CNPq lança Chamada Pública para parcerias com Pessoas Jurídicas de Direito Privado

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:25 de outubro de 2022
  • Reading time:3 mins read

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) divulga a Chamada Pública para submissão de propostas de Pessoas Jurídicas de Direito Privado interessadas em apoiar ações e projetos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação por meio de parcerias, nas seguintes linhas de interesse.

O envio das propostas ao CNPq deverá ser feito ao endereço eletrônico sespi@cnpq.br, com o assunto “Chamamento Público”, até a data limite de 30/12/2022.

• As propostas devem atender a alguns dos seguintes temas:

• Apoio ao desenvolvimento de projetos científicos, tecnológicos e de inovação;

• Formação e qualificação de pessoas para a pesquisa e inovação, no país e/ou no exterior;

• Apoio e ações de prêmios, de divulgação científica, tecnológicas e de inovação; e
Formação de redes de cooperação entre instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTS) e empresas/indústrias, no país e/ou no exterior.

Nas parcerias que envolver recursos financeiros para as ações a serem desenvolvidas, esses serão aportados pela empresa proponente, não havendo limite pré-estabelecido a ser investido.

Benefícios

• Atuação em abrangência nacional com a credibilidade do CNPq.

• Participação na agenda de pesquisa nacional.

• Fomento a ações e projetos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, a partir da demanda da empresa.

Além dos programas e modalidades de fomento já desenvolvidos e/ou mantidos pelo próprio Conselho, o CNPq tem interesse em outras ações que promovam o conhecimento científico, o desenvolvimento tecnológico e a inovação, com elevado potencial de impacto intelectual, social e econômico para o país e ainda capacidade de projetar mundialmente a ciência produzida no Brasil, observados os parâmetros internacionais de mérito e as boas práticas científicas.

O CNPq comunicará a empresa interessada a respeito da decisão pela abertura ou não de negociação para o estabelecimento da parceria pleiteada em até 45 (quarenta e cinco) dias após o recebimento da proposta.

Acesse aqui a Chamada Pública.

Acesse aqui a lista de propostas recebidas.

Fonte: CNPq

Continuar lendoCNPq lança Chamada Pública para parcerias com Pessoas Jurídicas de Direito Privado

Pesquisa apresenta vestígios paleontológicos em zonas metropolitanas de Teresina

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:26 de outubro de 2022
  • Reading time:10 mins read

Texto alterado em 26 de outubro de 2022, às 19h40.

O Piauí atualmente conta com diversos estudos e pesquisadores no âmbito da Arqueologia e Paleontologia, sendo a Serra da Capivara um dos locais mais importantes de conservação arqueológica e com uma grande riqueza de vestígios que se conservaram durante milênios. Contudo, não é apenas essa região que apresenta no território piauiense esses vestígios do passado.

A pesquisa realizada pelo Dr. Prof. Érico Rodrigues Gomes, e financiada com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), através do Edital nº 002/2021, apontou vestígios paleontológicos no entorno de Teresina e regiões metropolitanas, como José de Freitas, Nazária e Altos, por exemplo.

Floresta Fóssil de Teresina. Foto: Reprodução Internet

“Então, Teresina está cercada por um conjunto de sítios paleontológicos importantíssimos que registram a história da vida há 290 milhões de anos. Essa unidade tem idade no Permiano. Aqui temos a Formação Pedra de Fogo”, destaca o professor.

De acordo com o professor, esses fósseis são datados a partir do Período Permiano, que corresponde ao último período da Era Paleozoica. De acordo com estudos realizados pelo pesquisador Dr. Luiz Saturnino Andrade, em sua Tese de Doutorado pela Universidade Federal do Pará (2019) “a Formação Pedra de Fogo, de forma geral, representa um sistema lacustre [que está próximo a ou sobre um lago] de clima árido, endorreico [não tem saída para o mar], frequentemente afetado por regimes de tempestades e alimentado por fluviais efêmeros [temporário], na sua maioria não-canalizados”. O professor Érico Rodrigues também destaca que a geologia do local tem enorme influência da Formação Pedra de Fogo, mas também conta com outros períodos da Era Paleozoica, como o Siluriano, na Bacia Sedimentar de Parnaíba, datado há mais de 400 milhões de anos. 

“A formação Poti e Piauí é do Período Carbonífero. Mas, essencialmente, no município de Teresina domina a formação Pedra de Fogo. Teresina está inserida na bacia sedimentar do Parnaíba. É formada por um conjunto de rochas sedimentares com idade desde o Siluriano, que tem uma idade de aproximadamente de 400 milhões de anos”, destaca Érico.

De acordo com Mauro Sérgio Lima et al. (2015), no livro Métodos em Ecologia e Comportamento Animal, esse período corresponde ao “momento da história da Terra, onde se observa o surgimento e diversificação da maioria dos filos de animais, e é chamado de Fanerozóico (vida visível, em grego)”. Ele é segmentado em três Eras. A primeira Era é denominada de Paleozoica, e que por sua vez, responde pelo surgimento da maioria dos animais atuais. Esta Era Paleozoica, é dividida em seis períodos, compreendendo, assim, o período Siluriano, como o terceiro período da Era Paleozoica, o Carbonífero o quinto, e o Permiano o sexto.  

“Esta unidade, em Teresina, é marcada pela presença de fósseis. Não só em Teresina, mas no entorno da capital também, como por exemplo, Altos, onde foi identificada a floresta fóssil, na zona rural. Aqui em Nazária foram identificados alguns antigos lagos com alguns peixes. Em José de Freitas, foi identificado um antigo ambiente marinho raso, riquíssimo em Bivalves e Gastrópodes, organismos invertebrados de ambiente marinho”, acrescenta.

O professor conta que existem registros importantes de troncos fossilizados em nossa região e que, por sua vez, apresentam maiores indícios da presença desses fósseis em regiões rurais.

“Em Teresina, a despeito de ser cercada por importantes sítios paleontológicos, como Nazária, José de Freitas e Altos. Teresina também tem registros importantíssimos, principalmente de troncos fossilizados de idade permiana, em torno de 290 milhões de anos atrás. Quando o clima aqui da região [Piauí, Maranhão], que hoje é a bacia sedimentar do Parnaíba, é de clima árido. E nessa região em particular existiam algumas lagoas. Grandes lagoas, onde hoje seria o vale do grande rio Parnaíba”, destaca Érico.

Presença de fósseis em Teresina. Foto: Reprodução Internet

O professor conta que a pesquisa apresenta essa região onde hoje se localiza os municípios de Teresina, José de Freitas e Altos, como um local de incidência de oásis que circundavam os grandes lagos que existiram há 290 milhões de anos. O professor também destaca como é o processo de formação das florestas fósseis.

“É fácil imaginar, são lagos, se pesquisar na internet vocês vão ver aí, aqueles locais com palmeiras em volta, vegetação, né. Era a mesma coisa só que 290 milhões de anos atrás. Esses oásis, essas lagoas, eram circundadas por uma vegetação exuberante em eventos de chuvas torrenciais típicas de regiões áridas e semiáridas, demora chover. Mas quando vem, aparece aquela tromba d’água. Então, inundava, alagava e algumas dessas árvores foram soterradas e depois houve um processo chamado de permineralização. Assim, essas árvores e troncos foram então fossilizados”, conta o professor.

Em Teresina, em particular, o professor destaca que há a presença de troncos fossilizados na zona rural. Ao norte de Teresina. E especialmente ao longo do rio Poti, em uma ilha paleontológica próxima à região do zoobotânico. É possível visitar a floresta fóssil mais conhecida em nossa capital, e que está localizada em frente ao Teresina Shopping. 

“Também há a presença de troncos na região da Alegria, mais ao sul. Então ao longo do Vale do Rio Poti, ele é riquíssimo em fósseis. Não só de troncos, mas também estromatólitos”, destaca Érico.

Perguntado sobre os problemas que envolvem esses locais, Érico relatou que um dos principais problemas é a degradação ambiental encontrada nesses sítios fossilíferos, e como que esses impactos ambientais interferem na preservação desse patrimônio natural paleontológico em nosso estado.

“Eu acho que o principal problema nesses sítios paleontológicos é o descaso. E o desconhecimento por parte da população, da sua importância ao contar uma parte da história da Terra, particularmente, desse pedaço de chão, o nosso estado do Piauí. Há um desconhecimento muito grande das pessoas. Por conta disso, o projeto foi prorrogado por mais um ano, justamente para trabalhar a educação ambiental, trabalhar a divulgação nas escolas, trabalhar a divulgação com os pescadores, trabalhar a divulgação com banhistas, em locais onde tenham fósseis nas proximidades.

Instituições como a FAPEPI são importantes para que essas pesquisam possam ocorrer, e com o aporte necessário para o desenvolvimento dos estudos, seja possível preparar políticas públicas de preservação desses espaços. Esse é um compromisso que os próximos governos devem manter com o nosso estado. 

“É um processo lento, e difícil, trabalhando com adultos e com crianças. Mas a gente vai conseguir, tenho certeza, através do apoio da FAPEPI nessas ações. Então, o impacto ambiental, um dos principais é a queimada. E muitas vezes os pescadores utilizam. Juntam os troncos ali para fazer aquela fogueira, e pela noite fazem o fogo para cozinhar o alimento, imagino, talvez, para cozinhando o peixe também. Então, ao tocar fogo e os fósseis sendo usados como apoio para as panelas é o final desse evento né, o tronco se quebra todo. Então, é uma perda irreversível. Algo que está preservado há mais de 290 milhões de anos em segundos é destruído”, desabafa Érico.

O professor conclui que é necessário conscientizar à população, pescadores, banhistas, turistas e demais pessoas que passam e moram por essas regiões. Algumas necessidades básicas, como cozinhar o alimento podem acabar prejudicando esse patrimônio pelo simples desconhecimento de sua importância para a humanidade.

“A gente precisa educar esses pescadores, para que ao fazerem essas fogueiras, eles precisam conhecer o que é um tronco fóssil para poder identificar e evitar esse tipo de ação danosa ao patrimônio. E claro, estamos falando de leito de rios, riacho São Vicente, rio Poti, todo o impacto ambiental que envolvem esses rios: saneamento; falta de saneamento; esgoto; desmatamento em suas margens, são impactos que, de certa forma, também atingem esse patrimônio natural paleontológico que é encontrado no seu leito e em suas margens”, destaca.

O turismo local e cooperação científica também são prejudicados com o descaso ocasionado pelo desconhecimento desses fósseis, e o descaso com a preservação desses espaços é preocupante. 

“Como vou levar um turista ou pesquisador? Já aconteceu várias vezes, estava acompanhado de pesquisadores de fora que foram conhecer, visitar. Estão abandonados, estão com todo tipo de resíduos. Água contaminada, falta de saneamento, etc. Isso prejudica nossa cidade, prejudica nosso estado, e mostra um descaso com a questão ambiental que nós vivemos, infelizmente. Mas há uma política de saneamento básico em curso na nossa cidade, no nosso estado, então tem sempre esperança que as coisas melhorem e que vai melhorar”, finaliza.

Continuar lendoPesquisa apresenta vestígios paleontológicos em zonas metropolitanas de Teresina

PoP-PI realiza Workshop de Tecnologias de Redes do estado nos dias 20 e 21/10

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:1 de novembro de 2022
  • Reading time:1 mins read

O Ponto de Presença da RNP no Piauí (PoP-PI), sediado na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) realiza, em formato online, o Workshop de Tecnologias de Redes do estado (WTR-PI), nos dias 20 e 21/10. O evento gratuito é voltado para líderes, gestores, estudantes, pesquisadores, agentes de transformação e técnicos da área de TIC piauienses, que atuam em empresas, academia ou governo e desejam ampliar seus conhecimentos e competências.

 “Serão dois dias de muito aprendizado, intercâmbio de experiências e disseminação de novas tecnologias. Na programação, teremos várias palestras incluindo uma do diretor-geral da RNP, Nelson Simões, que falará sobre os mais de 30 anos da organização. O público contará, ainda, com um minicurso sobre RPKI, oferecido pelo Nic.Br”, conta a coordenadora administrativa do PoP-PI. Rizalva Santos.

Confira a programação completa e faça sua inscrição por AQUI!

Continuar lendoPoP-PI realiza Workshop de Tecnologias de Redes do estado nos dias 20 e 21/10

Pesquisa destaca resistência bacteriana à amoxicilina na cavidade bucal em crianças

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:20 de outubro de 2022
  • Reading time:5 mins read

Está em andamento o trabalho de pesquisa coordenado pelo professor, Dr. Prof. Patrick Veras Quelemes, Mestre em Farmacologia e Doutor em Biotecnologia na Universidade Federal do Piauí, intitulado “Prevalência e Caracterização de Bactérias Resistentes à Amoxicilina na Cavidade Bucal de Crianças com Risco de Endocardite Infecciosa e Fatores Associados”. O projeto é contemplado pela Fundação de Amparo à Pesquisa no Piauí – FAPEPI através do Edital Programa De Infra-Estrutura Para Jovens Pesquisadores / Programa Primeiros Projetos (PPP) – / MCT/ CNPq Nº 007/2018.

A endocardite infecciosa (EI) é uma condição grave que pode afetar adultos e crianças portadores de determinadas cardiopatias que é um termo genérico utilizado pelos médicos para designar doenças e condições médicas capazes de afetar o coração e o sistema vascular de pacientes em qualquer idade, entre os principais tipos de cardiopatia podemos incluir hipertensão (pressão alta), doença arterial coronariana, arritmia cardíaca e também condições mais graves como parada cardíaca ou mesmo derrame cerebral.

O risco de  infecção do endocárdio representa um desafio na prática odontológica, já que essa condição pode ser causada pela bacteremia transitória, principalmente por estreptococos, proveniente da realização de procedimentos críticos como exodontias, raspagens e tratamentos endodônticos em pacientes susceptíveis, geralmente, portadores de cardiopatias. Para evitar esse quadro, é indicada a realização de profilaxia antibiótica previamente aos procedimentos citados, cujo medicamento padrão é a amoxicilina. No entanto, devido ao uso excessivo e/ou indiscriminado dessa droga, bactérias resistentes têm sido detectadas na cavidade bucal fazendo com que, mesmo sendo administrada a profilaxia antibiótica, pacientes continuem com risco de desenvolver a EI, especialmente crianças. O objetivo deste projeto é, portanto, estabelecer a prevalência de bactérias resistentes à amoxicilina na cavidade bucal de crianças com risco de EI, além de verificar fatores relacionados.

“Esse problema ele pode atingir tanto adultos como crianças, sendo que atualmente é considerado que além da manutenção de uma boa saúde bucal, o único método de prevenção da endocardite infecciosa é a profilaxia antibiótica, que é a tomada de antibiótico previamente, 01h00 antes, ao procedimento odontológico que essa criança ou esse adulto passa a submeter. Essa antibioticoterapia é realizada com antibiótico chamado Amoxicilina.” conta o coordenador do projeto.

Dr. Prof. Patrick Veras. Foto: Reprodução

Apesar de a resistência antibiótica ser um tema de relevância global, até o momento, não existem dados publicados sobre a prevalência de estreptococos resistentes ao antibiótico citado em crianças brasileiras. Neste contexto, no estado do Piauí, segundo dados colhidos junto ao Hospital Infantil Lucídio Portella, o número de crianças portadoras de cardiopatias que são susceptíveis à EI é relevante. Assim, sensibilizados por esta problemática e tendo constatado a escassez de dados sobre o tema, propomos este projeto, cujo objetivo principal é determinar a prevalência de bactérias resistentes à amoxicilina na cavidade bucal de crianças portadoras de cardiopatias, que formam um grupo com risco de acometimento da endocardite infecciosa.

Além disso, o desenvolvimento deste projeto possui concreta possibilidade de fomentar a recente criação do primeiro grupo de pesquisa voltado à vigilância de micro-organismos resistentes na cavidade bucal de crianças, adultos e idosos no estado do Piauí, o que colabora, de sobremodo, para a criação de estratégias a serem traçadas no âmbito da saúde pública, com intuito de manejar-se tal situação, com vistas à diminuição de agravos, bem como para desenvolvimento científico relacionado a essa casuística no estado do Piauí.

“Os nossos resultados encontrados até o momento são bastante preocupantes, visto que, por exemplo, se nós avaliarmos 15 crianças em 14, nós iremos encontrar estreptococos resistentes à amoxicilina em sua boca. Nós temos a previsão de concluir nosso projeto até dezembro. Queremos fazer, claro, uma publicação científica, mas independente disso, o impacto dos nossos resultados ele deve vir a conscientizar a classe odontológica de que se deve ter uma preocupação com essa questão da resistência bacteriana nesses pacientes, inclusive com a geração de políticas públicas, que posso assisti-los de uma forma melhor”, finaliza. 

Continuar lendoPesquisa destaca resistência bacteriana à amoxicilina na cavidade bucal em crianças

FAPEPI divulga resultado final da 1ª FASE do CENTELHA II PIAUÍ

  • Post author:
  • Post category:CentelhaNotícia
  • Post last modified:18 de outubro de 2022
  • Reading time:3 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), divulga nesta terça-feira (11) o Resultado Final da 1ª Fase do Edital nº002/2022 – Centelha II Piauí.

O Programa é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), operada pela Fundação CERTI e executada no Piauí pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (FAPEPI).

O Diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (DDCT) da FAPEPI, Ciro Gonçalves Sá, ressalta que nessa primeira etapa foram selecionados 200 projetos para desenvolvimento de empreendimentos inovadores. Ele também destaca que ao todo 416 projetos foram submetidos na primeira fase.

“Chegamos ao final da primeira fase do Centelha II Piauí. Essa primeira fase, teve como intuito selecionar ideias inovadoras que buscam empreendimentos de sucesso no Piauí. Nesse primeiro momento, foram avaliadas as 200 ideias entre 416, onde se destaca projetos que englobam a educação, saúde, tecnologia da informação, entre outros projetos”, destaca Ciro Sá.

Como funciona

O Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo território nacional, incentivando a mobilização e a articulação institucional dos atores nos ecossistemas locais, estaduais e regionais de inovação do país.

No endereço eletrônico, é possível obter mais informações sobre o programa e seu edital detalhado em todos os estados. 

“É importante destacar que, a partir de agora, os 200 projetos aprovados na primeira fase terão uma nova concorrência, e deverão novamente submeter seus projetos, identificando quais são as características importantes para um empreendimento de sucesso; como eles pretendem ganhar dinheiro a partir da sua ideia; e como o projeto será desenvolvido ao longo do Programa Centelha”, finaliza Ciro.

Continuar lendoFAPEPI divulga resultado final da 1ª FASE do CENTELHA II PIAUÍ

Última semana para inscrição no Edital CAPES para concessão de bolsas à leitores no exterior

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:20 de outubro de 2022
  • Reading time:2 mins read

Termina na próxima sexta-feira (14), o período de inscrições para o Programa Leitorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O prazo inclui o preenchimento do formulário e envio da documentação obrigatória. O resultado preliminar da seleção do Edital nº 36/2022 será publicado até 14 de dezembro, enquanto a avaliação e indicação dos leitores escolhidos pelas instituições de ensino superior acontecem até janeiro de 2023.

O programa, executado em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, selecionará leitores brasileiros que serão enviados à universidades estrangeiras para difundir a língua portuguesa falada no Brasil e dar visibilidade à literatura, à cultura e aos estudos nacionais. Para participar, é necessário ser licenciado e, no mínimo, mestre nas áreas de Linguística ou Letras.

O resultado final da seleção está previsto para janeiro de 2023 e até fevereiro os participantes farão curso de habilitação para leitores. As atividades nas universidades estrangeiras começarão em março. A iniciativa conta com a parceria de 19 instituições de ensino superior em 17 países: Alemanha, Argentina, Bélgica, Canadá, Cabo Verde, China, França, Guiné Bissau, Irlanda, Itália, Líbano, Moçambique, Paraguai, Rússia, São Tomé e Príncipe, Timor Leste e Uruguai.

As inscrições podem ser realizadas no link disponível.

Outra informações acerca do edital podem ser acessadas neste link.

Fonte: Redação – CCS/CAPES

Continuar lendoÚltima semana para inscrição no Edital CAPES para concessão de bolsas à leitores no exterior

CONFAP Lança Chamada Transnacional Conjunta ORD – Apoio à Ciência Aberta

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:11 de outubro de 2022
  • Reading time:2 mins read



O Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com o consórcio CHIST-ERA e a Comissão Europeia, anunciam o lançamento da Chamada Transnacional Conjunta ORD – Apoio à Ciência Aberta.

A chamada tem por objetivo apoiar projetos colaborativos de pesquisa e inovação voltados à Ciência Aberta, abordando temáticas ligadas a dados e softwares de pesquisa abertos ou compartilhados, em todas as áreas do conhecimento. O orçamento global disponível para a chamada é de aproximadamente 6 milhões de euros.
No Brasil, o apoio será concedido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pelas Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) que participam da chamada.


Submissão de propostas

Para submissão de propostas, os pesquisadores brasileiros devem buscar parcerias internacionais. O consórcio do projeto de pesquisa deve ter no mínimo 3 parceiros, incluindo no mínimo 3 países que participam da chamada, são eles: Bélgica, Brasil, República Tcheca, França, Lituânia, Luxemburgo, Polônia, Eslováquia, Suíça, Turquia e Reino Unido.

Os candidatos brasileiros devem consultar as regras específicas de elegibilidade e modalidades de participação via CNPq ou via FAPs na página oficial da chamada. Acesse a íntegra da chamada e a plataforma de submissão de propostas em: www.chistera.eu/call-ord-announcement

Cronograma

Prazo para submissão de propostas: 14 de dezembro de 2022;
Aprovação de projetos: junho de 2023;
Início dos projetos aprovados: a partir de setembro de 2023.

Questões gerais e técnicas sobre a chamada podem ser esclarecidas com o Ponto de Contato Nacional do CONFAP: Elisa Natola (elisa.confap@gmail.com) ou do CNPq: Dileine Cunha (dileine.cunha@cnpq.br).

No dia 28 de novembro de 2022, será realizado o webinar informativo sobre a chamada. Para participar inscreva-se em: www.chistera.eu/call-ord-info-webinars.

Continuar lendoCONFAP Lança Chamada Transnacional Conjunta ORD – Apoio à Ciência Aberta

FAPEPI participa de Seminário de Acompanhamento do Programa de Desenvolvimento da Pós-graduação no semiárido

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:11 de outubro de 2022
  • Reading time:5 mins read

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES realizou nesta sexta-feira (07) em João Pessoa o 1° Seminário de Acompanhamento dos projetos aprovados no âmbito do Edital nº 04/2021 – Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) – Apoio ao Desenvolvimento da Região Semiárida Brasileira, no formato presencial, entre os dias 6 e 7 de outubro de 2022, das 9h às 18h, no auditório do Sesc, Cabo Branco. O evento indicou as vocações e potencialidades identificadas na região semiárida em que se realiza o projeto e como se dará a formação de mestres e doutores e realização de pesquisas.

O representante do Piauí no evento foi o Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), Antônio Cardoso do Amaral, que compareceu , em conjunto com os Coordenadores dos Programas de Pós-graduação (PPG) amparados pela instituição. Eles apresentaram seus projetos:

Bioprospecção de meios para produção in vitro de embriões caprinos e ovinos: uma necessidade biotecnológica para o semiárido piauiense;

Tecnologia sustentável para o semiárido piauiense: uso de bactérias promotoras de crescimento para otimizar o desenvolvimento, fisiologia e produtividade da palma forrageira para alimentação animal;

Do semiárido para o semiárido: desenvolvimento biotecnológico de hidrogéis superabsorvente provenientes de fontes vegetais para uso eficiente de água e de nutrientes.

Eixos Estratégicos

Os projetos aprovados tiveram Programas de Pós-Graduações (PPG’s) associados aos Eixos Estratégicos:  Agroindústria no Semiárido e Biotecnologia no semiárido.

As Bolsas que foram disponibilizadas a partir dos investimentos do edital correspondem, respectivamente:

  • 7 bolsas de mestrado;
  • 8 bolsas de doutorado;
  • 9 bolsas de pós-doutorado;

Ampliar o conhecimento, a produção científica e a adoção de inovações tecnológicas que contribuem para o desenvolvimento sustentável da região Semiárida é o foco do evento. O potencial de oferecer subsídios à criação de políticas públicas orientadas à transformação regional, a partir de suas potencialidades e oportunidades, e as ações e os resultados que contribuem para o desenvolvimento econômico e social do Semiárido a partir da geração e apropriação do conhecimento científico e tecnológico pela sociedade.

O intuito é o diálogo entre os participantes sobre a necessidade que as instituições têm de garantir à redução das assimetrias no Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG), por meio da formação de recursos humanos de alto nível, valorização das vocações e potencialidades identificadas na região Semiárida do país e realização de pesquisas nos eixos estratégicos, que viabilizadas através de editais.

A programação teve início às 9 horas, e contou com as presenças da presidente da CAPES, Cláudia Mansani Queda de Toledo, Roberto Germano Costa. Confirmaram presença a diretora de Programas e Bolsas no País – Profa. Zena Martins, o coordenador-geral de Programas Estratégicos – Júlio Piffero, o coordenador de Programas Especiais da CAPES – Márcio de Castro; a coordenadora de Programas e Projetos da FAPESQ, Patrícia Costa; representantes das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa de vários estados, representantes de institutos de pesquisa do país e pesquisadores. Fazem parte da programação também as pesquisas desenvolvidas nos estados de Pernambuco, Bahia, Alagoas, Paraíba, Sergipe, com ações Inovadoras para valorização e sustentabilidade do Semiárido em seus estados.

Continuar lendoFAPEPI participa de Seminário de Acompanhamento do Programa de Desenvolvimento da Pós-graduação no semiárido

FAPEPI lança nota de repúdio sobre Fake News acerca do Edital n°007/2022

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:11 de outubro de 2022
  • Reading time:1 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), vem nesta quinta-feira (06), por meio desta nota, repudiar as notícias falsas que estão circulando nas redes sociais sobre o Edital FAPEPI n°007/2022 – Programa de Apoio à Fixação de Jovens Doutores no Brasil.

Notícias falsas sobre editais da FAPEPI circulam nas redes sociais.

Informações sobre editais, requisição de documentos e notas técnicas são divulgadas estritamente no site e redes sociais da instituição.

As autoridades já tomaram conhecimento quanto as notícias falsas e estão sendo acionadas para medidas cabíveis.

Assessoria de Comunicação da FAPEPI

Continuar lendoFAPEPI lança nota de repúdio sobre Fake News acerca do Edital n°007/2022

FAPEPI requisita documentos para implantação dos selecionados nos editais de iniciação científica e pós-graduação

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:6 de outubro de 2022
  • Reading time:1 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), divulgou nesta terça-feira (04) Nota Técnica e demais documentos referentes aos seguintes Editais:
N°004/2022 — Programas de Bolsas de Iniciação Científica da FAPEPI
N°005/2022 — Programa de Apoio a Pós-graduação Stricto sensu – Mestrado e Doutorado

Os documentos requisitados são obrigatórios para realização das implantações dos selecionados.

A Nota Técnica e os demais documentos podem ser acessados nos links a seguir.

Documentos requisitados Edital N°004/2022
Documentos requisitados Edital N°005/2022

Continuar lendoFAPEPI requisita documentos para implantação dos selecionados nos editais de iniciação científica e pós-graduação