Segunda edição do Centelha Piauí será lançado pela FAPEPI em 2022

  • Post author:
  • Post category:NotíciaSem categoria
  • Post last modified:17 de dezembro de 2021
  • Reading time:4 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) executa o programa Centelha com a colaboração do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e da Fundação CERTI.

O Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no Piauí, por meio de capacitações, recursos financeiros e suporte para transformar ideias em negócios de sucesso. Em maio de 2020, foi lançado o primeiro edital onde 276 ideias foram submetidas, 821 empreendedores participaram das capacitações e 21 startups foram apoiadas. Cada startup recebeu um investimento de até 60 mil reais. No início de 2022 será lançado o edital da segunda edição do programa objetivando a captação de mais ideias inovadoras.

Um exemplo de sucesso da primeira edição é a startup EcoBfit.  A empresa produz alimentos a partir do coco babaçu, derivado de estudos desenvolvidos pela nutricionista e doutorando em Biotecnologia, Lindalva de Moura Rocha. Com a execução do programa Centelha Piauí, a pesquisadora fez uso de suas pesquisas, apresentando uma proposta inovadora para o edital da primeira edição do Centelha Piauí. E com o apoio aprimorou o resultado das suas pesquisas para serem produtos comercializados.  

Estande da EcoBfit na Expoapi

“O edital nos proporcionou transformar objeto que estava no campo acadêmico em produtos resolutivos que atende as necessidades do mercado e a ter uma visão mais ampla através das capacitações que nos deram suporte para desenvolver a startup. O programa oferece muitas capacitações que são cruciais para qualquer empreendedor desenvolver a sua proposta para ser submetida no edital. Com fomento do capital semente proveniente do Centelha, nós abrimos o CNPJ e desde então estamos realizando a execução do projeto”,  Explica Lindalva.

 EcoBfit desenvolve produtos alimentícios para o público geral e com restrições alimentares acessando um grande mercado consumidor, que de acordo com a Organização Mundial de Saúde(OMS), cerca de 70% da população mundial tem algum tipo de restrição alimentar relacionada à lactose. 

Por esse motivo, a pesquisadora participou também do Programa de Qualificação para Exportação(PEIEX) executado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) com apoio Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). No PEIEX a EcoBfit foi qualificada para realizar o processo de exportação de seus produtos de forma planejada e segura. As empresas qualificadas pelo programa se tornam aptas a participarem de ações internacionais de promoção comercial organizadas pela Apex-Brasil e seus parceiros.

“Aquele pesquisador que desenvolve uma pesquisa que tem um grau de inovação e resolutividade procure o edital Centelha pois ele é uma oportunidade para toda pessoa que tem projetos que resolvem as dores da sociedade. Procure o site da FAPEPI e o programa Centelha, participe das mentorias, capacitações, leiam o edital atentamente e procurem participar pois ele é uma capital semente muito importante para desenvolver novos negócio”, destaca Lindalva Rocha.

Em 2022 será lançado o edital Centelha 2 onde mais empreendedores terão oportunidade de serem apoiados pelas capacitações, mentorias e receber investimentos financeiros ofertados pelo projeto que apoiará 61 novas startups.

Cada um dos projetos selecionados receberá até R$ 53 mil para desenvolver o modelo de negócio, até R$ 26 mil em bolsas e nove meses de capacitação. O prazo de execução dos projetos será de 12 meses após a data da contratação. Podem submeter propostas, pessoas maiores de 18 anos ou maiores de 16, se emancipadas. Desta vez, o edital permite a participação de servidores públicos, desde que não haja choque com a legislação da instituição empregadora.

O investimento global para a segunda edição do Centelha Piauí totaliza R$ 4,8 milhões, sendo R$ 2 milhões do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (concedidos através da Financiadora de Estudos e Projetos –  Finep), R$ 666 mil em contrapartida da FAPEPI, R$ 586 mil da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e R$ 1,5 milhão em bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Continuar lendoSegunda edição do Centelha Piauí será lançado pela FAPEPI em 2022

Edital de apoio a olimpíadas científicas vai até amanhã (10)

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:9 de dezembro de 2021
  • Reading time:1 mins read

Interessados em receber amparo para realização de Olimpíadas Científicas no Piauí têm até amanhã (10) para enviarem suas propostas. As propostas deverão ser encaminhadas pelo Sigfapepi, utilizando-se o formulário de Propostas online anexado ao Edital.

O Edital Nº 009/2021, do Programa de Apoio à Participação e Realização de Eventos Científicos, de Divulgação Científica e Tecnológica, divulgado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), tem o objetivo de estimular e apoiar propostas de Olimpíadas Científicas realizadas no Piauí. O Edital tem como foco o desenvolvimento científico, tecnológico, e inovação para popularização da ciência.

Desse modo, o edital visa ampliar a participação e aprimoramento do conhecimento de jovens estudantes piauienses, capacitando-os para competições nacionais e internacionais, garantindo, assim, a popularização da ciência e a melhoria da qualidade do Ensino Fundamental e Médio no estado.

Para saber mais sobre o assunto, acesse o link do Edital.

Continuar lendoEdital de apoio a olimpíadas científicas vai até amanhã (10)

Edital de Apoio à Editoração e Publicação de periódicos vai até dia 22 de dezembro

  • Post author:
  • Post category:NotíciaSem categoria
  • Post last modified:11 de janeiro de 2022
  • Reading time:1 mins read

Com o objetivo de apoiar a consolidação e a qualificação dos periódicos científicos vinculados às instituições sediadas no estado do Piauí, a FAPEPI mantem aberto até o dia 22 de dezembro o edital de número 008/2021.

Os periódicos devem estar enquadrados no sistema Qualis Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A chamada ainda contempla periódicos novos indexados, com, pelo menos, dois números publicados de forma regular até a data da inscrição

O edital é parte do Programa de Apoio à Participação e Realização de Eventos Científicos, de Divulgação Científica e Tecnológica (PAP-Divulgação Científica). O objetivo do programa é promover a produção de conhecimentos, transferência tecnológica e a inovação em prol do desenvolvimento do estado do Piauí.

Estão habilitados os periódicos promovidos por Instituições de Ensino Superior Públicas (IES), Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTIs) e Entidades Científicas de natureza pública e privadas sem fins lucrativo, sediadas no Piauí, de acordo com as regras do Edital.

Confira o edital.

Continuar lendoEdital de Apoio à Editoração e Publicação de periódicos vai até dia 22 de dezembro

1º Edição do Centelha Piauí apresenta empresas contempladas pelo programa

  • Post author:
  • Post category:CentelhaNotícia
  • Post last modified:22 de setembro de 2021
  • Reading time:5 mins read

Ao longo da primeira edição, o Programa Centelha alcançou todas as regiões do Brasil e recebeu a submissão de mais de 14 mil ideias inovadoras, estimulando a criação de empreendimentos inovadores e disseminando a cultura empreendedora pelo país.

No Piauí, foram submetidas 276 propostas, e 28 projetos aprovados na etapa final. Os projetos aprovados tiveram aporte financeiro de cerca de 60 mil reais.

Dentre os projetos contemplados, selecionamos seis empresas para você ficar por dentro das novidades inovadoras que estão se transformando em negócios de sucesso!

Mulltiveículos.com

A multiveiculos.com atua como marketplace, servindo de conexão entre compradores e vendedores de veículos seminovos e usados. Nosso principal diferencial é a oferta de veículos vistoriados e a utilização de tecnologia de ponta para melhor experiência e comodidade dos usuários (compradores e vendedores).

O modelo de negócio contempla duas modalidades de oferta. A primeira é o leilão MV – exclusiva para lojistas (PJ) de todo o Nordeste. A segunda é o site multiveiculos.com, com ênfase na venda para particulares (PF).

Plastic Road

Um empreendimento que fornecerá produtos reciclados para fins na indústria de asfalto, sendo que a missão é ajudar a resolver dois problemas mundiais: epidemia de resíduos plásticos e aprimorar a qualidade do asfalto. O produto é comercializado em 3 tipos: MR6, MR8 e MR10, sendo cada um destinado ao local correto para o asfalto (ex: local em que o tráfego de carretas é maior, utiliza-se o MR10). Será feito acordo com usinas de asfalto, a fim de baratear o custo de produção e aumentar a qualidade e tempo de vida do asfalto. De acordo com os testes realizados, em comparação ao asfalto comum, as ruas de plástico apresentaram maior resistência à deformação, rigidez, resistência à ruptura e aumento do ponto de amolecimento do betume (maior resistência à temperatura) e elasticidade.

GestorClin

A Gestorclin é um SAAS voltado para clínicas e consultórios médicos.

Seu propósito é a otimização de tempo levando em conta a chegada do paciente à clínica até o processo de atendimento.

O procedimento de uso é definido em 3 passos simples e fácil de usar, a empresa preocupa-se com todo o corpo clínico e gera valor trazendo segurança e facilidade para gestão na área da saúde.

Hydrogels Tech

A escassez de água tem se tornado um problema cada vez maior e mais sério em todo o planeta. Pensando nisso, os hidrogéis têm se tornado um material cada vez mais utilizado, e versátil para aplicações que necessitam a utilização /reutilização de água. Este tema se encaixa em praticamente todas as ODS da Agenda 2030 da ONU.

Na escassez de água, os super hidrogéis é uma categoria de materiais com alta capacidade de absorção/liberação de água e de fluidos biológicos, com possibilidade de liberação de água na agricultura e em ambientes climatizados, e de fármacos, ocorrendo um intumescimento que pode ser associado a outras propriedades.

Dessa forma, soluções deste e de outros problemas podem ser propostas para ampliar as possibilidades de utilização de hidrogéis. Partindo da ampliação destas ideias, os problemas de saúde relacionados à obesidade têm aumentado, buscando-se métodos bem invasivos para perda de peso. Assim, pretende-se desenvolver cápsulas para saciedade e perda de peso.

Fábrica de Gênios

A plataforma possui um conjunto de cursos e projetos práticos para engajar os alunos no aprendizado orientado e objetivo, conforme o mercado demanda. Nela, cada aluno tem acesso ao seu currículo FG, ranking da plataforma, blog do FG e podem pegar ou não demandas externas relacionadas ao conteúdo abordado nos cursos advindas de empresas/clientes.

Masquil

Uma das principais demandas da aquaponia é por tecnologias que visam maior eficiência dos processos. Por isso, há a necessidade de monitorar e manter um controle mais apurado, pois a aplicação da automatização é fundamental para a aquaponia, já que diminui os erros, inclusive os voltados ao uso e reuso dos recursos naturais. Para uma maior automação da aquaponia o desenvolvimento de instrumentos e de sensores para medidas ou detecção de parâmetros ou de alvos de interesse se torna bastante relevante, isto aliado ao monitoramento da água em tempo real, permite que o produtor acompanhe remotamente, os parâmetros da água, permitindo ainda que os dados sejam filtrados por região de interesse e relacionados entre si, assim com o desenvolvimento de um sistema de monitoramento e controle remoto em aquaponia usando IoT, os processos operacionais de produção, podem ser monitorados, controlados e executados de maneira muito mais eficiente; desse modo, a automação exerce a sua função sobre os processos, para aumentar a produtividade do sistema e do trabalho; otimizar o uso de tempo, insumos e capital; reduzir perdas na produção e aumentar a qualidade dos produtos.

Para mais informações acesse o site do Centelha PI.

Continuar lendo1º Edição do Centelha Piauí apresenta empresas contempladas pelo programa

Projetos Piauienses são aprovados em Edital CAPES de Desenvolvimento da Pós-Graduação no Semiárido

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:22 de setembro de 2021
  • Reading time:2 mins read

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), divulgou nesta segunda-feira (13) o resultado final do Edital 004/2021 do Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG – Semiárido). A lista de aprovados já está disponível no site da CAPES e no Diário Oficial da União. 

Cada Fundação de Amparo à Pesquisa (FAP) pôde submeter até quatro projetos. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) obteve a aprovação de três propostas nos segmentos de Biotecnologia e Agroindústria: 

  • Bioprospecção de meios para produção in vitro de embriões caprinos e ovinos: uma necessidade biotecnológica para o semiárido piauiense; (Biotecnologia)
  • Tecnologia sustentável para o semiárido piauiense: uso de bactérias promotoras de crescimento para otimizar o desenvolvimento, fisiologia e produtividade da palma forrageira para alimentação animal; (Agroindústria)
  • Do semiárido para o semiárido: desenvolvimento biotecnológico de hidrogéis superabsorvente provenientes de fontes vegetais para uso eficiente de água e de nutrientes. (Biotecnologia)

A próxima etapa, obedecendo ao cronograma do edital,  será  a assinatura, pela CAPES e por cada uma das FAPs parceiras, dos acordos de cooperação. A vigência de cada um será de 48 meses.

O PDPG – Apoio ao Desenvolvimento da Região Semiárida Brasileira busca fomentar a formação de pessoal qualificado e apoia a execução de projetos voltados ao desenvolvimento social, econômico e tecnológico da região, assim, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do Semiárido a partir da geração e apropriação do conhecimento científico e tecnológico pela sociedade. O investimento previsto é de até R$13.716.000,00. Ao todo, nove estados serão beneficiados. Oito são do Nordeste: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Sergipe; o nono é Minas Gerais, que tem sua parte norte no semiárido.

Fonte: Redação CCS/CAPES

Continuar lendoProjetos Piauienses são aprovados em Edital CAPES de Desenvolvimento da Pós-Graduação no Semiárido

Empresas piauienses participam de Rodada de Negócios online

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:23 de agosto de 2021
  • Reading time:3 mins read

As empresas piauienses qualificadas pelo Programa de Qualificação para Exportação – PEIEX estão participando da 1ª Ação de Exportação – Modelo Online Edição Norte, Nordeste e Centro Oeste, um evento online promovido pela Apex-Brasil e o Conselho Brasileiro das Empresas Comerciais Importadoras e Exportadoras (CECIEx), que teve início hoje, 16 de agosto e tem programação até o dia 19 de agosto. Os encontros estão acontecendo de forma remota através de uma plataforma virtual de rodadas de negócio contratada pela Apex-Brasil, chamada My Business Matches.

A Ação de Exportação é uma atividade implementada pela Coordenação de Qualificação do PEIEX, no formato de Rodada de Negócios entre empresas associadas e comerciais exportadoras. Trata-se da última etapa a ser desenvolvida com as empresas participantes do PEIEX e oferecer uma oportunidade para as empresas qualificadas colocarem em prática as orientações recebidas ao longo da qualificação, além de ser um meio importante para se receber feedbacks e sugestões de compradores no comércio internacional.

Entre as empresas participantes da 1ª Ação de Exportação foram escolhidas as que já tenham finalizado o atendimento PEIEX ou estejam em processo de finalização.

Empresas piauienses participantes da 1ª Ação de Exportação em 2021

Nessa etapa do programa, as empresas participantes através das qualificações oferecidas pelos Técnicos Extensionistas e pelas qualificações da Apex-Brasil já possuem conhecimentos imprescindíveis para a exportação tais como: noções iniciais de comércio exterior; conhecimento sobre exportação indireta e o papel da trading/comercial exportadora nessa operação; noções sobre como negociar com uma trading/comercial exportadora; conhecer o Radar Comercial e saber como dar entrada em um código SH (NCM) que identifique os produtos da empresa; ter noções sobre como preparar materiais de apresentação e de comunicação de seus produtos para o mercado internacional entre outros.

Podemos observar no gráfico abaixo o percentual de distribuição por setor produtivo das empresas que estão participando da 1ª Ação de Exportação:

Proporção das empresas participantes por setor produtivo.

Espera-se que a 1ª Ação de Exportação ofereça às empresas a oportunidades reais para fechamento de negócios  internacionais além de ser uma excelente chance de receber sugestões de melhorias na apresentação dos produtos, nas embalagens e nos materiais de comunicação voltados ao mercado internacional.

Agenda da 1ª Ação de Exportação:

Dia 16/08 (10h às 11h):

  • Evento de abertura;

Dias 17, 18 e 19/08 (Das 09h às 13h)

  • Reuniões individuais entre empresas e comerciais exportadoras.
Continuar lendoEmpresas piauienses participam de Rodada de Negócios online

FAPEPI realiza reunião com parceiros para nova edição do Programa Centelha Piauí

Nesta sexta-feira (6), pela manhã, ocorreu uma reunião virtual entre a Diretoria Técnico-Científica (DDTC) da Fundação de Amparo à Pesquisa no Piauí (FAPEPI) e diversas parcerias do programa Centelha Piauí para a realização da 2ª edição, que terá edital lançado em setembro.

O encontro foi promovido para avaliar a execução de uma nova edição do programa. Até o presente momento, 20 empresas do Piauí receberam recursos de subvenção e capacitações promovidas pela FAPEPI e com isso, estão executando diversos projetos de inovação empreendedora visando o aprimoramento da produção de produtos desenvolvidos com novas tecnologias. Fazem parte das instituições parceiras o SEBRAE, o Instituto Federal do Piauí (IFPI), a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), a Uninassau, a Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Estiveram também presentes representantes do Senac com vistas a participar da parceria na segunda edição do programa que terá seu edital lançado no mês de setembro de 2021.

O Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo território nacional, incentivando a mobilização e a articulação institucional dos atores nos ecossistemas locais, estaduais e regionais de inovação do país.

Na primeira edição do programa, 28 ideias de projetos foram contempladas com até R$ 60 mil em subvenção do Governo do Estado, por meio da FAPEPI. Espera-se que na sua segunda edição, novas ideias possam ter a chance de serem executadas.

Continuar lendoFAPEPI realiza reunião com parceiros para nova edição do Programa Centelha Piauí

Governo do Piauí reestrutura FUNDES aplicando novas diretrizes para CT&I

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:11 de junho de 2021
  • Reading time:6 mins read

O governador do estado Wellington Dias aprovou no dia 4 de junho a Lei N° 7.511. Esta lei, que vem com intuito de trazer novas diretrizes de incentivo à pesquisa e desenvolvimento no Piauí, irá incentivar a busca para estabelecer medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, com vistas à capacitação e ao alcance da autonomia tecnológica e ao desenvolvimento industrial do estado do Piauí, bem como promover e dar continuidade aos  processos de desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, assegurados os recursos humanos, econômicos e financeiros para essa finalidade.

O objetivo é dar estímulo à atividade de inovação nas Instituições Científica, Tecnológicas e de Inovação (ICTs) e nas empresas, inclusive para a atração, a constituição e a instalação  de centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação e de parques e polos tecnológicos no Estado, com promoção da cooperação e interação entre os setores público e privado e entre empresas, aumentando assim alguns benefícios como a competitividade empresarial no mercado estadual e o fortalecimento das capacidades operacional, científica, tecnológica e administrativa das ICTs.

Também consta entre os princípios da nova legislação o objetivo de reduzir as desigualdades territoriais do Estado, trazendo desenvolvimento de atividades de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) para outras regiões do Piauí, priorizando também as regiões em desenvolvimento, com a busca pela constituição e  instalação de centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação e de parques e polos tecnológicos no Estado, assim como o fortalecimento de suas capacidades operacionais. O Estado também se compromete a fomentar a  ciência, tecnologia e inovação com seu poder de compra e incentivar a integração  dos inventores independentes às atividades das ICTs e ao sistema produtivo. 

Os incentivos atuarão em conjunto com políticas de parceria para CT&I, como convênios para produção de pesquisa, desenvolvimento e inovação, com transferência de recursos financeiros públicos. O apoio previsto poderá contemplar as redes e os projetos nacionais e internacionais de pesquisa tecnológica, as ações de empreendedorismo tecnológico e de criação de ambientes de inovação, inclusive incubadoras, núcleos de pesquisa e parques tecnológicos, e a formação e a capacitação de recursos humanos qualificados. Ficam o Estado  do Piauí e suas entidades autorizados, nos termos do regulamento, a participar, minoritariamente, do capital social de empresas, com o propósito de desenvolver produtos ou processos inovadores que estejam de acordo com as diretrizes e prioridades definidas nas  suas políticas de ciência, tecnologia, inovação e de desenvolvimento industrial nos termos do art. 5º da Lei Federal nº 10.973/2004. 

Os acordos e contratos firmados entre as ICTs, as instituições de apoio, agências de fomento e as entidades nacionais de direito privado sem fins lucrativos voltadas para atividades de pesquisa, cujo objeto seja compatível com a finalidade desta Lei, poderão prever recursos  para cobertura de despesas operacionais e administrativas incorridas na execução destes  acordos e contratos, observados os critérios de cada instituição. O pesquisador público do   Piauí sob regime de dedicação exclusiva, inclusive aquele enquadrado em planos de carreiras e cargos de magistério, poderá exercer atividade remunerada de pesquisa, desenvolvimento e inovação em ICT ou empresa e participar da execução de projetos aprovados ou custeados com recursos previstos nesta Lei, desde que observadas as regulamentações internas do órgão de origem e assegurada a continuidade  de  suas  atividades  de  ensino  ou  pesquisa nesse órgão, a depender de sua respectiva natureza. 

A Administração Pública estadual, as agências de fomento e as ICTs públicas também contam com uma política de apoio ao inventor independente que comprove o depósito de patente de sua criação, entre outras formas, por meio da análise da viabilidade técnica e econômica do objeto de sua invenção; assistência para transformação da invenção em produto ou processo com os mecanismos financeiros e creditícios dispostos na legislação; assistência para constituição de empresa que produza o bem objeto da invenção; orientação para transferência de tecnologia para empresas já constituídas. 

Junto a esses incentivos, a nova Lei reestrutura o Fundo de Pesquisa e Desenvolvimento Técnico-Científico e de Inovação do Estado do Piauí – FUNDES, destinado a fornecer recursos para financiar pesquisa, inovação, desenvolvimento científico e tecnológico e as ações estabelecidas na política estadual de ciência, tecnologia e inovação com vistas a fomentar o avanço de todas as áreas do conhecimento, o desenvolvimento econômico, social  e sustentável, o equilíbrio territorial e as potencialidades do Estado do Piauí. Para fins desta Lei, constitui objeto da destinação dos recursos do FUNDES o apoio a programas, pesquisas, projetos e atividades de Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento e Inovação, compreendendo a pesquisa básica ou aplicada, a inovação, a difusão e transferência de tecnologia e o desenvolvimento de novos produtos e processos, de bens e de serviços, bem como, a capacitação de recursos humanos, intercâmbio científico e tecnológico e a implementação, manutenção e recuperação de ambientes promotores de inovação e infraestrutura de pesquisa.

Para fins de organização também será instituído o Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia  e Inovação como órgão superior de assessoramento do Governo do Estado, nas atividades de  formulação, acompanhamento e avaliação da política estadual de desenvolvimento científico, tecnológico e inovação, e de coordenação dos diferentes programas de pesquisa. 

Art. 30. No prazo de 6 (seis) meses, contado da publicação desta Lei, as autarquias 

e as fundações definidas como ICT pública deverão promover o ajuste de seus estatutos aos 

fins previstos na Lei nº 10.973/2004, e nesta Lei.

Continuar lendoGoverno do Piauí reestrutura FUNDES aplicando novas diretrizes para CT&I

FAPEPI lança edital para bolsas de Iniciação Científica

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:1 de abril de 2021
  • Reading time:2 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) lança nesta segunda-feira (29) o edital 002/2021, que visa apoiar as atividades de pesquisa científica, tecnológica e inovação, a fim de que pesquisadores vinculados a Instituições de Ensino e Pesquisa sediadas no Estado do Piauí a apresentarem propostas para obtenção de bolsas na modalidade Iniciação Científica (IC) para estudantes de Graduação.

O edital é uma ação do Programa de Bolsas de Iniciação Científica da FAPEPI (PBIC) e têm como objetivo despertar vocação científica e incentivar novos talentos potenciais entre estudantes de graduação, assim como estimular pesquisadores vinculados a instituições de ensino e pesquisa do estado do Piauí a promoverem o acesso de estudantes de graduação aos processos de pesquisa científica, desenvolvimento tecnológico e inovação.

Os termos do certame também objetivam garantir a participação de estudantes mulheres na iniciação científica e tecnológica, reservando pelo menos 30%, do total das bolsas aprovadas, para as estudantes matriculadas em Instituições de Ensino Superior (IES).

O valor disponibilizado é de R$480.000,00 oriundos do Tesouro Estadual, o que totaliza 100 bolsas no valor mensal de R$400,00. A recepção das propostas acontece de 29 de março a 09 de abril. Demais datas do cronograma e outras informações podem ser vistas na página do edital, clicando aqui.

Continuar lendoFAPEPI lança edital para bolsas de Iniciação Científica

Programas de Apoio à Pesquisa são aprovados pela FAPEPI

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:31 de março de 2021
  • Reading time:8 mins read

O Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Piauí (FAPEPI), durante sua primeira reunião de 2021, realizada online no dia 19 de março, aprovou a resolução de criação dos “Programas de Apoio à Pesquisa e à Formação de Recursos Humanos em Ciência, Tecnologia e Inovação” da FAPEPI, divididos em 12 modalidades, com objetivo de fortalecer ainda mais para este ano, o desenvolvimento científico e tecnológico do estado, por meio do fomento à pesquisa científica e tecnológica, da concessão de bolsas de estudos, capacitação científica e tecnológica, dentre outras atribuições. As modalidades, a saber são:

I – “Programa de Apoio à Pesquisa Científica, Tecnológica e de Inovação (PAPCTI)”:Programa de apoio e fomento à Pesquisa Científica, Tecnológica e de Inovação, por meio da concessão de auxílios a pesquisadores vinculados a Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs) do Piauí, com objetivo de apoiar a execução de projetos de grupos de pesquisas emergentes e permitir a consolidação de linhas de pesquisa prioritárias, induzindo a formação de novos núcleos de excelência; e a fixação de recursos humanos com experiência em Ciência, Tecnologia e Inovação e/ou reconhecida competência profissional em instituições de ensino superior e pesquisa, em empresas e em órgãos públicos de pesquisa e desenvolvimento que atuem em investigação científica, tecnológica e inovação.

II – “Programa Bolsa de Apoio Técnico (PBAT)”: Programa cuja finalidade principal é viabilizar a atuação de profissionais, com competência técnica e/ou científica, em instituição de ensino superior, instituição de pesquisa e desenvolvimento e órgãos públicos, sediados no estado do Piauí, para a promoção e a produção de conhecimentos, transferência tecnológica e  inovação em prol do desenvolvimento do estado do Piauí. É destinado a profissionais com formação superior e que no desenvolvimento de pesquisas deverão exercer atividades técnicas que exigem conhecimentos compatíveis com esse nível de formação; e técnicos com formação profissional de nível médio, que no desenvolvimento de pesquisas deverão exercer atividades técnicas de nível intermediário e de média complexidade.

III – “Programa de Apoio à Participação e Realização de Eventos Científicos, de Divulgação Científica e Tecnológica (PAP-Divulgação Científica)”: O Programa tem objetivo de divulgar e popularizar a produção científica e tecnológica do estado do Piauí, assim como fomentar, por meio da concessão de auxílio financeiro, o intercâmbio científico, tecnológico e de inovação para pesquisadores/professores piauienses com vínculo empregatício, ou não, em instituições de ensino e pesquisa, sediadas no Piauí, para assim propiciar o intercâmbio e a divulgação do conhecimento científico, tecnológico e inovação, como participação em eventos científicos no país e no exterior, com apresentação de trabalhos científicos e/ou tecnológicos de sua autoria resultante de pesquisa desenvolvida no Piauí; também irá apoiar a publicação e divulgação científica, assim como, a realização de eventos científicos, feiras,olimpíadas, eventos tecnológicos, entre outros, sejam eles locais, regionais, nacionais e internacionais sediados no Piauí; e, incentivar a popularização da ciência, tecnologia e inovação produzida no estado do Piauí, bem como seus resultados e aplicabilidade com impactos sociais, econômicos e de gestão.

IV – “Programa de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu (PAPG)”: Este Programa tem por finalidade conceder bolsas nas modalidades mestrado, doutorado e pós-doutorado, edestinar recurso de custeio com o objetivo de garantir e ampliar a qualidade dos Programas de Pós-Graduação sediados no estado do Piauí, assim como desenvolver um ambiente de consolidação e interiorização dos programas aprovados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). 

V – “Programa de Bolsas de Doutorado Fora do Estado (PBD)”: Programa com foco na formação de recursos humanos qualificados, fora do estado do Piauí e do Brasil, comvínculo formal permanente em instituições de educação básica, públicas ou privadas sem fins lucrativos, instituições de educação superior e pesquisa, públicas ou privadas sem fins lucrativos, órgãos públicos e empresas públicas, sediadas no Estado do Piauí, objetivando apoio a projetos nas áreas estratégicas em prol do desenvolvimento do estado do Piauí.

VI – “Programa de Bolsa de Iniciação Científica (PIBIC)”: Programa que visa contribuir para a formação de novos talentos em todas as áreas do conhecimento, através da concessão de bolsas de iniciação científica a alunos de graduação. A bolsa vincula-se ao desenvolvimentode projeto de pesquisa, sob a responsabilidade do orientador com titulação mínima de mestrado. Destina-se a incentivar a formação de novos pesquisadores, privilegiando a participação ativa de bons alunos em projetos de pesquisa com qualidade acadêmica, mérito científico e orientação adequada.

VII – “Programa de Bolsas de Iniciação Científica Júnior (PIBIC-Jr)”:Programa para a inserção de estudantes na pesquisa científica, com o objetivo de despertar a vocação científica de jovens talentos potenciais, através do incentivo à atividade científica. O programa é destinado a estudantes do ensino médio em escolas com sede no estado do Piauí e vincula-se ao financiamento de projeto de pesquisa, com bolsa ou custeio, coordenado por pesquisador/orientador, prioritariamente para alunos(as) da rede pública estadual do Piauí.

VIII – “Programa de Incentivo na Participação de Projetos (PIPaP)”:O Programa tem por objetivo apoiar o desenvolvimento de projetos de educação científica, tecnológica, inovação e empreendedorismo, com estudantes da educação básica e/ou profissionalizante, estudantes de graduação de Instituições de Ensino Superior do estado do Piauí e projetos vinculados a instituições de pesquisa sediadas no Piauí.

IX – “Programa de Apoio à Consolidação da Pesquisa nas Instituições de Ensino Superior do Estado do Piauí (PAC-IES)”: Este programa tem como objetivo fortalecer e incentivar o desenvolvimento de iniciativas que ampliem a formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação stricto sensu, em Instituições de Ensino Superior e Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT) vinculadas ao Governo do Estado do Piauí e promover melhorias das condições de infraestrutura de pesquisa, com o desenvolvimento e utilização de conhecimento científico, tecnologia e inovação tecnológica no âmbito dessas instituições.

X – “Programa de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento de Políticas Públicas em Áreas Estratégicas do Estado do Piauí (PAP-Desenvolvimento Estratégico)”: Programa que visa apoiar atividades de pesquisas induzidas e tecnologias de gestão, com a finalidade de beneficiar a formulação e implementação de produtos, processos e inovações tecnológicas vinculadas ao desenvolvimento das políticas públicas do governo do estado do Piauí.

XI – “Programa de Fomento à Inovação e Competitividade (INOVAPIAUÍ)”: O programa visa apoiar a execução de projetos científicos, tecnológicos e de inovação, destinados a Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICT), pessoas físicas e/ou jurídicas que tenham sede/residam no estado do Piauí, para propiciar o fortalecimento do ecossistema de inovação do estado, através do suporte a empresas egressas de programas de subvenção econômica, incubadoras, núcleos de inovação, aceleradoras, polos de inovação, parques tecnológicos e demais ambientes de inovação, com sede no Piauí.

XII – “Programa de Divulgação e Popularização da Ciência (SAPIÊNCIA)”: Este programa objetiva divulgar e popularizar a produção científica, tecnológica e inovação do estado do Piauí, bem como estimular o jornalismo científico piauiense por meio de ferramentas de comunicação acessíveis à população, como as redes sociais e a mídia impressa, tendo como foco principal a revista SAPIÊNCIA, em suas modalidades impressa e online, assim como propiciar a consolidação de novos veículos de informação da instituição, com o intuito de difundir e informar a comunidade científica e acadêmica sobre as ações referentes às pesquisas fomentadas no campo da Ciência, da Tecnologia e da Inovação no estado. Inclui-se também neste programa a consolidação da popularização científica internacional através do veículo online SAPIENCE; além de outras formas de divulgação e popularização realizadas em meios virtuais e impressos.

Compete ao Conselho Técnico-Administrativo da FAPEPI instituir por meio de portaria ou outras normatizações, as regras, condições, critérios técnicos, requisitos e prazos para a concessão de bolsas e auxílios de cada programa previsto nesta Resolução, por meio das chamadas públicas.

O Conselho Superior é o órgão deliberativo composto por membros nomeados pelo Governador na norma e regras definidas pela legislação da FAPEPI. Sua responsabilidade é definir, modificar e orientar as matérias relativas às políticas de prioridades e normas gerais para a Fundação. As resoluções foram publicadas no Diário Oficial do Estado, no dia 24 de março de 2021, para mais detalhes, acesse aqui (pág.20 do diário).

Continuar lendoProgramas de Apoio à Pesquisa são aprovados pela FAPEPI