Diretoria de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da FAPEPI realiza apresentação do programa Centelha 2 em live com SEBRAE

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Centelha
  • Última modificação do post:21 de outubro de 2021
  • Tempo de leitura:2 minutos de leitura

O Diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (DDTC), Prof. Ciro Sá participou na segunda-feira, dia 18 de outubro de 2021, de reunião online para apresentação do programa Centelha 2, através do canal no YouTube do SEBRAE Piauí.

A live explicou o funcionamento e os resultados dos programas de inovação da FAPEPI.

O edital completo tem previsão de lançamento para novembro deste ano.

O Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo território nacional, incentivando a mobilização e a articulação institucional dos atores nos ecossistemas locais, estaduais e regionais de inovação do país.

Na primeira edição do programa, 28 ideias de projetos foram contempladas com até R$ 60 mil em subvenção do Governo do Estado, por meio da FAPEPI. Espera-se que na sua segunda edição, novas ideias possam ter a chance de serem executadas.

Para assistir na íntegra: https://www.youtube.com/watch?v=_R_MCczkHkg&ab_channel=SebraePiau%C3%AD

Continue lendoDiretoria de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da FAPEPI realiza apresentação do programa Centelha 2 em live com SEBRAE

Feliz dia do Professor (a)

  • Autor do post:
  • Categoria do post:HomenagemNotícia
  • Última modificação do post:1 de dezembro de 2021
  • Tempo de leitura:1 minutos de leitura

A FAPEPI homenageia a todos os Professores, que na descoberta do seu lado experimentador no cotidiano, transformam a sala de aula em laboratório para as diversas formas de vida, e como um grande artista do universo, usando pincéis e tintas de texturas e cores variadas, desenvolvem estratégias fundamentais na produção dos conhecimentos à grande magia que a educação produz. Parabéns professor pesquisador, a FAPEPI lhe agradece por ser incluída nesse fabuloso projeto de sociedade!

Continue lendoFeliz dia do Professor (a)

CONFAP e CNPq lançam edital para proteção da biodiversidade e ecossistemas terrestres e marítimos

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Sem categoria
  • Última modificação do post:8 de novembro de 2021
  • Tempo de leitura:5 minutos de leitura

A Biodiversa+, parceria co-financiada para a biodiversidade desenvolvida em conjunto pela BiodivERsA e a Comissão Europeia, lançou nesta sexta-feira, 1º de outubro, a primeira chamada transnacional conjunta no âmbito do programa de financiamento à pesquisa e inovação Horizon Europe (2021-2027). Com orçamento global estimado em 40 milhões de euros, de 45 agências e instituições de fomento à CT&I sediadas em 33 países, a chamada Biodiversa+ (2021-2022) “European Biodiversity Partnership” é destinada à proteção da biodiversidade e dos ecossistemas terrestres e marítimos.

No Brasil, o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP), por meio de suas Fundações, e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) apoiam a iniciativa e irão financiar instituições e pesquisadores brasileiros que atendam às especificações gerais da chamada. O prazo para submissão de propostas será até o dia 30 de novembro. Acesse a íntegra da plataforma da Biodiversa+ para busca de parceiros. Para conferir o Edital Biodiversa+ (2021-2022): clique aqui.

Todos os ambientes (terrestre, de água doce e marinho) serão elegíveis e a Biodiversa+ irá financiar projetos focados nos seguintes temas:

  • Identificação de áreas de conservação prioritárias, e implantação de redes ecológicas eficazes e resilientes, para o aumento da proteção baseada em espécies e preservação da diversidade genética;
  • Benefícios e custos da biodiversidade e proteção do ecossistema: sinergias e compensações;
  • Gestão eficaz e governança equitativa para entrega de resultados de conservação. 

Os candidatos brasileiros devem consultar as regras específicas de elegibilidade e modalidades de participação via CNPq ou via Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) que aderiram à chamada com os Pontos de Contato das instituições.

Equipes de pesquisadores serão convidadas a formar consórcios de pesquisa transnacionais com parceiros elegíveis de, no mínimo, 3 países participantes da chamada, incluindo no mínimo dois parceiros de Estados-Membros da União Europeia ou países associados ao Horizon Europe.

Cronograma da Chamada:

– Lançamento: 1º de outubro  de 2021.

– Prazo para envio de propostas resumidas: 30 de novembro de 2021 (17h – CET).

– Prazo para envio de propostas completas: 14 de abril de 2022 (17h – CET).

– Início dos projetos aprovados: de dezembro de 2022 até abril de 2023.

Mais informações:

– É possível participar do webinar de esclarecimento de dúvidas sobre a chamada Biodiversa+ que será realizado no dia 12 de outubro de 2021, das 6h às 7h30 (horário de Brasília), clique aqui e inscreva-se

– Questões gerais e técnicas sobre a chamada podem ser esclarecidas com o Ponto de Contato Nacional do CONFAP: Elisa Natola (elisa.confap@gmail.com).

– Questões de elegibilidade e modalidades de participação via CNPq ou Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) podem ser esclarecidas com os Pontos de Contato do CNPq ou das Fundações que aderiram à chamada. Consulte os Pontos de Contato  e  os orçamentos que serão disponibilizados pelas instituições: clique aqui

Continue lendoCONFAP e CNPq lançam edital para proteção da biodiversidade e ecossistemas terrestres e marítimos

CAPES lança edital para pesquisas sobre impactos da pandemia

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Covid-19EditaisSem categoria
  • Última modificação do post:29 de setembro de 2021
  • Tempo de leitura:4 minutos de leitura

As consequências e os reflexos sociais, econômicos, culturais e históricos decorrentes da pandemia da COVID-19 serão alvo de estudos. O Edital nº 12/2021, trata do Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) – Impactos da Pandemia, foi lançado nesta segunda-feira, 27 de setembro de 2021. Os projetos, que terão vigência de até 48 meses, devem ser apresentados pelo Sistema de Inscrições da CAPES (Sicapes), entre os dias 4 de outubro e 22 de novembro de 2021. Até 40 receberão investimento da CAPES. A implementação está prevista para março de 2022.

Com o edital, a CAPES apoiará projetos voltados à formação de profissionais qualificados e ao desenvolvimento de pesquisas acadêmico-científicas sobre questões emergenciais de abrangência nacional.  Os trabalhos deverão considerar fatores surgidos ou agravados no contexto pandêmico, como: violência, saúde e adoecimento social, reestruturação da arquitetura urbana, novas ou adaptadas estruturas de trabalho e de ensino, e agravamento de diferenças entre os estados.

A CAPES dispõe de, aproximadamente, R$25,1 milhões para o programa, sendo até R$21,1 milhões para a concessão de bolsas e o restante para recursos de custeio. Cada projeto contará com até quatro bolsas de mestrado, três de doutorado e três de pós-doutorado. Todas serão pagas diretamente aos beneficiários por meio do Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios (SCBA). 

Cláudia Queda de Toledo, presidente da CAPES, explica que os projetos devem estar em sintonia com a realidade do País. “A CAPES concederá bolsas para diagnóstico e para soluções sobre os reflexos da COVID-19 no território nacional. Serão projetos interdisciplinares, pois temos reflexos em todas as áreas”, disse. Cada iniciativa deverá resultar da parceria entre pelo menos três programas de pós-graduação (PPG) de diferentes regiões brasileiras.

O proponente deve ser professor ou pesquisador vinculado a um programa de pós-graduação (PPG) recomendado pela CAPES, estar cadastrado na Plataforma Sucupira, possuir título de doutor e ter currículo cadastrado e atualizado na Plataforma Lattes. Este coordenará o projeto, e o PPG ao qual estiver vinculado será considerado o principal, sendo vedada a submissão de outra iniciativa pelo mesmo programa de pós-graduação.

O PDPG – Impactos da Pandemia é o quarto edital do Programa de Combate a Epidemias, que tem a finalidade de incentivar estudos voltados à prevenção e ao enfrentamento da COVID-19 e outras doenças. A estruturação do Programa de Combate a Epidemias é baseada em duas dimensões: Ações Estratégicas Emergenciais Imediatas e Ações Estratégicas Emergenciais Induzidas em Áreas Específicas. Nos três editais anteriores, 109 projetos de pesquisa e formação de pessoal foram selecionados e contam com a participação de 1.248 pesquisadores.

Mais informações podem ser obtidas pelos canais:  impactos.pandemia@capes.gov.br  e (61) 2022-6310.

Informações de: (Brasília – Redação CCS/CAPES)

Continue lendoCAPES lança edital para pesquisas sobre impactos da pandemia

Chamada Pública para projetos multilaterais do BRICS 2021- BRICS STI Framework Programme

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:1 de novembro de 2022
  • Tempo de leitura:15 minutos de leitura

O Programa BRICS STI Framework Programme visa apoiar pesquisas de excelência sobre áreas prioritárias, desenvolvidas por pesquisadores dos países do bloco. A iniciativa deve facilitar a cooperação entre os pesquisadores e instituições dos consórcios que consistem de parceiros de pelo menos três países do BRICS.

Como parte da iniciativa, as seguintes organizações de fomento à pesquisa dos países que integram o BRICS concordaram em estabelecer em conjunto um novo esquema de financiamento de cooperativas multilaterais. O prazo para submissão de propostas será até 14 de outubro de 2021, 15:00, horário de Moscou (UTC + 3), e devem ser realizadas clicando neste link.

Brasil:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Rússia:

Fundação para Assistência a Pequenas Empresas Inovadoras (FASIE)

Ministério da Ciência e Ensino Superior (MSHE)

Índia:

Departamento de Biotecnologia (DBT)

Departamento de Ciência e Tecnologia (DST)

China:

Ministério da Ciência e Tecnologia (MOST)

Fundação Nacional de Ciências Naturais da China (NSFC)

África do Sul:

Departamento de Ciência e Inovação (DSI)

Fundação Nacional de Pesquisa (NRF)

Conselho de Pesquisa Médica da África do Sul (SAMRC)

Agência de Inovação Tecnológica (TIA)

Comissão de Pesquisa Hídrica (WRC)

Objetivo da Chamada Conjunta e Áreas Temáticas

Os Projetos de pesquisa colaborativa multilateral básica, aplicada ou de inovação nas seguintes áreas temáticas podem ser submetidas em resposta à convocatória:

1. Eventos astronômicos transitórios e ciência do Deep Survey;

O programa científico desenvolverá uma rede de telescópios astronômicos, alguns já existentes, e uma rede de dados inteligente associada que é o capacitador para o programa de ciências. Isso irá alavancar os existentes e planejados novo telescópio e instalações cibernéticas dentro dos países do BRICS e também contará com o oportunidades apresentadas por outras instalações espaciais e terrestres de vários comprimentos de onda dentro do grupo BRICS ou acessados ​​por ele.

2. Resistência aos antimicrobianos: tecnologias de diagnóstico e tratamento;

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a Resistência Antimicrobiana (AMR) como uma das 10 principais ameaças à saúde pública global que a humanidade enfrenta (www.who.int). Os países do BRICS reconhecem que este problema de saúde pode prejudicar décadas de progresso no combate a doenças infecciosas e enfatizou a necessidade de implementação da Política Global da OMS em execução de Plano de ação sobre AMR abordando questões de equidade, acessibilidade e acesso sustentável a remédios. O Plano Global apela a uma maior inovação e investimento em operações pesquisa e em P&D de novos medicamentos antimicrobianos, vacinas e ferramentas de diagnóstico especialmente de acordo com o que foi apontado pela OMS em Priorização de Patógenos para orientar a descoberta, pesquisa e desenvolvimento de novos antibióticos para resistentes a medicamentos Infecções bacterianas, incluindo tuberculose.

3. Simulação e análise de big data para medicina de precisão avançada e público cuidados de saúde;

A Big Data está mudando radicalmente a pesquisa biomédica. Os avanços sem precedentes em coleta automatizada de dados clínicos e moleculares em grande escala representam grandes desafios para análise e interpretação de dados, exigindo o desenvolvimento de novas abordagens. A criação de poderosos sistemas de computação de alto desempenho (HPC) para o uso eficaz de Big Data biomédico em medicina personalizada (também conhecida como medicina de precisão) exigirá desenvolvimentos científicos e técnicos significativos, incluindo infraestrutura, engenharia, projetos e gestão financeira. Revisamos aqui como a evolução dos dados métodos dirigidos oferecem a possibilidade de resolver muitos desses problemas, orientando a formulação de hipóteses sobre o funcionamento dos sistemas e a geração de modelos e facilitando o desenho de procedimentos clínicos em Medicina Personalizada. Algumas áreas incluem HPC, tecnologias de dispositivos vestíveis, genômica computacional, IA, modelagem, simulação e análise de big data para medicina de precisão avançada e público saúde, com aplicativos que incluem Genômica e vigilância epidemiológica, design de medicamentos, e design de vacinas.

4. Computação de alto desempenho (HPC) e Big Data para o desenvolvimento sustentável: Resolução de problemas ecológicos, climáticos e de poluição em larga escala;

O objetivo desta chamada é apoiar avanços no desenvolvimento de aplicações de ponta do código HPC para a solução de problemas ecológicos, climáticos e de poluição, importantes para Países do BRICS, cobrindo uma ampla gama de aspectos da base matemática de HPC algoritmos e novas abordagens baseadas em IA, alavancando a previsão do tempo, para o uso eficiente de HPC e Big Data em tarefas específicas de previsão do tempo e ambiente e estimativa de impactos socioeconômicos relacionados. As propostas abrangendo ambos os tópicos de pesquisa fundamentais e aplicativos da vida real são altamente encorajados.

5. Inovação e empreendedorismo em fotônica, nanofotônica e metamateriais para abordar a biomedicina, agricultura, indústria alimentícia e coleta de energia questões;

Esta área temática visa criar, integrar e fortalecer a Cooperação Internacional. Os projetos dentro do BRICS nas áreas de fotônica, nanofotônica e metamateriais, busca promover a geração de conhecimento, pautada nas necessidades da iniciativa privada, para o desenvolvimento de processos, produtos e instrumentação, além de estimular integração, troca de conhecimento, alianças estratégicas e exploração de sinergias entre os países do BRICS para o desenvolvimento de tecnologias. 

6. Ciência dos materiais e nanotecnologia para abordar o meio ambiente, o clima mudança, questões agrícolas, alimentares e de energia;

Atualmente, uma das tendências dominantes reconhecidas pela comunidade mundial é a conquista do desenvolvimento sustentável, incluindo o uso de recursos naturais e o direção do desenvolvimento científico e tecnológico que fortaleceria o atual e capacidade futura de atender às necessidades e aspirações humanas. Ao mesmo tempo, em muitos aspectos, falamos em garantir a qualidade de vida das pessoas. A base para o desenvolvimento de tecnologias nessa direção é a pesquisa e criação de novos materiais avançados que poderiam formar a base de uma nova economia que pode cumprir os objetivos de sustentabilidade e desenvolvimento. As inscrições em resposta à chamada podem ser enviadas para qualquer tipo de materiais e nanotecnologias, incluindo materiais magnéticos e ferroelétricos avançados, que desenvolvam a ciência e a tecnologia mundiais na direção de mitigar as mudanças climáticas e preservando o meio ambiente, otimizando o balanço de carbono, evitando desastres climáticos, desenvolver produtos agrícolas e alimentos seguros, desenvolver energia livre de carbono (baixo carbono) e transporte.

7. Energia renovável, incluindo integração com rede inteligente;

A vida humana no século 21 depende inteiramente da energia do dia-a-dia, desde acordar com um alarme em um smartphone para dormir em um quarto com ar-condicionado, não se pode viver sem eletricidade. O mundo ainda não encontrou maneiras sustentáveis ​​de conservar este energia para as gerações futuras. As formas convencionais de produção de energia provaram ser extremamente prejudiciais para a Terra e agravam rapidamente o ritmo global de aquecimento, levando a mudanças climáticas e outros problemas relacionados com o clima. É a necessidade de a hora de descarbonizar e conduzir pesquisas para encontrar adaptável, conveniente, sustentável, e meios baratos para produzir energia. Tópicos sugeridos:

Energia renovável

Tecnologias de bateria

Tecnologias de grade

8. Ciência e tecnologia oceânica e polar;

Com a importância cada vez maior do oceano e das regiões polares, os países do BRICS, que são lavados por todos os oceanos do mundo, estão profundamente engajados no desenvolvimento do oceano e da ciência e tecnologia polares. Hoje em dia, o oceano e os sistemas polares estão sujeitos a efeitos das mudanças climáticas e aumento das pressões antropogênicas. Os últimos incluem não apenas emissões de gases de efeito estufa, mas também poluição de diferentes tipos. Esses estressores como mediada por complexas trocas oceano-atmosfera, interações mar-gelo-ar e as interações terra-mar são particularmente ativas em regiões de alta latitude e áreas costeiras no mundo todo. Além disso, os sistemas marinhos de transição (por exemplo, manguezais e pântanos) são conhecidos pela alta produtividade primária e armazenamento de carbono. A previsibilidade das mudanças que virão nas próximas décadas depende fortemente da disponibilidade e qualidade dos dados observacionais (incluindo aqueles coletados nas profundezas abissais) e capacidades de prognóstico numérico modelos para assimilá-los. Além disso, a Década de Ciência Oceânica das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável e o ODS 14 da ONU (Vida abaixo da água) representam uma ótima oportunidade de aprofundar a cooperação entre os BRICS nessas áreas.

Com base nas considerações gerais acima mencionadas, os candidatos são convidados a abordar os seguintes tópicos:

Oceanografia operacional, incluindo observações, previsões de modelo e dados

assimilação em modelos numéricos;

Poluição marinha, prevenção de desastres, mitigação, restauração e carbono azul;

Pesquisa em alto mar, incluindo infiltrações frias e térmicas, fontes hidrotermais e

montes marinhos;

Pesquisa de ambientes extremos – permafrost, anoxia, corpos d’água hipersalinos, etc.;

Impactos da variabilidade do clima e das mudanças climáticas no ambiente polar e no teleconexões com áreas tropicais;

Processos costeiros e de plataforma e interações oceano-terra;

Estrutura e propriedades físicas do gelo marinho em observações e modelos;

Pesquisa polar, incluindo paleoceanografia, dinâmica do gelo marinho e ecossistema evolução;

Biotecnologia marinha.

9. Tecnologia de tratamento de água;

Os tópicos da chamada são baseados nas Nações Unidas Metas de Desenvolvimento Sustentável, especificamente as metas da Meta 6: Água limpa e saneamento. Gestão integrada de recursos hídricos: gestão sustentável de recursos hídricos e governança, incluindo o uso eficiente da água, conservação da água, água transfronteiriça relações e diplomacia da água; garantir o acesso à água potável para todos; garantindo o acesso a saneamento e higiene adequados e equitativos para todos; tecnologias de controle de evaporação; novas abordagens, métodos e instrumentos para análise do conhecimento existente sobre e mudanças espaciais nos padrões de inundação em várias regiões; monitoramento e prevenção de desastres relacionados à água; gestão sustentável de ecossistemas aquáticos; TIC e big data ferramentas para gestão e governança de recursos hídricos; teste e distribuição de barato tecnologias de dessalinização de água; promoção de tecnologias eficientes de nexo alimento-água-energia; melhorar a gestão da água e do saneamento a nível local. Tratamento da poluição da água: avaliação abrangente do impacto negativo na qualidade da água em corpos d’água naturais; tratamento de poluição de águas residuais industriais e agrícolas, proporcionando qualidade e quantidade de água adequadas; tecnologias inovadoras de água doméstica (doméstica) e tratamento de águas residuais, tratamento de águas pluviais e escoamento urbano; uso economicamente viável de tecnologias de tratamento de água sem cloro e nanotecnologia para controle de poluição e dessalinização; tratamento de água potável para poluentes emergentes; reutilização de água multiuso e reciclar tecnologias; controle da poluição marinha, incluindo derramamentos de óleo, lixo marinho, lastro tratamento de água e sistemas de tratamento de resíduos de portos marítimos.

10. Pesquisa em aeronáutica e aeroespacial;

Os tópicos priorizados incluem:

Pesquisa de aeronaves de aviação moderna. Para estabelecer método numérico altamente preciso e vento tecnologia de verificação de teste de túnel, para desenvolver tecnologia de design aerodinâmico para aeronaves de aviação, como aeronaves de transporte de decolagem e aterrissagem curtas com elevador motorizado sistema.

Pesquisa de comportamento de dano composto. Para estabelecer uma detecção ultrassônica de alta resolução método e dispositivo para defeito e comportamento prejudicial de compósitos, para obter comportamento e mecanismo de falha, desenvolvimento de material e otimização de processo, segurança estrutural e avaliação da vida útil de compósitos na aviação e em outros campos.

Para mais informações acesse a página do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) ou através dos contatos disponibilizados na página de inscrição.

Continue lendoChamada Pública para projetos multilaterais do BRICS 2021- BRICS STI Framework Programme

FAPEPI lança Edital para desenvolvimento de observatório

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:8 de novembro de 2021
  • Tempo de leitura:2 minutos de leitura

A Fundação de Amparo à Pesquisa no Piauí (FAPEPI) torna pública o Edital Nº 007/2021 e convida Pessoas Jurídicas a submeterem propostas de serviços de assessoria e apoio de propostas realizadas pelo governo do Estado para amparo financeiro da fundação.

O objetivo é contratar Pessoa Jurídica para que seja desenvolvido um projeto de um observatório que, dentre outras funções, buscará realizar uma transformação digital dos processos de acompanhamento, monitoramento e divulgação de resultados de projetos  sociais executados pelo governo do estado do Piauí em parceria com organizações sociais.

Serão elegíveis como proponentes Pessoas Jurídicas com ou sem fins lucrativos, com sede no estado do  Piauí e CNPJ/CNAE compatível com o objeto a ser contratado na Chamada Pública.

Somente serão aceitas as propostas enviadas pelo sistema Sigfapepi, com preenchimento do formulário on-line, no endereço eletrônico http://sistema.fapepi.pi.gov.br. Quaisquer dúvidas a respeito do conteúdo da presente Chamada Pública deverá ser dirigida exclusivamente para o e-mail: fapepi@fapepi.pi.gov.br

Para mais detalhes, confira o Edital completo e outras informações clicando aqui.

Continue lendoFAPEPI lança Edital para desenvolvimento de observatório

1º Edição do Centelha Piauí apresenta empresas contempladas pelo programa

  • Autor do post:
  • Categoria do post:CentelhaNotícia
  • Última modificação do post:22 de setembro de 2021
  • Tempo de leitura:7 minutos de leitura

Ao longo da primeira edição, o Programa Centelha alcançou todas as regiões do Brasil e recebeu a submissão de mais de 14 mil ideias inovadoras, estimulando a criação de empreendimentos inovadores e disseminando a cultura empreendedora pelo país.

No Piauí, foram submetidas 276 propostas, e 28 projetos aprovados na etapa final. Os projetos aprovados tiveram aporte financeiro de cerca de 60 mil reais.

Dentre os projetos contemplados, selecionamos seis empresas para você ficar por dentro das novidades inovadoras que estão se transformando em negócios de sucesso!

Mulltiveículos.com

A multiveiculos.com atua como marketplace, servindo de conexão entre compradores e vendedores de veículos seminovos e usados. Nosso principal diferencial é a oferta de veículos vistoriados e a utilização de tecnologia de ponta para melhor experiência e comodidade dos usuários (compradores e vendedores).

O modelo de negócio contempla duas modalidades de oferta. A primeira é o leilão MV – exclusiva para lojistas (PJ) de todo o Nordeste. A segunda é o site multiveiculos.com, com ênfase na venda para particulares (PF).

Plastic Road

Um empreendimento que fornecerá produtos reciclados para fins na indústria de asfalto, sendo que a missão é ajudar a resolver dois problemas mundiais: epidemia de resíduos plásticos e aprimorar a qualidade do asfalto. O produto é comercializado em 3 tipos: MR6, MR8 e MR10, sendo cada um destinado ao local correto para o asfalto (ex: local em que o tráfego de carretas é maior, utiliza-se o MR10). Será feito acordo com usinas de asfalto, a fim de baratear o custo de produção e aumentar a qualidade e tempo de vida do asfalto. De acordo com os testes realizados, em comparação ao asfalto comum, as ruas de plástico apresentaram maior resistência à deformação, rigidez, resistência à ruptura e aumento do ponto de amolecimento do betume (maior resistência à temperatura) e elasticidade.

GestorClin

A Gestorclin é um SAAS voltado para clínicas e consultórios médicos.

Seu propósito é a otimização de tempo levando em conta a chegada do paciente à clínica até o processo de atendimento.

O procedimento de uso é definido em 3 passos simples e fácil de usar, a empresa preocupa-se com todo o corpo clínico e gera valor trazendo segurança e facilidade para gestão na área da saúde.

Hydrogels Tech

A escassez de água tem se tornado um problema cada vez maior e mais sério em todo o planeta. Pensando nisso, os hidrogéis têm se tornado um material cada vez mais utilizado, e versátil para aplicações que necessitam a utilização /reutilização de água. Este tema se encaixa em praticamente todas as ODS da Agenda 2030 da ONU.

Na escassez de água, os super hidrogéis é uma categoria de materiais com alta capacidade de absorção/liberação de água e de fluidos biológicos, com possibilidade de liberação de água na agricultura e em ambientes climatizados, e de fármacos, ocorrendo um intumescimento que pode ser associado a outras propriedades.

Dessa forma, soluções deste e de outros problemas podem ser propostas para ampliar as possibilidades de utilização de hidrogéis. Partindo da ampliação destas ideias, os problemas de saúde relacionados à obesidade têm aumentado, buscando-se métodos bem invasivos para perda de peso. Assim, pretende-se desenvolver cápsulas para saciedade e perda de peso.

Fábrica de Gênios

A plataforma possui um conjunto de cursos e projetos práticos para engajar os alunos no aprendizado orientado e objetivo, conforme o mercado demanda. Nela, cada aluno tem acesso ao seu currículo FG, ranking da plataforma, blog do FG e podem pegar ou não demandas externas relacionadas ao conteúdo abordado nos cursos advindas de empresas/clientes.

Masquil

Uma das principais demandas da aquaponia é por tecnologias que visam maior eficiência dos processos. Por isso, há a necessidade de monitorar e manter um controle mais apurado, pois a aplicação da automatização é fundamental para a aquaponia, já que diminui os erros, inclusive os voltados ao uso e reuso dos recursos naturais. Para uma maior automação da aquaponia o desenvolvimento de instrumentos e de sensores para medidas ou detecção de parâmetros ou de alvos de interesse se torna bastante relevante, isto aliado ao monitoramento da água em tempo real, permite que o produtor acompanhe remotamente, os parâmetros da água, permitindo ainda que os dados sejam filtrados por região de interesse e relacionados entre si, assim com o desenvolvimento de um sistema de monitoramento e controle remoto em aquaponia usando IoT, os processos operacionais de produção, podem ser monitorados, controlados e executados de maneira muito mais eficiente; desse modo, a automação exerce a sua função sobre os processos, para aumentar a produtividade do sistema e do trabalho; otimizar o uso de tempo, insumos e capital; reduzir perdas na produção e aumentar a qualidade dos produtos.

Para mais informações acesse o site do Centelha PI.

Continue lendo1º Edição do Centelha Piauí apresenta empresas contempladas pelo programa

FAPEPI e Embrapa assinam termo de mais de 8 milhões para fruticultura

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:22 de setembro de 2021
  • Tempo de leitura:4 minutos de leitura

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) e a Embrapa Meio-Norte e assinaram, na manhã desta terça-feira (21/09), o Termo de Cooperação Técnica que visa à transferência de tecnologias e inovação em fruticultura irrigada para os polos prioritários do Estado do Piauí.

O Termo de Cooperação foi assinado pelo chefe-geral da Embrapa Meio-Norte, Anísio Lima Neto, e pelo presidente da Fapepi, Antonio Cardoso do Amaral, com o testemunho do presidente das Câmaras Setoriais do Piauí, Sérgio Vilela a e do diretor-presidente do Emater, Francisco Guedes.

Sérgio Vilela, Anísio Lima e Antonio Amaral, durante a solenidade de assinatura.

Vilela destacou em sua fala a missão das Câmaras Setoriais e os projetos que o Governo do Estado tem para estas áreas prioritárias. 

O presidente da Fapepi reafirmou a felicidade em manter parcerias tão importantes com a Embrapa. Amaral também avaliou positivamente o projeto que será desenvolvido com a assinatura do Termo. “Foi um projeto que passou pelas nossas Câmaras Técnicas de Assessoramento e foi bem avaliado. O potencial do projeto atingir suas metas ficou visível”, afirmou.

Presidente da FAPEPI assina Termo de Cooperação.

Anísio Lima, chefe geral da Embrapa, destacou a importância da parceria com a Fapepi, do apoio das Câmaras Setoriais e das demais instituições envolvidas no projeto para o desenvolvimento da fruticultura irrigada no Piauí.

A parceria tem como objeto a integração de esforços entre as duas instituições para execução de trabalhos de pesquisa, desenvolvimento e inovação em fruticultura.

Serão realizadas atividades voltadas à transferência de tecnologias de cultivo, manejo, produção e agregação de valor às fruteiras tropicais para o desenvolvimento integrado sustentável com inovação no segmento da fruticultura.

Chefe Geral da Embrapa assina o Termo de Cooperação.

Os trabalhos serão executados na área da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, e nas propriedades de agricultores irrigantes no Perímetro Irrigado dos Tabuleiros Litorâneos do Piauí (Parnaíba), no Perímetro Irrigado dos Platôs de Guadalupe, no Polo Marrecas – Jenipapo (São João do Piauí) e no Polo Alto Canindé – Barragem Joaquim Mendes (Conceição do Canindé).

O valor total orçado para a execução do projeto é de mais de 8 milhões de reais. Uma vez que a Fapepi contribuirá com uma importância global de 3 milhões e a Embrapa com um valor superior a 5 milhões.

A assinatura do Termo de Cooperação é um dos passos para o início do projeto “Tecnologias e estratégias para uso e manejo eficiente da água de irrigação para fruteiras tropicais no semiárido piauiense – EUAFRUTI”, coordenado pelo pesquisador da Embrapa Meio-Norte, Valdemício Ferreira de Sousa.

Continue lendoFAPEPI e Embrapa assinam termo de mais de 8 milhões para fruticultura

FAPEPI e UESPI lançam Edital para Bolsas de Produtividade em Pesquisa

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:22 de setembro de 2021
  • Tempo de leitura:5 minutos de leitura

Nesta segunda-feira (20), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Piauí (FAPEPI) em conjunto com a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) realizaram reunião para o lançamento do Edital  PQ FAPEPI/PROP- UESPI Nº 11/2021, para o Processo de Seleção de Projetos de Pesquisas e fomento de Bolsa de Produtividade em Pesquisa da UESPI – 2021/2023. 

A reunião contou com a presença do Presidente da FAPEPI, Antonio Cardoso do Amaral, da Diretora de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da FAPEPI, Valtéria Alvarenga, do Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, da Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UESPI, Prof.ª Dr.ª Ailma Nascimento, do Diretor do Departamento de Pesquisa da Universidade Estadual do Piauí, Prof. Dr. Franklin Oliveira Silva, do Diretor do Departamento de Pós-Graduação da UESPI, Prof. Dr. Pedro Pio Fontineles Filho.

O presidente da FAPEPI, Antonio Cardoso do Amaral, ressalta a importância desse programa para o desenvolvimento científico no Piauí.

“Este programa tem que ser estopim para outras ações, ações essas que venham de fato turbinar o que a universidade, o centro de pesquisa precisa, que são seus projetos de pesquisa. E portanto, aumentar o número de pesquisadores de produtividade. Melhorar, portanto, a qualidade dos projetos que estão sendo desenvolvidos pelos seus pesquisadores, e posteriormente aumentar o número de vagas para a Pós-Graduação e o número de programas”, destaca.

O objetivo do edital é estimular a produção científica, tecnológica e de inovação, desenvolvida por pesquisadores da UESPI, através da concessão de dez bolsas de produtividade científica. O projeto visa estimular os docentes da UESPI a submeterem projetos aos editais do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), aumentando a competitividade da UESPI nos referidos editais, e, consequentemente, melhorando os índices da Instituição, em consonância com o seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). Além disso, o edital busca fortalecer a Pós-Graduação Stricto Sensu no Estado, canalizando os resultados das pesquisas para a proposição de novos Programas de mestrado e doutorado, conforme o Plano Estratégico da FAPEPI e o Acordo de Cooperação Técnica FAPEPI/UESPI Nº 06/2021.

O reitor da UESPI, Reitor da UESPI, Prof. Dr. Evandro Alberto, também destacou as metas esperadas com a aplicação do programa de bolsas de produtividade. Ele também ressalta sobre a importância do diálogo entre as instituições e a responsabilidade que ambas têm em promover o desenvolvimento científico. 

“O programa de Bolsa de produtividade tem o objetivo de reconhecer, valorizar e incentivar ainda mais os novos pesquisadores e profissões da universidade. Esse é o primeiro edital de bolsa de produtividade. Serão concedidas dez bolsas de produtividade científica para estimular os nossos docentes a submeterem os seus projetos ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Aqui temos uma parceria firme com a FAPEPI e a UESPI. Temos dialogado muito com o vosso presidente, Professor Amaral, com a orientação do Governador Wellington Dias, e poder está juntos ali, a FAPEPI e a UESPI, ambos órgãos do estado, que tem a responsabilidade de promover o desenvolvimento, que inclusive está para além da institucionalidade, mas também para o próprio estado”, destaca.

O Presidente da FAPEPI ainda pontuou que o maior propósito deste edital é a proposta de consolidação dessa base científica e profissional.

“O que a gente se propunha aqui é por uma sustentação de uma base. Então a gente precisa de um material humano, qualificado, para que a partir dali, possam prosperar as mais importantes pesquisas, não só para o plano de desenvolvimento institucional, mas para o plano de desenvolvimento do Estado”, destaca Amaral.

Através desse primeiro instrumento de parceria que está em construção, o Presidente da FAPEPI conta que para adiantar o desenvolvimento de projetos como a Bolsa de Produtividade em Pesquisa, a FAPEPI também está apoiando uma pesquisa coordenada pelo professor Francisco das Chagas Alves Lima, e que é uma pesquisa em caráter de urgência, pois seu tema é diretamente relacionado à COVID-19. 

“Esse projeto tem como base a pesquisa acerca do jaborandi. O objetivo é que se chegue a um antibiótico, e é uma pesquisa que caminha, que anda, e que serviu, obviamente para, até muito mais, entender o que é preciso para esse estreitamento, e que portanto, do outro lado da fundação, estamos atentos a essas provocações, que este projeto se enquadre dentro do orçamento da fundação, mas que não seja o único. E que juntos, como fizemos aqui, possamos deixar o edital cada vez melhor, com a ajuda de todos os colaboradores envolvidos”, finaliza.

Continue lendoFAPEPI e UESPI lançam Edital para Bolsas de Produtividade em Pesquisa

FAPEPI participa da apresentação do projeto do novo CIATEN

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Notícia
  • Última modificação do post:22 de setembro de 2021
  • Tempo de leitura:6 minutos de leitura

O projeto arquitetônico da nova sede do Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados (CIATEN) foi apresentado, no dia 13 deste mês, ao senador Marcelo Castro (MDB). A solenidade aconteceu no prédio do Centro Ciências de Saúde (CCS) da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), localizado ao lado do Hospital Getúlio Vargas (HGV), na Avenida Frei Serafim, 2280, futura sede do centro. O ato solene contou com as presenças do reitor e vice-reitor da Ufpi, Gildásio Guedes, e Viriato Campelo, respectivamente.

O projeto arquitetônico da nova sede do CIATEN sendo apresentado ao senador Marcelo Castro (MDB), direita, pelo reitor e vice-reitor da UFPI, Gildásio Guedes, centro, e Viriato Campelo, esquerda. Fonte: Assessoria de Comunicação – FAPEPI

Representando a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (UFPI), participou a advogada Mariana Matos Leite, da assessoria jurídica da instituição. O CIATEN tem como finalidade aprimorar o controle dos agravos tropicais emergentes e negligenciados (ATENs) no contexto do estado do Piauí e em regiões similares. Na nova sede-prédio, serão desenvolvidas tecnologias para geração de novos fármacos e dispositivos biotecnológicos; e serão elaboradas políticas públicas baseadas em evidências científicas.

Haverá uma área para geração e difusão de conhecimentos científicos por meio ensino, pesquisa, extensão e treinamento de profissionais públicos e demais interessados. Ou seja, as instalações do centro serão uma ponte para o estabelecimento de parcerias, desenvolvimento tecnológico e conectar as pesquisas de enorme relevância social com formação de pesquisadores e profissionais. Gildásio Guedes, reitor da UFPI, falou da importância do investimento à área da saúde.

Científico e prático

“É um investimento altamente importante, pois, além de prevenir, vai cuidar de doenças que estão permanentes nas pessoas e até nos animais”, destacou. “O CIATEN é um órgão que vai servir muito para a prevenção e para o cuidado. Estamos felizes, pois a universidade tem que ter este viés científico e o viés prático a serviço da sociedade.” Atualmente, o CIATEN tem recursos financeiros garantidos através de duas emendas parlamentares destinadas para as devidas adequações na futura sede-prédio.

São recursos de R$ 1 milhão, obtidos através de emenda parlamentar do senador Marcelo Castro, e R$ 300 mil de emenda parlamentar da deputada federal Margarete Coelho (PP). O evento reuniu representantes da Ufpi, da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI), equipe de engenheiros do projeto e convidados, no qual um dos objetivos é a arrecadação de novos recursos para garantir a continuidade e finalização das obras do CIATEN.

Segundo o Coordenador-Geral do CIATEN, professor Carlos Henrique Nery Costa, “é um projeto para décadas inaugurar um centro de pesquisa no Piauí”. “O início disso foi consolidado hoje! A presença do reitor da Ufpi, Gildásio Guedes, e do senador Marcelo Castro, empenhados na mobilização dos recursos necessários, juntamente com apoio da secretária de saúde em uma conjunção de esforços locais. Agora estamos vendo nascer a sede do CIATEN, centro interdisciplinar e multi-institucional, com seus laboratórios montados.”

Coordenador-Geral do CIATEN, Carlos Henrique Nery Costa. Fonte: Assessoria de Comunicação – FAPEPI

Think tank

O senador Marcelo Castro confirmou recursos ao CIATEN. “Me comprometo a repetir a dose. Estou muito honrado em contribuir com a saúde do nosso estado, é o nosso dever e nossa obrigação.” A representante da Secretária da Saúde, Liana Martins, informou sobre os trâmites burocráticos do projeto. “A Secretária da Saúde está imbuída em concretizar o projeto do CIATEN. O processo já está passando pela parte administrativa de cotação de preços, em seguida, passará pela PGE para analisar a parte jurídica.”

Continuou Liana Martins: “será deflagrada a licitação e o nosso prazo para conclusão desse projeto é até outubro”. Além disso, na oportunidade, a equipe de engenheiros do projeto arquitetônico do prédio apresentou as plantas elétricas e hidráulicas, bem como as adequações básicas necessárias para a instalação de equipamentos nos laboratórios do prédio. Sobre o CIATEN: o CIATEN é um “think tank” – think tanks são instituições que produzem pesquisas, análises e recomendações.

Representantes da FAPEPI e o Coordenador-Geral do CIATEN, Carlos Henrique Nery Costa. Fonte: Assessoria de Comunicação – FAPEPI

Think tanks contribuem para um ambiente de conhecimento, permitindo, inclusive, que os formadores de políticas públicas tenham ferramentas para tomar decisões mais embasadas. Além de ter um papel importante na disseminação de conhecimento à qualificação através do conhecimento de políticas de saúde destinadas a doenças e agravos emergentes, de um lado, e negligenciados, de outro, no âmbito dos trópicos. O centro foi criado para desenvolver e sugerir novas estratégias.

Enfrentamento de doenças

Tais estratégias servirão ao enfrentamento de doenças emergentes e negligenciadas nos trópicos que atualmente são ineficientes ou inexistentes. É uma entidade administrada pela organização social sem fins lucrativos Instituto de Doenças do Sertão (IDS) e é um Núcleo de Pesquisas oficial de uma fundação pública, a Universidade Federal do Piauí (Ufpi), em colaboração com a Secretaria da Saúde. Uma grande notícia à ciência do Piauí.

Continue lendoFAPEPI participa da apresentação do projeto do novo CIATEN