A FAPEPI realiza hoje (27) oficina para submissão de propostas para o Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) no Semiárido. Esse é o mais novo programa estratégico induzido da CAPES em parceria com o Conselho Nacional de Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI). A oficina ocorrerá através da plataforma virtual da Rede Nacional de Pesquisa (RNP) às 15h.

A iniciativa direciona investimentos para áreas específicas e programas de pós-graduação (PPGs) emergentes ou em consolidação. Por esse modelo, as instituições tem estimulado pesquisas como o combate à pandemia e apoio à pós-graduação na Amazônia Legal.

A divulgação do resultado preliminar no Diário Oficial da União deve ocorrer a partir de 30 de junho. E os cinco dias seguintes à publicação são o período para uma nova fase de recursos.

O resultado final sairá a partir de 20 de julho. Também em julho estão previstas as assinaturas dos acordos de cooperação, com vigência de 48 meses, que autorizam o início da implementação dos projetos.

Esta é a segunda cooperação entre CAPES/CONFAP/FAPEPI. Assim como ocorre no PDPG – Parcerias Estratégicas nos Estados. O objetivo é formar pessoal altamente qualificado e fomentar pesquisas que apoiem o desenvolvimento social, econômico e tecnológico na região.

Até 30 projetos serão financiados pela CAPES, cada FAP que compõem a região Semiárida (a parte norte de Minas Gerais e nove estados nordestinos: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) poderá enviar até 4 projetos. Cada um terá até R$457.200,00 para implementar bolsas — três de pós-doutorado, com duração de 12 meses, três de doutorado, de 36 meses, e duas de mestrado, de 24 meses. Caso o programa de pós-graduação não possua curso de doutorado, são até cinco bolsas de mestrado e três de pós-doutorado, com financiamento de até R$ 327.600,00.

Para saber mais acesse nosso site através do link.

Fonte:  CCS/CAPES

Deixe uma resposta