28 Maio, 2019 18:17

Coordenadora Nacional elogia evolução do PPSUS no Piauí

A coordenadora nacional do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS), Marge Tenório, elogiou a forma com que o programa vem evoluindo no Piauí, que apresenta um crescimento expressivo em sua comunidade científica em saúde. “A gente tem uma demanda reprimida muito grande, e vem observando que, desde 2004, quando foi a primeira chamada pública aqui no estado, a comunidade científica em saúde também cresceu muito”, comentou a representante do Ministério da Saúde (MS).

Marge Tenório participou da Oficina de Prioridades de Pesquisa do PPSUS do Piauí, evento realizado conjuntamente pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), Secretaria da Saúde (Sesapi), pelo Ministério da Saúde (MS) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Segundo a coordenadora nacional do PPSUS, “o programa vem evoluindo muito bem aqui no estado”. A oficina aconteceu nos dias 21 e 22 deste mês, no anexo do Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI).

Ela fez um balanço da trajetória do PPSUS no Piauí, desde o início de sua execução, há 15 anos, em 2004. “Enquanto naquele ano a gente teve um número bem pequeno de projetos, submetidos e apoiados, agora a gente já tem, na última edição, uma demanda bastante representativa, de pesquisas que não foram financiadas por falta de recursos, e também um aporte maior de recursos para um maior número de pesquisas financiado.” Marge Tenório destacou a importância do programa, no sentido de encontrar soluções de saúde pública.

 

Parceria importante

Foi destacado o aspecto de o PPSUS ser uma gestão compartilhada pelo Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCIT), e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), através do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A coordenadora também ressaltou, no âmbito do Piauí, a parceria com a Fapepi e Sesapi. “Essa é uma parceria extremamente importante porque a gente traz recursos do governo federal pra ser aportado no estado”, observou.

Esses recursos, destinados a financiar pesquisas científicas, na avaliação de Marge Tenório, têm sido importantes “para defender problemas de saúde pública que o SUS está enfrentando, a partir da necessidade do estado”. De acordo com a coordenadora, os recursos do Estado se somam aos do Governo Federal. “E a gente cria uma grande ação pra solucionar esses problemas.” Ela explicou que a Oficina de Prioridades de Pesquisa do PPSUS do Piauí faz parte do processo de lançamento de uma nova edição do programa.

“O programa é dividido em nove etapas de execução, e aqui no estado ele está iniciando uma nova edição, que é a edição que irá ao ar, na verdade, em 2020, com o lançamento da chamada pública”, completou. Marge Tenório. Sobre a oficina, a representante do Ministério da Saúde acrescentou que as prioridades se referem ao enfrentamento de problemas de saúde, levantados por técnicos da Sesapi e pesquisadores, para os quais deverão ser desenvolvidas novas pesquisas financiadas pelo PPSUS, a partir do ano que vem.