PRESIDÊNCIA DA FUNDAÇÃO

Antonio Cardoso do Amaral

Diretor Presidente

Licenciado em Matemática pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI/2004) e Mestrado em Matemática no Programa Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional ? PROFMAT, sob a orientação de João Xavier da Cruz Neto, pela Universidade Federal do Piauí (2014). Professor de Matemática na rede estadual atuando no Ensino Fundamental e Ensino Médio na escola CETI Augustinho Brandão no município de Cocal dos Alves ? PI (2003/atual). Professor efetivo na rede municipal de Cocal dos Alves (PI) para atuar nas Séries Finais do Ensino Fundamental e EJA (licenciado/cedido para o Governo Estadual). Responsável, desde o ano de 2005, em colaboração com colegas professores, pelo incentivo e treinamento de alunos para as Olimpíadas de Matemática, ajudando na difusão do conhecimento e na inserção de jovens para as ciências. Agraciado em 2015 com o Prêmio Anísio Teixeira pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Membro do Conselho Técnico Científico da Educação Básica da CAPES – CTC/EB (2011/2017). Especialista na área de Matemática para a elaboração da Base Nacional Comum Curricular ? BNCC (2015/2016). Membro da Comissão Acadêmica Nacional do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional ? PROFMAT (2015/2020). Atualmente é Diretor Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí – FAPEPI, Membro do Conselho Diretor da Associação Nacional dos Professores de Matemática – ANPMat (quadriênio 2021/2024), Membro da Comissão Nacional de Olimpíadas da SBM e Presidente do Conselho Fiscal da Academia de Ciências do Piauí (triênio 2020/2022).

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO

Compete ao Diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, dentre outras, as seguintes atribuições:

I – Coordenar e executar as atividades de inovação e popularização da ciência.

II – Acompanhar e avaliar a execução das atividades de inovação e popularização da ciência, identificando os acertos e erros e o alcance dos objetivos e metas programadas.

III – Administrar a concessão de bolsas, auxílios e subvenções vinculadas a referida diretoria.

IV – Definir propostas de inovação e popularização da ciência, capacitação de recursos humanos e a realização de eventos.

V – Encaminhar ao Conselho Técnico-Administrativo as propostas de inovação e popularização da ciência.

VI – Apresentar ao Conselho Técnico-Administrativo o plano de trabalho da Diretoria de Desenvolvimento Científico e Tecnológico em consonância com as diretrizes da política de ciência e tecnologia do Estado do Piauí.

VII – Orientar o Conselho Técnico-Administrativo na elaboração do plano de trabalho da FAPEPI.

VIII – Manter intercâmbio com entidades governamentais e não-governamentais, nacionais ou estrangeiras, objetivando viabilizar o fomento à inovação e popularização da ciência do Estado.

IX – Propor estratégias de apoio às atividades de inovação e popularização da ciência.

X – Participar como membro nato das reuniões do Conselho Técnico-Administrativo.

XI – Elaborar e apresentar ao Conselho Técnico-Administrativo relatório semestral de atividades.

XII – Executar outras atividades inerentes a sua área de competência.

XIII – Pronunciar-se, fundamentalmente, nos processos a serem submetidos à decisão do Presidente, quando for o caso.

XIV – Propor normas e procedimentos operacionais que disciplinem e orientem a gestão e execução de ações em prol do Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Ciro Gonçalves e SáDiretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – DDCT

Possui graduação em Licenciatura Plena em Química pela Universidade Estadual do Piauí (2003) Bacharelado em Farmácia pela Universidade Federal do Piauí (2005). Pós graduação em nível de Especialização em Saúde Pública (2007) e em Citopatologia (2010), em Nível de Mestrado em Ciências Farmacêuticas (UFPI 2010/2011) e Doutorado em Farmacologia e Química Medicinal (UFRJ LASSBio 2012/2017). Experiência na Farmácia Equilíbrio em manipulação (2008/2011). Professor do Ensino Médio e Técnico (2003/2019). Professor da Universidade Federal do Piauí (2007/2009) na Universidade Salgado de Oliveira (2014/2016) e na Faculdade Maurício de Nassau em Teresina-PI (2017/atual). Redator do Currículo do Ensino Fundamental do Piauí na área de Ciências da Natureza e Médio na área de Química. Diretor de Inovação da Fundação de Amparo a Pesquisa do Piauí (FAPEPI) (2019/atual).

DIRETORIA TÉCNICO-CIENTÍFICA

À Diretoria Técnico-Científica, compete:

I – Coordenar e executar as atividades técnico-científicas.

II – Acompanhar e avaliar a execução das atividades técnico-científicas, identificando os acertos e erros e o alcance dos objetivos e metas programadas.

III – Administrar a concessão de bolsas, auxílios e subvenções.

IV – Encaminhar aos consultores “ad hoc” as propostas de apoio às atividades de pesquisa, capacitação de recursos humanos e a realização de eventos.

V – Encaminhar ao Conselho Técnico-Administrativo, para devida apreciação, os processos analisados pelos consultores.

VI – Apresentar ao Conselho Técnico-Administrativo o plano de trabalho da Diretoria Técnico-Científica em consonância com as diretrizes da política de apoio à pesquisa científica e tecnológica do Estado do Piauí.

VII – Orientar o Conselho Técnico-Administrativo na elaboração do plano de trabalho da FAPEPI.

VIII – Manter intercâmbio com entidades governamentais e não-governamentais, nacionais ou estrangeiras, objetivando viabilizar o fomento da pesquisa em ciência e tecnologia do Estado.

IX – Propor estratégias de apoio às atividades de ciência, tecnologia e inovação.

X – Participar como membro nato das reuniões do Conselho Técnico-Administrativo.

XI – Elaborar e apresentar ao Conselho Técnico-Administrativo relatório semestral de atividades.

XII – Executar outras atividades inerentes a sua área de competência.

XIII – Pronunciar-se, fundamentalmente, nos processos a serem submetidos à decisão do Presidente, quando for o caso.

XIV – Propor normas e procedimentos operacionais que disciplinem e orientem a gestão e execução de natureza técnicas e científicas.

Nayana Pinheiro Machado de Freitas CoelhoDiretora Técnico-Científica – DTC

Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade de Fortaleza- UNIFOR – CE(1998). Mestrado em Ciências e Saúde pela Universidade Federal do Piauí- UFPI-PI(2007) e Doutorado em Engenharia Biomédica pela Universidade do Vale do Paraíba- UNIVAP – SP (2013). Atualmente é Docente com Dedicação Exclusiva, Adjunto IV do Curso de Fisioterapia da Universidade Estadual do Piauí- UESPI, Diretora Técnico Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Piauí- FAPEPI e Avaliadora do Sistema Basis do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Pesquisadora atuante nas Linhas de Pesquisa: Fisioterapia Clínica e Experimental e Produtos Sintéticos e Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: Fisioterapia, Inflamação, Reparo tecidual, Diabetes , Espectroscopia Raman, Plantas medicinais.

DIRETORIA ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA

Compete ao Diretor Administrativo-Financeiro, dentre outras, as seguintes atribuições:

I – Dirigir e coordenar com probidade e moralidade as ações relacionadas a finanças, material, pessoal e serviços.

II – Elaborar planos de trabalho referentes à coordenação das atividades de pessoal, material, serviços gerais, financeiros e orçamentários.

III – Coordenar a elaboração do orçamento financeiro anual e submetê-lo à apreciação do Conselho Superior.

IV – Acompanhar a execução financeira de convênios e projetos.

V – Estabelecer critérios para efetivação de despesas correntes.

VI – Assinar cheques em conjunto com o Presidente.

VII – Elaborar relatório anual de prestação de contas assessorado pela Divisão de Execução Orçamentária.

VIII – Encaminhar aos órgãos competentes toda documentação comprobatória de despesa e de solicitação de recursos dentro dos prazos preestabelecidos.

IX – Conceder direitos e atribuir obrigações aos servidores, de acordo com a legislação vigente. 

X – Aprovar a escala anual de férias de pessoal da FAPEPI.

XI – Coordenar a avaliação de desempenho do pessoal da FAPEPI e encaminhar aos órgãos competentes.

XII – Propor a indicação de servidores para constituir a comissão de inventário de bens patrimoniais e materiais de estoque.

XIII – Promover aquisição de material de acordo com a legislação em vigente.

XIV – Autorizar as requisições internas de material.

XV – Autorizar a requisição e a abertura de processos.

XVI – Fornecer ao presidente do Conselho Técnico-Administrativo, dados e/ou informações relativas às atividades desenvolvidas pela diretoria.

XVII – Participar como membro nato das reuniões do Conselho Técnico-Administrativo e como convidado das reuniões do Conselho Superior. 

XVIII – Assessorar ao Presidente nas suas respectivas áreas de ação.

XIX – Manter o Presidente devidamente informado de todos os atos praticados na Diretoria.

XX – Elaborar e encaminhar ao Presidente relatório semestral das atividades desenvolvidas.

XXI – Executar outras atividades inerentes à sua área de competência.

XXII – Propor normas e procedimentos operacionais que disciplinem e orientem a gestão e execução financeira das atividades desenvolvidas pela FAPEPI.

O serviço de Administração terá a organização e suas prerrogativas que lhe forem conferidas pelo Conselho Técnico-Administrativo e funcionará sob a direção do Diretor Administrativo-Financeiro.

Raimundo Ernaldo Gomes ValeDiretor Administrativo Financeiro