FAPEPI participa do I Simpósio de Articulação em Ciência e Tecnologia para o Nordeste

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:25 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:4 minutos de leitura

Aconteceu nesta segunda-feira (21), o I Simpósio De Articulação Em Ciência E Tecnologia Para O NordesteSIACTEC-NE. O evento foi organizado pelo Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste – CETENE, em conjunto com o Instituto Nacional do Semiárido – INSA. 

O intuito dessa iniciativa é promover a articulação entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações – MCTI e os governos estaduais do Nordeste em prol do desenvolvimento científico e tecnológico no âmbito regional. Da mesma forma, tal ação contribui estrategicamente para o cumprimento da missão das referidas Unidades de Pesquisa, uma vez que permite expandir suas ações pelos estados que compõem a Região.

Em busca de uma maior aproximação do MCTI junto ao Nordeste, o encontro discutiu também o lançamento da Rede Nordeste de Inovação Tecnológica – ReNIT, composta por representantes de órgãos, instituições e entidades públicas que atuam na promoção, gestão e fomento de atividades de pesquisa, de desenvolvimento de novas tecnologias e inovação, consideradas relevantes para o progresso científico e tecnológico da Região.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) representada por Antonio Cardoso do Amaral (Presidente da FAPEPI) também estava presente no evento. Amaral falou sobre o desempenho da instituição no fomento ao desenvolvimento científico e tecnológico, através de Amparo à Pesquisa no Piauí, como, por exemplo, o amparo dado à pesquisadores do Piauí no combate à covid-19. 

“Queria destacar alguns dos projetos aprovados em nosso edital 01, que foi referente ao combate à covid-19 (em março de 2020). Esse edital foi muito importante, pois também funcionou como um edital indutor e nos proporcionou a descoberta de outros potenciais de nosso estado. Mesmo sendo um edital bastante tímido, de 200 mil reais, tivemos propostas inovadoras, como o desenvolvimento de adaptadores para ventiladores mecânicos para assistência simultânea a múltiplos infectados pela covid-19. Também aprovamos uma proposta que tinha como objetivo simplificar o manual multiprofissional de segurança do trabalho em tempos de Pandemia, por exemplo”, diz Amaral.

Além disso, Amaral também listou novas estratégias que o governo do estado tem fomentado à Pesquisa Científica através da FAPEPI.

O encontro contou com mesa redonda, e ocorreu através do canal Youtube do MCTI. Também participaram do evento em conjunto com Secretarias do MCTI, Secretarias de C & T de outros estados nordestinos: a Secretaria De Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Pernambuco (SECTI PE) representada pelo Secretário Lucas Ramos; a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Paraíba (SECTI PB) representada pelo Secretário Rubens Freire; a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia de Sergipe (SEDETEC SE) representada por Maurício Nascimento (Diretor do Planejamento da SEDETEC); a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Maranhão (SECTI MA) representada pelo Secretário Davi Telles; a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (SECTI BA) representada pela Secretária Adélia Maria Pinheiro; a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (SECITECE CE)  representada pelo Secretário Inácio Arruda; a Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação de Alagoas (SECTI AL) representada pelo Secretário Silvio Bulhões; e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio Grande do Norte (SECTI RN) representada pelo Secretário Jaime Calado.

Continue lendoFAPEPI participa do I Simpósio de Articulação em Ciência e Tecnologia para o Nordeste

FAPEPI lança edital para Bolsas de Mestrado e Doutorado

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:25 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:3 minutos de leitura

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), lança o Edital do Programa de Apoio a Pós-Graduação (PAPG), e convida as Coordenações dos Programas de Pós-Graduação vinculadas às instituições científicas e tecnológicas (ICTs), sediadas no Piauí, a apresentarem propostas que atendam o edital.


Presidente e diretores da FAPEPI realizam solenidade virtual com a participação de Pró-reitores das ICTs do Piauí para o lançamento do edital do Programa de Apoio a Pós-Graduação

O lançamento do edital aconteceu nesta sexta-feira (18), através de plataforma virtual, e contou com a participação dos Pró-reitores de Pós-Graduação das ICTs do estado do Piauí e os reitores da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e do Instituto Federal do Piauí (IFPI).

O objetivo deste programa é conceder, por meio de cotas institucionais, bolsas de pós-graduação stricto sensu (doutorado e mestrado), para garantir e ampliar a qualidade dos Programas de Pós-Graduação (PPG) do Piauí, assim como desenvolver um ambiente de interiorização e consolidação dos programas. Dessa forma, o programa vai contribuir no aprimoramento de recursos humanos em nível de mestre ou de doutor, atendendo aos objetivos e metas da política de desenvolvimento científico e tecnológico do Piauí e aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Vale ressaltar que o edital PAPG é o primeiro exclusivo da FAPEPI, e não há convênios vinculados ao certame, além de que sua realização deve ocorrer anualmente, dentro do Programa de Apoio a Pós-Graduação (PAPG) da Fundação.

O prazo para submissão de proposta para o edital começa no dia 18 de junho e encerra às 23h59 do dia 19 de julho de 2021.

As bolsas serão financiadas com recursos do Tesouro Estadual, cujo investimento mensal é de até R$ 89.000,00, o que representa 30 bolsas de mestrado e 20 de doutorado. O valor mensal das modalidades de bolsa previstas neste edital é de R$ 2.200,00 para bolsas de Doutorado, e para bolsas de Mestrado o valor mensal será de R$ 1.500,00.

O prazo de vigência das modalidades das bolsas será de até 48 meses, para bolsas de Doutorado, e até 24 meses, para bolsas de Mestrado. O prazo de vigência das bolsas previstas neste edital é improrrogável.

Para concorrer ao edital, o Programa de Pós-Graduação (PPG), além de estar vinculado à instituição científica e tecnológica (ICT), sediada no Piauí, também deve ser devidamente reconhecido pela CAPES, com nota 3 ou superior, e não tenha obtido nota inferior a 3, caso tenha sido julgado nas três últimas avaliações da CAPES.

O resultado final será publicado na página da FAPEPI (www.fapepi.pi.gov.br) e no Diário Oficial do Estado (DOE).

Acesse o edital clicando aqui.

Continue lendoFAPEPI lança edital para Bolsas de Mestrado e Doutorado

CNPq lança chamada de bolsas de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Sem categoria
  • Última modificação do post:23 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:2 minutos de leitura

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lança chamada para concessão de bolsa de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora (DT). O investimento total para essa seleção é de R$ 13,8 milhões. 

O objetivo das bolsas DT é valorizar pesquisadores que possuam clara participação em atividades de desenvolvimento tecnológico e extensão inovadora, associadas a uma prática regular e adequada de publicação cientifica dos resultados de seus trabalhos. Para essa seleção, é necessária a atuação nas seguintes áreas tecnológicas: Tecnologias Médicas e da Saúde, Tecnologias Agrárias; Biotecnologia, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Tecnologias Sociais e Educacionais, Tecnologias Digitais, Tecnologias de Materiais, Tecnologias de Produção Industrial e de Serviços e Energia.

A bolsa Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora é concedida em duas categorias. Para bolsas da categoria 1, é necessário ter, no mínimo, oito anos de doutorado completos até dezembro de 2021 ou experiência de pelo menos dez anos em atividades de desenvolvimento tecnológico, extensão inovadora ou transferência de tecnologia. Para a Categoria 2, o candidato deverá possuir, no mínimo, três anos de doutorado completos até dezembro de 2021 ou experiência de pelo menos cinco anos em atividades de desenvolvimento tecnológico, extensão inovadora ou transferência de tecnologia.

O prazo para submissão das propostas vai até o dia 31 de julho. O resultado preliminar está previsto para 07 de dezembro de 2021.Veja aqui a chamada na íntegra.

Fonte: CNPq

Continue lendoCNPq lança chamada de bolsas de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora

FAPEPI divulga resultado final do TECNOVA II

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Sem categoria
  • Última modificação do post:15 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:2 minutos de leitura

O edital FAPEPI/FINEP/FNDCT 001/2021 para obtenção de subvenção econômica à inovação – Tecnova II, divulgou hoje (15) o resultado final do certame. Foram contemplados 14 projetos.

O objetivo da chamada é apoiar, através de concessão de recursos de subvenção econômica (recursos não reembolsáveis) o desenvolvimento de produtos (bens ou serviços) e/ou processos inovadores – novos ou significativamente aprimorados (pelo menos para o mercado nacional) – de empresas piauienses para o desenvolvimento dos setores econômicos considerados estratégicos nas políticas públicas federais e aderentes à política pública estadual de inovação.

A Chamada quer promover um significativo aumento das atividades de inovação e o incremento da competitividade das empresas e da economia do Estado do Piauí e assim, objetiva apoiar projetos de inovação, que envolvam significativo risco tecnológico associado a oportunidades de mercado.

Para saber mais acesse o link.

Clique aqui para acessar o Resultado.

Para saber mais entre em contato através do e-mail: fapepi.ddct@gmail.com.

Continue lendoFAPEPI divulga resultado final do TECNOVA II

RNP lança chamada pública para Programa de GTs de 2022

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:11 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:2 minutos de leitura

Nesta quarta-feira (9) a RNP lançou a sua chamada pública para o Programa de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de Grupos de Trabalho de 2022, pela qual serão desenvolvidos novos produtos e serviços. Pesquisadores de instituições públicas e privadas poderão enviar suas propostas até o dia 30 de julho. Os resultados dessa chamada pública serão divulgados no dia 18 de outubro, com o anúncio dos novos Grupos de Trabalho selecionados.

Este ano, o edital convida a comunidade científica e também startups interessadas em empreender em parceria com a RNP, para a criação de um Produto Minimamente Viável (do inglês MVP) como principal resultado do projeto de PD&I. Este MVP deve ser obrigatoriamente desenvolvido para a criação de um novo produto ou serviço que possa beneficiar o Sistema RNP.

Os projetos serão desenvolvidos ao longo de 2022 e terão duração de 12 meses. Ao longo do período, a RNP irá apoiar na adoção de ferramentas e técnicas na modelagem do negócio.

A lista não exaustiva de tópicos de interesse da RNP na chamada pública inclui Inteligência Artificial, Big Data, Blockchain, Internet das Coisas (IoT), Gestão de Identidade, Educação a Distância, Telessaúde, Trabalho colaborativo, e Cibersegurança.

Sobre o Programa de PD&I da RNP

Desde 2002, a RNP vem aprimorando sua gestão de programas de PD&I, realizados por meio de um processo de inovação aberta. Os resultados alcançados ao longo desses anos são fruto da importante parceria da RNP com a comunidade científica e acadêmica, com quem a RNP explora a vanguarda das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).

Fonte: RNP

Continue lendoRNP lança chamada pública para Programa de GTs de 2022

Governo do Piauí reestrutura FUNDES aplicando novas diretrizes para CT&I

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:11 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:6 minutos de leitura

O governador do estado Wellington Dias aprovou no dia 4 de junho a Lei N° 7.511. Esta lei, que vem com intuito de trazer novas diretrizes de incentivo à pesquisa e desenvolvimento no Piauí, irá incentivar a busca para estabelecer medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, com vistas à capacitação e ao alcance da autonomia tecnológica e ao desenvolvimento industrial do estado do Piauí, bem como promover e dar continuidade aos  processos de desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, assegurados os recursos humanos, econômicos e financeiros para essa finalidade.

O objetivo é dar estímulo à atividade de inovação nas Instituições Científica, Tecnológicas e de Inovação (ICTs) e nas empresas, inclusive para a atração, a constituição e a instalação  de centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação e de parques e polos tecnológicos no Estado, com promoção da cooperação e interação entre os setores público e privado e entre empresas, aumentando assim alguns benefícios como a competitividade empresarial no mercado estadual e o fortalecimento das capacidades operacional, científica, tecnológica e administrativa das ICTs.

Também consta entre os princípios da nova legislação o objetivo de reduzir as desigualdades territoriais do Estado, trazendo desenvolvimento de atividades de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) para outras regiões do Piauí, priorizando também as regiões em desenvolvimento, com a busca pela constituição e  instalação de centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação e de parques e polos tecnológicos no Estado, assim como o fortalecimento de suas capacidades operacionais. O Estado também se compromete a fomentar a  ciência, tecnologia e inovação com seu poder de compra e incentivar a integração  dos inventores independentes às atividades das ICTs e ao sistema produtivo. 

Os incentivos atuarão em conjunto com políticas de parceria para CT&I, como convênios para produção de pesquisa, desenvolvimento e inovação, com transferência de recursos financeiros públicos. O apoio previsto poderá contemplar as redes e os projetos nacionais e internacionais de pesquisa tecnológica, as ações de empreendedorismo tecnológico e de criação de ambientes de inovação, inclusive incubadoras, núcleos de pesquisa e parques tecnológicos, e a formação e a capacitação de recursos humanos qualificados. Ficam o Estado  do Piauí e suas entidades autorizados, nos termos do regulamento, a participar, minoritariamente, do capital social de empresas, com o propósito de desenvolver produtos ou processos inovadores que estejam de acordo com as diretrizes e prioridades definidas nas  suas políticas de ciência, tecnologia, inovação e de desenvolvimento industrial nos termos do art. 5º da Lei Federal nº 10.973/2004. 

Os acordos e contratos firmados entre as ICTs, as instituições de apoio, agências de fomento e as entidades nacionais de direito privado sem fins lucrativos voltadas para atividades de pesquisa, cujo objeto seja compatível com a finalidade desta Lei, poderão prever recursos  para cobertura de despesas operacionais e administrativas incorridas na execução destes  acordos e contratos, observados os critérios de cada instituição. O pesquisador público do   Piauí sob regime de dedicação exclusiva, inclusive aquele enquadrado em planos de carreiras e cargos de magistério, poderá exercer atividade remunerada de pesquisa, desenvolvimento e inovação em ICT ou empresa e participar da execução de projetos aprovados ou custeados com recursos previstos nesta Lei, desde que observadas as regulamentações internas do órgão de origem e assegurada a continuidade  de  suas  atividades  de  ensino  ou  pesquisa nesse órgão, a depender de sua respectiva natureza. 

A Administração Pública estadual, as agências de fomento e as ICTs públicas também contam com uma política de apoio ao inventor independente que comprove o depósito de patente de sua criação, entre outras formas, por meio da análise da viabilidade técnica e econômica do objeto de sua invenção; assistência para transformação da invenção em produto ou processo com os mecanismos financeiros e creditícios dispostos na legislação; assistência para constituição de empresa que produza o bem objeto da invenção; orientação para transferência de tecnologia para empresas já constituídas. 

Junto a esses incentivos, a nova Lei reestrutura o Fundo de Pesquisa e Desenvolvimento Técnico-Científico e de Inovação do Estado do Piauí – FUNDES, destinado a fornecer recursos para financiar pesquisa, inovação, desenvolvimento científico e tecnológico e as ações estabelecidas na política estadual de ciência, tecnologia e inovação com vistas a fomentar o avanço de todas as áreas do conhecimento, o desenvolvimento econômico, social  e sustentável, o equilíbrio territorial e as potencialidades do Estado do Piauí. Para fins desta Lei, constitui objeto da destinação dos recursos do FUNDES o apoio a programas, pesquisas, projetos e atividades de Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento e Inovação, compreendendo a pesquisa básica ou aplicada, a inovação, a difusão e transferência de tecnologia e o desenvolvimento de novos produtos e processos, de bens e de serviços, bem como, a capacitação de recursos humanos, intercâmbio científico e tecnológico e a implementação, manutenção e recuperação de ambientes promotores de inovação e infraestrutura de pesquisa.

Para fins de organização também será instituído o Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia  e Inovação como órgão superior de assessoramento do Governo do Estado, nas atividades de  formulação, acompanhamento e avaliação da política estadual de desenvolvimento científico, tecnológico e inovação, e de coordenação dos diferentes programas de pesquisa. 

Art. 30. No prazo de 6 (seis) meses, contado da publicação desta Lei, as autarquias 

e as fundações definidas como ICT pública deverão promover o ajuste de seus estatutos aos 

fins previstos na Lei nº 10.973/2004, e nesta Lei.

Continue lendoGoverno do Piauí reestrutura FUNDES aplicando novas diretrizes para CT&I

Programa Bolsas de Iniciação Científica da FAPEPI seleciona 132 propostas

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:23 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:2 minutos de leitura

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) realizou o edital Nº 002/2021 para concessão de bolsas de iniciação científica no Piauí. O Programa de Bolsas de Iniciação Científica (PBIC) contou com 132 propostas aprovadas, no valor de R$480.000,00, o que representa cerca de R$400,00 para pagamento da bolsa individual. Após solicitação e recebimento de resposta ao ofício enviado ao gabinete do Governador do Estado do Piauí, Wellington Dias, decidiu-se pela liberação de recursos financeiros e pela implementação do PBIC-FAPEPI.

A presença feminina neste edital representa 58% de estudantes mulheres. As participantes representam, cerca de 43,1% da Universidade Federal do Piauí (UFPI), 31% pela Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPAR) 12,6% pelo Instituto Federal do Piauí (IFPI), 8,6% pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI), e as demais instituições contabilizam cerca de 6,8%. Dentre os cursos que mais obtiveram participantes contemplados são: Biologia; Psicologia; Odontologia; Medicina; Engenharia Agronômica e Enfermagem.

Teresina; Parnaíba; Bom Jesus; Valença do Piauí e Picos foram os destaques em números de propostas aprovadas. Juntas l, representam 76% de propostas.

No quadro de instituições participantes com propostas contempladas estão: a Universidade Federal do Piauí (UFPI) – 54%; a Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPAR) – 24%; a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) – 10%; o Instituto Federal do Piauí (IFPI) – 7%; e demais instituições participantes contabilizam cerca de 5% das bolsas.

O programa busca apoiar atividades de pesquisa científica, tecnológica e inovação no estado do Piauí, além de despertar a vocação científica e incentivar novos talentos potenciais entre estudantes de graduação das Instituições de Ensino Superior (IES). O programa visa também que os pesquisadores vinculados às instituições de ensino e pesquisa do estado do Piauí promovam o acesso de estudantes de graduação aos processos de pesquisa científica, desenvolvimento tecnológico e inovação, assim como na formação de profissionais qualificados.




Continue lendoPrograma Bolsas de Iniciação Científica da FAPEPI seleciona 132 propostas

Projeto da USP oferece 600 vagas para meninas em oficina científica

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:5 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:2 minutos de leitura

Garotas entre 14 e 17 anos podem se inscrever até a próxima segunda-feira (07/06) para participar da segunda edição do projeto Astrominas, promovido pela Universidade de São Paulo (USP).

De 28 de junho a 23 de julho, as jovens participarão de experimentos, elaboração de murais, rodas de conversa, debates sobre universidade e palestras sobre astronomia, geofísica, ciências atmosféricas, oceanografia, matemática, física, geociência e química.

Elas terão supervisão de um time composto de alunas, pesquisadoras e professoras da USP. Gratuitas, as atividades serão totalmente on-line, de segunda a sexta-feira, com duração média de três horas por dia.

O objetivo é facilitar o acesso de jovens alunas à universidade, de modo a estreitar o contato com mulheres cientistas, bem como estimular a escolha e a manutenção das carreiras de ciência e tecnologia.

As interessadas devem se inscrever por formulário on-line. Estão disponíveis 600 vagas que serão assim distribuídas: 20% entre estudantes de grupos pretos, pardos e indígenas, 60% para alunos de escolas públicas e 20% para escolas privadas.

A seleção ocorrerá por meio de um sorteio, no dia 11 de junho, que será transmitido ao vivo e as listas de sorteadas serão disponibilizadas no site do Astrominas.

 Fonte: Assessoria de comunicação da USP

Continue lendoProjeto da USP oferece 600 vagas para meninas em oficina científica

Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica recebe inscrições

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:5 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:3 minutos de leitura

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) recebe, até 10 de junho de 2021, inscrições para o 41º Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica.

Criado em 1978, o prêmio visa revelar e reconhecer grandes nomes que contribuem significativamente para a formação de uma cultura científica e para tornar a ciência, a tecnologia e a inovação conhecidas da sociedade.

Na atual edição, a categoria contemplada é “Instituição e Veículo de Comunicação”, que premiará a instituição brasileira (de ensino e/ou pesquisa, centros e museus de ciência e tecnologia, órgãos governamentais, culturais, organizações não governamentais e empresas públicas ou privadas) ou veículo de comunicação coletiva com sede estabelecida no Brasil que tenha tornado acessível, ao público, conhecimento sobre ciência, tecnologia, inovação e seus avanços.

A premiação consiste em troféu e diploma para a instituição ou veículo de comunicação agraciado, além de passagem aérea e hospedagem para permitir que o dirigente ou representante da instituição/veículo de comunicação agraciada participe da cerimônia de entrega do prêmio, no Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação, em outubro de 2021.

A inscrição poderá ser efetuada pelo dirigente institucional ou por seu representante legal e enviada ao CNPq, para SHIS Quadra 01 Conjunto B – Bloco B, 1º andar, Sala 101, Edifício Santos Dumont, Lago Sul, Brasília, DF, CEP 71605-170.

A seguinte documentação deverá acompanhar a inscrição: ficha de inscrição preenchida, currículo do dirigente da instituição ou do veículo de comunicação atualizado em 2021 na Plataforma Lattes, justificativa em que se evidencie significativa contribuição à divulgação e popularização científica, tecnológica, inovação e seus avanços e apresentação de trabalhos institucionais, que devem ser enviados impressos, podendo os arquivos de áudio e vídeo serem enviados em mídias.

Mais informações: http://www.premiojosereis.cnpq.br/web/pjr

FONTE: Assessoria de comunicação USP

Continue lendoPrêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica recebe inscrições

Piauí desenvolve técnica de diagnóstico de covid-19

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Sem categoria
  • Última modificação do post:24 de junho de 2021
  • Tempo de leitura:3 minutos de leitura

Uma nova técnica de diagnóstico de covid-19, a partir de imagens de tomografia computadorizada, está sendo desenvolvida por uma equipe de pesquisadores piauienses, ligados aos campi da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), em Teresina, Picos e Simões. A metodologia foi apresentada em artigo, assinado pelos pesquisadores, “Diagnóstico COVID-19 em imagens de tomografia computadorizada usando CNN para extrair recursos e vários classificadores”.

O artigo, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), foi elaborado pelos professores Antônio Oseas de Carvalho Filho e Alcilene Dalília de Sousa – ambos da Ufpi Picos – e Ricardo de Andrade Lira Rabúlo, da Ufpi Teresina. Dois alunos também assinaram o artigo: Edelson Damasceno Carvalho, aluno do curso de Sistemas de Informação, na Ufpi Simões; e Edson Damasceno Carvalho, mestrando em Engenharia Elétrica, na Ufpi Picos. O estudo se refere a uma metodologia baseada num extrator de recursos treinável, usando a CNN e vários classificadores, extraídos em uma base de imagens pública.

Ainda segundo Antônio Oseas, a nova técnica de diagnóstico de covid-19, a partir de tomografia computadorizada, se baseia no uso das técnicas de Redes Neurais Convolucionais (CNN), que permitiu extrair, computar atributos, que são números que fornecem características das imagens. “Com esses números, as técnicas de classificação, que são esses múltiplos classificadores que nós aplicamos aí, eles conseguem adquirir e conseguem padronizar categorias”, explicou o professor.

Resultados promissores

“É o que nos permite fazer a classificação automática, utilizando essas técnicas”, prosseguiu Antônio Oseas. “Nossos resultados foram bem promissores, para essa base de imagens públicas.” O artigo descreve que os resultados mostram uma precisão de 97,88%, recall de 97,77%, a precisão de 97,94%, f-score de 0,978, AUC de 0,977 e índice kappa de 0,957. Os resultados mostram que a metodologia pode ser utilizada como sistema CAD – Projeto/Desenho Assistido por Computador (Computer Aided Design) – para auxiliar no diagnóstico da covid-19.

De acordo com o professor, “o intuito de nossos métodos nunca vai ser substituir o médico, mas sim atuar como uma espécie de segunda opinião ou como uma forma de triagem de pacientes”. “A nossa metodologia é utilizando técnicas de visão computacional, especificamente, técnicas de processamento de imagem, em conjunto com técnicas de Machine Learning, especificamente, técnicas de aprendizado profundo”, detalha. “Esse método computacional atua dessa forma, como uma segunda opinião.”

Antônio Oseas discorreu sobre a importância científica do trabalho: “claro que não é um resultado que vá revolucionar o mundo, mas é um indicativo que nós, aqui no Piauí, estamos produzindo tecnologia de ponta, de qualidade e que temos tudo pra ir mais além”. É um trabalho que pode contribuir para resolver o principal problema com esse método, que depende do especialista para analisar as imagens da tomografia computadorizada, já que o processo é repetitivo, demorado e cansativo para o especialista.

Continue lendoPiauí desenvolve técnica de diagnóstico de covid-19