Federal do Piauí, a UESPI – Universidade Estadual do Piauí, a UFDPar – Universidade Federal do Delta do Parnaíba e a UFPI – Universidade Federal do Piauí. Os contemplados foram de unidades daquelas instituições nas cidades de Parnaíba (no Norte do Estado), de Picos (no Semiárido) e de Teresina (capital).

As pesquisas duraram quase sete meses, envolveram quase 200 membros, entre professores, servidores técnico-administrativos e alunos de graduação e pós-graduação. Esses trabalhos abrangeram a produção de compostos inovadores, a reflexão de ideias e a produção de materiais para o combate à pandemia que continua fazendo vítimas e preocupando a ciência. As pesquisas foram respostas a essas preocupações.

Um dos projetos aprovados foi o que visa a adaptação de um ventilador mecânico para a assistência simultânea de múltiplos pacientes infectados com a Covid-19, coordenado pelo professor-doutor do curso de Engenharia Elétrica da UFPI, Otacílio da Mota Almeida. A pesquisa visou baratear os recursos dos respiradores, um dos aparelhos vitais para a manutenção da vida de pessoas em estado grave acometidas pela doença.

Outro projeto, de igual potencial inovador e reflexivo, foi coordenado pelo professor-doutor João Marcelo de Castro e Sousa, do departamento de Bioquímica e Farmacologia da UFPI. Ele e uma equipe de dezenas de profissionais de saúde, pesquisadores e acadêmicos e graduação e pós-graduação, realizaram uma série de ações no sentido de produção de um manual multiprofissional na área de segurança do trabalho. O grupo também produziu e divulgou ações educativas e reflexivas sobre a pandemia em várias plataformas virtuais. Esse projeto ganhou proporção, inclusive, fora do Piauí.

O professor-doutor Orlando Maurício de Carvalho Berti, do curso de Jornalismo da UESPI, criou a Rede de Segurança do Trabalho no Combate e Prevenção à Pandemia de Covid-19 entre empresas públicas e privadas nos Territórios de Desenvolvimento do Piauí, a @piauisemcovid, e fez convergências entre profissionais e o público em geral, por meio de dispositivos virtuais, em todos os 224 municípios do estado e seus 12 territórios de desenvolvimento.

Os trabalhos das pesquisas coordenadas pelos professores João Marcelo Castro e Orlando Berti geraram o livro “Atualidades de condutas para segurança do trabalho em época de Covid-19”, obra também coordenada pelo professor da UFPI, Leonardo Torres e que reúne reflexões de quase 70 pesquisadores de mais de dez áreas do conhecimento. O livro está sendo lançado pela Editora da Universidade Estadual do Piauí.

O professor-doutor, da área de Geoprocessamento, do IFPI, Reurysson Chagas de Sousa Morais, coordenou o desenvolvimento do SIGCovid19, que é uma maneira inovadora de monitoramento e modelagem geoespacial da ocorrência do coronavírus no estado do Piauí. Por meio de dispositivos informacionais o SIGCovid19 proporciona, via mapas de calor, fluxos e incidência de casos da doença em todo o estado.

O professor-doutor da UFPI, campus de Picos, Antonio Oseas de Carvalho Filho, do curso de Sistemas da Informação, desenvolveu o Mapa da COVID-19. Por meio de Ciência dos Dados criou ferramenta computacional de informações sobre a doença com dados específicos por municípios e regiões do Piauí.

Diretamente da UFDPar, em Parnaíba (litoral do Piauí), o professor-doutor Fábio José Nascimento Motta, da área de Biossegurança, propôs, e conseguiu, agir sobre o projeto de elaboração de protocolos para desinfecção massiva de baixo custo para ambientes públicos e privados de grande circulação de pessoas. Esse projeto é emblemático para todas as instituições do estado.

A professora-doutora Telma Maria Evangelista de Araújo, do curso de Enfermagem da UFPI, desenvolveu projeto de mapeamento epidemiológico da infecção pelo SARS-CoV2 em territórios piauiense e mostrou empiricamente como tem dado esses casos, fazendo reflexões e trazendo lições sobre as consequências da doença para o Piauí.

Todas as pesquisas desse edital foram concluídas. Mas a maioria tem desdobramentos via pesquisas de iniciação científica, trabalhos de conclusão de curso e ações em mestrados e doutorados, já que a maioria dos professores envolvidos têm fortes ligações com todas essas áreas.

As pesquisas também geraram quase 20 artigos científicos e, pelo menos, cinco livros, todos em forma de e-books e compartilhados gratuitamente com toda a sociedade piauiense, cumprindo uma das funções básicas da pesquisa, que é o oferecimento de respostas e reflexões sobre os problemas prementes da sociedade.

Continuar lendoPesquisas amparadas pela FAPEPI impactam no combate à COVID-19

UFPI investiga antimaláricos para tratar a COVID-19

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:25 de fevereiro de 2021
  • Reading time:3 mins read

A Pesquisa desenvolvida pelo Programa de Pós-Graduação em Química da Universidade Federal do Piauí (UFPI) investiga o potencial de medicamentos antimaláricos para tratar a COVID-19. O projeto foi selecionado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), no Programa de Combate a Epidemias.

Mariana

Segundo Mariana Helena Chaves, coordenadora da pesquisa, o estudo será feito a partir de moléculas com propriedade antimalárica com potencial para inibir a atividade viral, para o tratamento da doença COVID-19. O projeto multidisciplinar recebe colaboração da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), o Instituto Aggeu Magalhães (FIOCRUZ/PE) e da Universidad de Granada (Espanha).

“Na etapa inicial, por meio de técnicas de bioinformática e modelagem molecular, buscaremos moléculas candidatas a fármacos contra o vírus SARS-COV-2, a partir de bancos de dados de moléculas antimaláricas e antivirais, que apresentem similaridade estrutural frente aos receptores ativos deste microrganismo, em particular, os receptores retrovirais de multiplicação deste vírus”, explica Mariana Helena.

O estudo teórico encontra-se em fase inicial. Segundo a coordenadora, após a seleção, os antimaláricos analisados serão sintetizados em laboratório e, em seguida, realizados testes para avaliar a inibição do vírus SARS-COV-2.

Programa Combate a Epidemias
É um conjunto de ações de apoio a projetos, pesquisas e formação de pessoal de alto nível para enfrentar a pandemia da COVID-19 e temas relacionados a endemias e epidemias, no âmbito dos programas de pós-graduação de mestrado e doutorado do País. O Programa está estruturado em duas dimensões: Ações Estratégicas Emergenciais Imediatas e Ações Estratégicas Emergenciais Induzidas em Áreas Específicas.

Em três editais, 109 projetos de pesquisa e formação de recursos humanos foram selecionados, com o envolvimento de mais de 1.300 pesquisadores de universidades brasileiras e estrangeiras. Os projetos vão estudar temas relacionados a Epidemias, Fármacos e Imunologia e Telemedicina e Análise de dados Médicos.

Continuar lendoUFPI investiga antimaláricos para tratar a COVID-19

Câmara aprova PL 135/2020 com impactos no FNDCT

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:4 de março de 2021
  • Reading time:2 mins read

Na quinta-feira (17/12), a Câmara dos Deputados aprovou o PLP 135/2020, de autoria do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). O projeto, previamente aprovado pelo Senado Federal com 71 votos contra 1, obteve 385 votos a favor contra 18 na Câmara dos Deputados.

Considerada uma das maiores conquistas da Ciência brasileira, essa aprovação permite a liberação total dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

De acordo com esse projeto, o FNDCT, que é a principal ferramenta de financiamento da Ciência, Tecnologia e Inovação do país, passa a ser um fundo de natureza contábil e financeira e obtém aporte automático dos recursos não utilizados no exercício, sendo permitida a transferência desses recursos – não utilizados – para o ano seguinte.

Com isso, todo o recurso arrecadado no fundo, não sofrerá contingenciamento, ao contrário do cenário dos últimos anos. Durante o ano de 2020 foram retidos nos cofres públicos cerca de 89% dos recursos (R$ 4,6 bilhões) arrecadados para o FNDCT, restando apenas R$ 600 milhões para utilização em Ciência, Tecnologia e Inovação. O PLP 135/2020 segue agora para sanção presidencial.

Continuar lendoCâmara aprova PL 135/2020 com impactos no FNDCT