FAPEPI participa da apresentação do projeto do novo CIATEN

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:22 de setembro de 2021
  • Reading time:5 mins read

O projeto arquitetônico da nova sede do Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados (CIATEN) foi apresentado, no dia 13 deste mês, ao senador Marcelo Castro (MDB). A solenidade aconteceu no prédio do Centro Ciências de Saúde (CCS) da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), localizado ao lado do Hospital Getúlio Vargas (HGV), na Avenida Frei Serafim, 2280, futura sede do centro. O ato solene contou com as presenças do reitor e vice-reitor da Ufpi, Gildásio Guedes, e Viriato Campelo, respectivamente.

O projeto arquitetônico da nova sede do CIATEN sendo apresentado ao senador Marcelo Castro (MDB), direita, pelo reitor e vice-reitor da UFPI, Gildásio Guedes, centro, e Viriato Campelo, esquerda. Fonte: Assessoria de Comunicação – FAPEPI

Representando a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (UFPI), participou a advogada Mariana Matos Leite, da assessoria jurídica da instituição. O CIATEN tem como finalidade aprimorar o controle dos agravos tropicais emergentes e negligenciados (ATENs) no contexto do estado do Piauí e em regiões similares. Na nova sede-prédio, serão desenvolvidas tecnologias para geração de novos fármacos e dispositivos biotecnológicos; e serão elaboradas políticas públicas baseadas em evidências científicas.

Haverá uma área para geração e difusão de conhecimentos científicos por meio ensino, pesquisa, extensão e treinamento de profissionais públicos e demais interessados. Ou seja, as instalações do centro serão uma ponte para o estabelecimento de parcerias, desenvolvimento tecnológico e conectar as pesquisas de enorme relevância social com formação de pesquisadores e profissionais. Gildásio Guedes, reitor da UFPI, falou da importância do investimento à área da saúde.

Científico e prático

“É um investimento altamente importante, pois, além de prevenir, vai cuidar de doenças que estão permanentes nas pessoas e até nos animais”, destacou. “O CIATEN é um órgão que vai servir muito para a prevenção e para o cuidado. Estamos felizes, pois a universidade tem que ter este viés científico e o viés prático a serviço da sociedade.” Atualmente, o CIATEN tem recursos financeiros garantidos através de duas emendas parlamentares destinadas para as devidas adequações na futura sede-prédio.

São recursos de R$ 1 milhão, obtidos através de emenda parlamentar do senador Marcelo Castro, e R$ 300 mil de emenda parlamentar da deputada federal Margarete Coelho (PP). O evento reuniu representantes da Ufpi, da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI), equipe de engenheiros do projeto e convidados, no qual um dos objetivos é a arrecadação de novos recursos para garantir a continuidade e finalização das obras do CIATEN.

Segundo o Coordenador-Geral do CIATEN, professor Carlos Henrique Nery Costa, “é um projeto para décadas inaugurar um centro de pesquisa no Piauí”. “O início disso foi consolidado hoje! A presença do reitor da Ufpi, Gildásio Guedes, e do senador Marcelo Castro, empenhados na mobilização dos recursos necessários, juntamente com apoio da secretária de saúde em uma conjunção de esforços locais. Agora estamos vendo nascer a sede do CIATEN, centro interdisciplinar e multi-institucional, com seus laboratórios montados.”

Coordenador-Geral do CIATEN, Carlos Henrique Nery Costa. Fonte: Assessoria de Comunicação – FAPEPI

Think tank

O senador Marcelo Castro confirmou recursos ao CIATEN. “Me comprometo a repetir a dose. Estou muito honrado em contribuir com a saúde do nosso estado, é o nosso dever e nossa obrigação.” A representante da Secretária da Saúde, Liana Martins, informou sobre os trâmites burocráticos do projeto. “A Secretária da Saúde está imbuída em concretizar o projeto do CIATEN. O processo já está passando pela parte administrativa de cotação de preços, em seguida, passará pela PGE para analisar a parte jurídica.”

Continuou Liana Martins: “será deflagrada a licitação e o nosso prazo para conclusão desse projeto é até outubro”. Além disso, na oportunidade, a equipe de engenheiros do projeto arquitetônico do prédio apresentou as plantas elétricas e hidráulicas, bem como as adequações básicas necessárias para a instalação de equipamentos nos laboratórios do prédio. Sobre o CIATEN: o CIATEN é um “think tank” – think tanks são instituições que produzem pesquisas, análises e recomendações.

Representantes da FAPEPI e o Coordenador-Geral do CIATEN, Carlos Henrique Nery Costa. Fonte: Assessoria de Comunicação – FAPEPI

Think tanks contribuem para um ambiente de conhecimento, permitindo, inclusive, que os formadores de políticas públicas tenham ferramentas para tomar decisões mais embasadas. Além de ter um papel importante na disseminação de conhecimento à qualificação através do conhecimento de políticas de saúde destinadas a doenças e agravos emergentes, de um lado, e negligenciados, de outro, no âmbito dos trópicos. O centro foi criado para desenvolver e sugerir novas estratégias.

Enfrentamento de doenças

Tais estratégias servirão ao enfrentamento de doenças emergentes e negligenciadas nos trópicos que atualmente são ineficientes ou inexistentes. É uma entidade administrada pela organização social sem fins lucrativos Instituto de Doenças do Sertão (IDS) e é um Núcleo de Pesquisas oficial de uma fundação pública, a Universidade Federal do Piauí (Ufpi), em colaboração com a Secretaria da Saúde. Uma grande notícia à ciência do Piauí.

Continuar lendoFAPEPI participa da apresentação do projeto do novo CIATEN

Piauí desenvolve técnica de diagnóstico de covid-19

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:24 de junho de 2021
  • Reading time:3 mins read

Uma nova técnica de diagnóstico de covid-19, a partir de imagens de tomografia computadorizada, está sendo desenvolvida por uma equipe de pesquisadores piauienses, ligados aos campi da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), em Teresina, Picos e Simões. A metodologia foi apresentada em artigo, assinado pelos pesquisadores, “Diagnóstico COVID-19 em imagens de tomografia computadorizada usando CNN para extrair recursos e vários classificadores”.

O artigo, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), foi elaborado pelos professores Antônio Oseas de Carvalho Filho e Alcilene Dalília de Sousa – ambos da Ufpi Picos – e Ricardo de Andrade Lira Rabúlo, da Ufpi Teresina. Dois alunos também assinaram o artigo: Edelson Damasceno Carvalho, aluno do curso de Sistemas de Informação, na Ufpi Simões; e Edson Damasceno Carvalho, mestrando em Engenharia Elétrica, na Ufpi Picos. O estudo se refere a uma metodologia baseada num extrator de recursos treinável, usando a CNN e vários classificadores, extraídos em uma base de imagens pública.

Ainda segundo Antônio Oseas, a nova técnica de diagnóstico de covid-19, a partir de tomografia computadorizada, se baseia no uso das técnicas de Redes Neurais Convolucionais (CNN), que permitiu extrair, computar atributos, que são números que fornecem características das imagens. “Com esses números, as técnicas de classificação, que são esses múltiplos classificadores que nós aplicamos aí, eles conseguem adquirir e conseguem padronizar categorias”, explicou o professor.

Resultados promissores

“É o que nos permite fazer a classificação automática, utilizando essas técnicas”, prosseguiu Antônio Oseas. “Nossos resultados foram bem promissores, para essa base de imagens públicas.” O artigo descreve que os resultados mostram uma precisão de 97,88%, recall de 97,77%, a precisão de 97,94%, f-score de 0,978, AUC de 0,977 e índice kappa de 0,957. Os resultados mostram que a metodologia pode ser utilizada como sistema CAD – Projeto/Desenho Assistido por Computador (Computer Aided Design) – para auxiliar no diagnóstico da covid-19.

De acordo com o professor, “o intuito de nossos métodos nunca vai ser substituir o médico, mas sim atuar como uma espécie de segunda opinião ou como uma forma de triagem de pacientes”. “A nossa metodologia é utilizando técnicas de visão computacional, especificamente, técnicas de processamento de imagem, em conjunto com técnicas de Machine Learning, especificamente, técnicas de aprendizado profundo”, detalha. “Esse método computacional atua dessa forma, como uma segunda opinião.”

Antônio Oseas discorreu sobre a importância científica do trabalho: “claro que não é um resultado que vá revolucionar o mundo, mas é um indicativo que nós, aqui no Piauí, estamos produzindo tecnologia de ponta, de qualidade e que temos tudo pra ir mais além”. É um trabalho que pode contribuir para resolver o principal problema com esse método, que depende do especialista para analisar as imagens da tomografia computadorizada, já que o processo é repetitivo, demorado e cansativo para o especialista.

Continuar lendoPiauí desenvolve técnica de diagnóstico de covid-19

I Prêmio FAPEPI de Jornalismo Científico – 2021

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:24 de junho de 2021
  • Reading time:5 mins read

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) lançará, nesta terça-feira (18), o edital para realização do I Prêmio FAPEPI de Jornalismo Científico – 2021, no âmbito do Programa de Divulgação e Popularização da Ciência – SAPIÊNCIA. A iniciativa é no sentido de convidar jornalistas e estudantes de jornalismo do Piauí a apresentar propostas nas categorias do prêmio, contribuindo para divulgação e popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) no Estado, em conformidade com as disposições deste edital, que pode ser acessado aqui.

O I Prêmio FAPEPI de Jornalismo Científico – 2021 tem como objeto a concessão de apoios financeiros para as melhores matérias jornalísticas nas diferentes categorias de Jornalismo Científico, em temáticas relevantes contextualizadas sobre a CT&I, publicadas no Estado do Piauí. O edital tem valor total de R$ 12 mil em recursos oriundos do Tesouro do Governo do Estado do Piauí, referentes à ação orçamentária “Auxílios Financeiros a Eventos, Divulgação e Publicação Científica, Tecnológica e de Inovação”.

Serão destinados R$ 10 mil referentes ao pagamento de premiações e R$ 2 mil para confecção de honrarias aos premiados. O prêmio tem como objetivo estimular e valorizar a publicação de matérias de CT&I veiculadas em diferentes meios de comunicação e relacionadas a temas estratégicos no Estado do Piauí. Denomina-se jornalismo científico a especialização da profissão jornalística nos fatos relativos à Ciência, Tecnologia e Inovação.

Jornalismo científico

O jornalismo científico é próximo da divulgação científica, porém distinto na medida em que não apenas informa o público sobre ciência, mas faz reflexões e discussões atualizadas sobre CT&I e sua relação com a sociedade. O I Prêmio FAPEPI de Jornalismo Científico – 2021 tem como objetivos principais: disseminar o jornalismo científico no Estado do Piauí; e incentivar a publicação e divulgação de matérias de CT&I em conjunto com a comunidade científica e instituições de ciência e tecnologia do Estado.

Também estão, entre os principais objetivos, incentivar e reconhecer a participação de alunos de graduação e jornalistas na publicação de matérias de CT&I no Estado; avaliar, premiar e divulgar as matérias de jornalismo científico. São classificados como público-alvo do I Prêmio FAPEPI de Jornalismo Científico – 2021: Profissional e Estudante. Na categoria Profissional, concorrem matérias jornalísticas sobre temas relevantes relacionados à CT&I de autoria de profissionais de comunicação social – com habilitação em jornalismo

As matérias devem ter sido publicadas nos veículos institucionais e comerciais com sede no Piauí. Já na categoria Estudante, concorrem matérias jornalísticas sobre temas relevantes relacionados à CT&I de autoria de estudantes dos cursos de comunicação social – com habilitação em jornalismo – e publicados nos veículos experimentais vinculados às instituições de ensino superior do Estado do Piauí. Serão aceitas propostas que concorrem entre si nas seguintes categorias: Impresso (jornal laboratório); TV Universitária; Internet; e Rádio.

Categorias

As quatro categorias do I Prêmio FAPEPI de Jornalismo Científico – 2021 são: Impresso, TV, Internet e Rádio. Quanto à categoria Impresso, concorrerão nesta categoria matérias jornalísticas veiculadas em jornais ou revistas impressas, sobre temas relevantes relacionados à CT&I. Não serão aceitos textos opinativos, tais como: editorial, comentário, artigo, resenha, crítica, coluna e crônica. Em relação à TV, concorrem nesta categoria matérias jornalísticas veiculadas em emissoras de televisão de sinal aberto ou por assinatura.

Na categoria TV, estão inclusas as matérias disponíveis na web, sobre temas relevantes relacionados à CT&I. Não serão aceitos videodocumentários. Internet: concorrem nesta categoria matérias jornalísticas eletrônicas veiculadas em portais na internet (blogs ou sites), sobre temas relevantes relacionados à CT&I. Rádio: concorrem nesta categoria matérias jornalísticas veiculadas em rádios convencionais ou transmitidas via internet. O público-alvo Profissional receberá premiação para as quatro categorias.

Assim, serão três premiados por categoria, totalizando 12 premiações. O público-alvo Estudante receberá uma premiação para todas as categorias, pois concorrem entre si nas categorias Impresso, TV, Internet e Rádio. Assim, serão três premiados para todas as categorias, totalizando três premiações. O prazo para inscrições ou submissão de propostas no Sigfapepi se inicia no próximo dia 20 de maio (quinta-feira) e se estenderá até o dia 20 de junho deste ano.

Resultado final

A divulgação do resultado final ocorrerá a partir de 26/07/2021 e a entrega das premiações, divulgação dos vencedores, no portal da FAPEPI e no Diário Oficial do Estado, até 13/08/2021. Toda e qualquer comunicação com a FAPEPI deverá ser feita pelo e-mail fapepi@fapepi.pi.gov.br.

Esclarecimentos e informações adicionais sobre o conteúdo deste edital e o preenchimento do formulário de propostas online no SIGFAPEPI podem ser obtidos pelo e-mail fapepi@fapepi.pi.gov.br.

Continuar lendoI Prêmio FAPEPI de Jornalismo Científico – 2021

Reunião avalia sucesso do PEIEX Piauí

  • Post author:
  • Post category:Notícia
  • Post last modified:3 de maio de 2021
  • Reading time:5 mins read

O Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX), desenvolvido desde 2020, conseguiu atingir suas metas e é considerado um sucesso. Essa é a conclusão dos participantes da terceira reunião do Comitê Consultivo do PEIEX – Núcleo Teresina/PI, realizada no dia 06 deste mês. Durante o encontro, segundo a gestora de qualificação e competitividade da Apex-Brasil, Amanda Mesquita, as metas e o fluxo de atendimento do programa, de agosto de 2019 até março de 2021, obtiveram destaque para a divisão das metas em quatro etapas.

Ana Mesquita destacou a prospecção e apresentação do PEIEX a 49 empresas até março, sendo atingidos 110% da meta; assinatura de termos de adesão, tendo sido alcançado 104,17% da meta; e entrega do plano de trabalho e plano de exportação para empresas, tendo o núcleo atingido 92,5% da meta. Ela também enumerou aspectos, como a avaliação da empresa ao final da qualificação, tendo o núcleo alcançado 142,30% de sua meta.

Em seguida, a gestora expôs ainda a representação das empresas atendidas por complexos produtivos, sendo, 52% das empresas atendidas do setor de alimento e bebidas, 6% de moda e vestuário, 6% de casa, construção e máquinas, 4% de equipamentos e 32% outros, que abrange serviços, cosméticos e PEIEX Agro. Trata-se de um novo desmembramento que permite atender muitos produtores de mel que ainda não possuem CNPJ. Ela explicou que esses produtores podem ser de outras unidades da federação.

Participantes da reunião

A terceira reunião do Comitê Consultivo do PEIEX – Núcleo Teresina/PI, realizado por videoconferência, contou com a participação, além da gestora de qualificação e competitividade da Apex-Brasil, Amanda Mesquita; do Diretor de Inovação da FAPEPI, Ciro Gonçalves. Também participaram as convidadas da FAPEPI, Sâmia Maranhão e Lidiane Muniz, e a Coordenadora do Núcleo Teresina, Rizalva Cardoso; além da monitora do Núcleo Teresina, Marta Dias; e os Técnicos do Núcleo Teresina, Cássio Eduardo e Gustavo Dias.

Os Apoios Técnicos do Núcleo Teresina, Gabriela Soares e Raylane Cristian, e as empresas FIEL Alimentos e Dois Rios Cervejaria Artesanal, representadas por Adriano Mesquita e André Toledo, respectivamente, também contribuíram com o encontro. Integraram a reunião com a presença de parceiros da PEIEX Teresina o representante do SEBRAE, Gilberto Noleto; o representante da FIEPI, Islano Marques; o Diretor Comercial do Porto PI, Sr. Tiago Ribeiro Patrício; e o superintendente do Banco do Brasil no Piauí, Cristiano Teixeira.

Representando os Correios, a supervisora de vendas da instituição, Adriane Azevedo Monteiro; e o representante da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Landerson Carvalho. Posteriormente o técnico Gustavo Henrique, do Núcleo Teresina, destacou algumas inserções internacionais ocorridas antes e algumas durante o atendimento pelo PEIEX, sendo, uma empresa participante da BIOFACH, do setor de confecção, que participou da rodada de negócios – Missão Portugal.

Exportações diretas e indiretas

Cinco empresas realizaram exportação indireta e quatro realizaram exportação direta. Adriano Mesquita, da empresa FIEL Alimentos, relata que sua empresa se beneficiou bastante do programa de qualificação. Entre os pontos apontados como benefícios, Adriano Mesquita destacou para as práticas fiscais, formação de preços para exportação, pesquisa de mercado internacional, incluindo o fortalecimento de suas estratégias no mercado interno.

André Toledo, da empresa Dois Rios Cervejaria Artesanal, destacou sua satisfação em relação à qualificação, tendo em vista que o ajudou na reformulação do planejamento estratégico e tático da sua empresa e ampliou seus horizontes para a exportação. A reunião teve início com a apresentação da gestora de competitividade da APEX que destacou o papel da Apex-Brasil e o objetivo do PEIEX no Piauí. Depois passou a palavra para o representante da FAPEPI, Ciro, que lembrou o início das atividades do núcleo.

Ciro Gonçalves ressaltou a importância do programa para o Piauí com seus impactos nas empresas participantes. A coordenadora do Núcleo Teresina pontuou que a reunião teve os seguintes objetivos: a) apresentar os resultados obtidos no período de agosto de 2019 a março de 2021; b) Apresentar a atual gestora de competitividade; c) Reafirmar a importância dos parceiros para o sucesso das empresas que estão se qualificando para exportar; d) Expor quais dificuldades as instituições parceiras podem ajudar nos atendimentos das empresas.

Cases de sucesso

A coordenadora explicou que um dos objetivos foi relatar os cases de sucesso. Posteriormente, o técnico Cássio Eduardo reafirmu a importância das instituições parceiras na qualificação das empresas e sucesso das exportações no Piauí, dizendo que é necessária a cooperação das entidades parceiras na própria ação educacional, promover ações e apoiar eventos relacionados à exportação. Auxiliar na seleção de empresas com potencial de exportação; relatar impactos positivos e os desafios das empresas; foram outros pontos apontados.

Continuar lendoReunião avalia sucesso do PEIEX Piauí