Segunda edição do programa vai investir recursos não reembolsáveis em ideias empreendedoras do Piauí

Foram abertas nesta sexta-feira as inscrições da segunda edição do Centelha, programa que estimula ideias empreendedoras e inovadoras por meio de injeção de recursos, capacitação e suporte para os futuros empresários do Piauí. O lançamento do Centelha 2 aconteceu no auditório da Sasc e teve a presença do presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), Antônio Cardoso de Amaral, do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Paulo Alvim, entre outras autoridades.

Centelha II é lançado no Piauí (FOTO: Yury Pontes)

Ao todo, serão investidos R$ 5,2 milhões para 61 ideias inovadoras no Piauí, sendo que cada projeto receberá até R$ 53 mil para investir na empresa, e cada futuro empreendedor terá direito a uma bolsa de até R$ 26 mil durante 12 meses, que é o período de execução do programa. Ao todo, o Centelha arcará com 95% do investimento, cabendo ao candidato apenas 5% do valor).

As inscrições para o Centelha podem ser feitas até dia 09 de junho, às 13h, por meio do site do programa Centelha, onde o candidato também pode baixar o edital com todas as informações. O programa tem três etapas e para fazer a inscrição não é necessário o candidato ter CNPJ. “O futuro empreendedor só precisará abrir uma empresa caso seja selecionado”, explica Amaral.

Lançamento contou com a presença do Ministro do MCTI, Paulo Alvim. (FOTO: Yury Pontes)

A primeira edição do programa foi lançada em 2020. Das 276 ideias empreendedoras inscritas no Piauí, 23 foram selecionadas, sendo que 20 deram continuidade ao projeto e receberam, cada uma, até R$ 60 mil, além de mentorias e suporte. Várias dessas ideais já viraram empresas piauienses e entraram no mercado, gerando emprego e renda.

Uma dos cases de sucesso do Centelha 1 é a empresa piauiense Mandala do Sabor, que usou recursos do programa para desenvolver o produto o lança-lo no mercado. A empresa expôs os produtos no evento para o público presente.

Antônio Cardoso do Amaral ressaltou que o programa é uma grande oportunidade para quem quer abrir sua empresa, mas não tem recursos ou crédito. Ele citou que só foi possível a realização do Centelha graças a parcerias com diversos órgãos e entidades. “Todos os órgãos e instituições são fundamentais para o sucesso do programa. Além do Ministério, temos a Finep, a Sudene, a Fundação CERTI e CNPq”, afirmou o presidente.


Representando a governadora Regina Sousa, o presidente da Agência da Tecnologia da Informação do Piauí (ATI), Antônio Torres, destacou a importância dos entes Estado, Município e União para o desenvolvimento do programa. “É esse o papel do poder público. Trabalhar em prol do cidadão”, frisou.

O ministro Paulo Alvim frisou que o Centelha 2 é um exemplo prático de que a iniciativa virou um programa de Estado. “ Com o lançamento da primeira edição do Centelha em 2019 e o sucesso do programa, decidimos então lançar novas edições, transformando-o em uma política de Estado. Então, vamos dar sequência e nos próximos anos teremos o Centelha 3, Centelha 4 e assim por diante”, anunciou o ministro.


O Centelha é uma realização do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), da Fundação CERTI e da Sudene.

Estiveram presentes ainda no evento, entre outras autoridades, Marcelo Camargo, superintendente da Área de Pesquisa Aplicada e Desenvolvimento Tecnológico da Finep, Marcos Pinto, diretor de Empreendedorismo Inovador do MCTI e Ciro Sá, diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da FAPEPI.

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:30 de abril de 2022